País purista a prosear bonito, a versejar tão chique e tão pudico, enquanto a língua portuguesa se vai rindo, galhofeira, comigo - Alexandre O'Neil

domingo, Novembro 23, 2014

Dá-lhe música


Medalhas, Ladroeiras, Cagadas e outras Palhaçadas

Tempos houve em que, por atos considerados relevantes para a «coroa», os reis distribuíam terras e prebendas por cavaleiros, padres e outras figuras. Mudaram-se os tempos mas não as vontades. Ou, melhor dizendo, as vontades e os hábitos…
O país assistiu recentemente, atónito, à condecoração de Durão Barroso por Cavaco Silva com o Grande Colar da Ordem do Infante D. Henrique, por “serviços de extraordinária relevância” para Portugal e União Europeia.
Durão Barroso é aquele homem que trata o sistema por tu, é o tipo do “porreiro pá”, lembram-se? Quem tiver a memória curta terá esquecido que foi o artista que deixou o país de tanga e foi engordar, durante 10 anos, para Bruxelas. Na Europa, para se ver algo que tenha feito e que mereça ser registado pela história, é preciso recorrer ao telescópio espacial Hubble. Voltou a Portugal todo inchado e com uma prosápia que só tem paralelo na reforma vitalícia de 11 mil euros por mês e no subsídio de reintegração e de transição durante 3 anos, que pode chegar aos 200 mil euros por ano. Além disso, vai ganhar um salário extra de 25 mil euros, mais despesas de deslocação.
O problema é que a velhinha cerimónia da imposição de coleiras a figurantes que muito têm contribuído para a asfixia social em que nos encontramos, não é de agora. Recordam-se da festança na Câmara Municipal da Covilhã, aquando da “merecida e singela” homenagem a José Sócrates pelo trabalho desenvolvido “a favor da cidade”? Ou da concessão, pela Universidade da Beira Interior, de um doutoramento Honoris Causa a Zeinal Bava, o homem que foi decisivo a desfazer em fumo anos de trabalho na Portugal Telecom? Ou da homenagem de há um ano, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, de Lisboa, a Ricardo Salgado, o homem que, foi dito na altura, “é um exemplo de liderança (...), tem as relações nacionais e internacionais certas (…), faz delas a gestão sensata, e zela pelo ativo mais precioso da atividade bancária: a confiança”? Assim mesmo, a modos da farsa mais ridícula que se queira imaginar!
Não se trata apenas da nostalgia que as elites sempre sentiram pela nobilitação. Estes rituais prenhes de parolice e vaidade, próprios das sociedades pós-aristocráticas que gostavam de tratar os servos por tu, têm por objetivo reescrever a História à custa da criação artificial de uma glória totalmente imerecida que encubra precisamente o contrário daquilo por que se homenageia! Por uma monárquica associação de ideias vem-me à memória a célebre carta dirigida por Pina Manique, Corregedor de Santarém (e futuro Intendente de Polícia do Marquês de Pombal), ao Duque de Cadaval, Corregedor-Mor da Justiça do Reino, que aqui transcrevo na íntegra:
"Exmo. Sr. Duque de Cadaval: Se meu nascimento, embora humilde, mas tão digno e honrado como o da mais alta nobreza, me coloca em circunstância de V. Exa. me tratar por tu, caguei para mim que nada valho.
Se o alto cargo que exerço, de Corregedor da Justiça do Reino em Santarém, permite a V. Exa., Corregedor Mor da Justiça do Reino, tratar-me acintosamente por tu, caguei para o cargo.
Mas, se nem uma nem outra coisa consentem semelhante linguagem, peço a V. Exa. que me informe com brevidade sobre estas particularidades, pois quero saber ao certo se devo ou não cagar para V. Exa. Santarém, 22 de Outubro de 1795”.

E mais não digo, que para medalhas e diarreias por hoje já basta. Olé!

(Crónica no jornal O Interior - 12 de Novembro de 2014)

sábado, Novembro 22, 2014

IRONIA DO DESTINO


À ATENÇÃO DE PAIS, ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO, EDUCADORES E PROFESSORES.


E, se em vez de castigarem ou passarem um sermão aos vossos filhos, educandos e alunos discutissem com eles este pequeno filme.
Seria interessante ouvir a opinião deles no final e ... talvez a de muitos de vós!
Pois é!

NÃO DEVE FALTAR MUITO PARA QUE ESTA PIADA PASSE A SER UMA VERDADE.


Numa manhã, a professora   pergunta ao aluno:
- Diz-me lá quem escreveu "Os Lusíadas"?
O aluno, a   gaguejar, responde:
- Não sei, Sra. Professora, mas eu não fui.
E começa   a chorar. A professora, furiosa, diz-lhe:
- Pois então, de tarde, quero falar com o teu pai.
Em conversa com o pai, a professora faz-lhe queixa:
- Não percebo o seu filho. Perguntei-lhe quem escreveu "Os   Lusíadas" e ele respondeu-me que não sabia, que não foi ele...
Diz o   pai:
- Bem, ele não costuma ser mentiroso, se diz que não foi ele, é porque  não foi. Já se fosse o irmão...
Irritada com tanta ignorância, a professora   resolve ir para casa e, na passagem pelo posto local da G.N.R., diz-lhe o   comandante:
- Parece que o dia não lhe correu muito bem...
- Pois não,   imagine que perguntei a um aluno quem escreveu "Os Lusíadas" respondeu-me que   não sabia, que não foi ele, e começou a chorar.
O comandante do posto:
- Não se preocupe. Chamamos cá o miúdo, damos-lhe um "aperto", vai ver que ele   confessa tudo!
Com os cabelos em pé, a professora chega a casa e encontra o   marido sentado no sofá, a ler o jornal. Pergunta-lhe este:
- Então o dia   correu bem?
- Ora, deixa-me cá ver. Hoje perguntei a um aluno quem escreveu   "Os Lusíadas".
Começou a gaguejar, que não sabia, que não tinha sido ele, e   pôs-se a chorar. O pai diz-me que ele não costuma ser
mentiroso. O   comandante da G.N.R. quer chamá-lo e obrigá-lo a confessar. Que hei-de fazer a isto?
O marido, confortando-a:
- Olha, esquece. Janta, dorme e amanhã   tudo se resolve. Vais ver que se calhar foste tu e já não te lembras...!

Feijoada traiçoeira ou o outro lado da ingenuidade filosófica

O Carlos, advogado, 45 anos, bonacheirão, adorava feijoada.
Porém, sempre que a comia, o feijão causava-lhe uma reacção fortemente embaraçosa.
A sua saliente barriga inflava ainda mais, e os gases.
Um dia apaixonou-se. Quando chegou a altura de pedir a mulher em casamento, pensou:
«Ela é de boa família, cheia de etiqueta, uma verdadeira dama, não vai aguentar estar casada comigo se eu continuar assim... »
Decidiu fazer um sacrifício supremo e deixou de comer feijoadas.
Pouco depois, estavam casados.
Passados alguns meses, ao voltar do trabalho, o carro avariou.
Como estava longe, ligou à mulher e avisou-a que ia chegar tarde, pois tinha de regressar a pé.
No caminho, passou por um pequeno restaurante e foi atingido pelo irresistível aroma de feijoada acabada de fazer.
Como faltava muito para chegar, achou que a caminhada iria livrá-lo dos efeitos nefastos do feijão.
Entrou, pediu, fez a sua pirâmide no prato. Ao sair, tinha 3 doses de feijoada no estômago.
O feijão fez efeito e, durante todo o caminho, foi a peidar-se sem parar.
Foi para casa literalmente a jacto.
Peidava tanto que tinha de travar nas descidas, e nas subidas quase não fazia esforço a andar.
Quando se cruzava com pessoas continha-se, e aproveitava a oportuna passagem de um ruidoso camião para soltar os gases.
Quando chegou a casa, já se sentia mais seguro.
A mulher parecia contente quando lhe abriu a porta e exclamou:
- «Querido, tenho uma surpresa para o jantar!»
Tirou-lhe o casaco, pôs-lhe uma venda nos olhos, levou-o até à cadeira na cabeceira da mesa, sentou-o e pediu-lhe que não espreitasse.
Já sentia mais uma ventosidade anal à porta, mas controlou-se.
No momento em que a mulher ia retirar a venda, o telefone tocou.
Ela obrigou-o a prometer que não espreitaria e foi atender o telefone. Era uma amiga...
Enquanto ela estava longe, o Carlos aproveitou, levantou uma perna e «ppuueett», soltou um.
Era um peido comum. Para além de sonoro, também fedeu a ovo podre.
A plenos pulmões, soprou várias vezes, a toda a volta, para dispersar o cheiro.
Quando começou a sentir-se melhor, surgiu outro. Este parecia potente.
Levantou a perna, tentou sincronizar uma sonora tosse para encobrir e «pprrraaaaaaaa».
Saiu um rasgador tossido.
Parecia a ignição de um motor de camião, e com um cheiro mil vezes pior que o anterior.
Para não sufocar com o cheiro a enxofre, abanou o ar com as mãos e soprou em volta, à espera que o cheiro dissipasse.
Quando a atmosfera estava a voltar ao normal, eis que vem lá outro.
Levantou as pernas e deixou sair o torpedo.
Este foi o campeão, as janelas tremeram, os pratos saltaram na mesa, a cadeira saltou e, num minuto, as flores da sala murcharam.
Enquanto ouvia a conversa da mulher ao telefone, permanecia fiel à sua promessa de não espreitar e continuou assim por mais um tanto, a peidar-se e a tossir, a levantar ora uma perna ora a outra, a soprar em volta, a sacudir as mãos e a abanar o guardanapo.
Acendeu o isqueiro e desenhou com a chama círculos no ar, a tentar queimar o nefasto metano, que teimava em acumular-se na atmosfera.
Ouviu a mulher despedir-se da amiga.
Sempre com a venda posta, levantou-se apressadamente e, com uma mão, deu umas palmadas na almofada da cadeira para soltar o gás acumulado, enquanto a outra mão abanava para dispersar o cheiro.
Sacudiu e deu palmadas nas calças para libertar-se dos últimos resíduos.
Ouviu o «plim» do telefone a desligar.
Alarmado, sentou-se rapidamente, compôs-se, ajeitou o cabelo, respirou profundamente, pousou as mãos ao lado do prato e assumiu um ar sorridente.
Era a imagem da inocência quando a mulher entrou na sala.
Desculpando-se pela demora, ela perguntou-lhe se havia espreitado à mesa.
Depois de ele jurar que não, ela retirou-lhe a venda, e... SURPRESAAAAAA!!!
Estavam 12 pessoas, perplexas, pálidas e constrangidas, sentadas à mesa: os pais, os sogros, os irmãos e os colegas de tantos anos de trabalho.
Era a festa surpresa do seu aniversário...

quinta-feira, Novembro 20, 2014

Como garantir a segurança do imóvel gratuitamente

IMPORTANTE:   Serviço  Público.
SINTA-SE SEGURO EM CASA, COMO EU:
Eis o que fiz:
1º - Retirei o sistema de alarme que tinha na minha casa e cancelei a minha adesão na "Neighbourhood Watch" ( Vigilância entre Vizinhos );
2º - Coloquei as seguintes 3 Bandeiras na minha varanda em postes:
- no canto direito uma bandeira da Síria;
- no canto esquerdo uma bandeira do Paquistão;
- e bem no centro uma bandeira preta do Estado Islâmico ! 
Resultado: A PSP, a GNR, os Bombeiros, a EUROPOL, a INTERPOL, a NATO, e várias agências de espionagem antiterroristas nacionais e internacionais, têm a minha casa sob vigilância 24 horas por dia, 7 dias por semana ! 
Nunca me senti tão seguro como agora!
Só ainda não sei se vou ficar a salvo de uns GATUNOS bem vestidos, de fato e gravata…

Pois, esses até com as polícias têm acordos…

Portas escancarou-se...

Portas abriram-se e escancararam-se para um Portas abrir a cloaca…
Foi demasiado mau para ser verdade.
Não me apetece comentar o que assisti.
VERGONHOSO.
Lastimável, alguém tratar uma comissão parlamentar como um «Portas» o fez.
Portas falou de tudo menos do que TINHA QUE FALAR!
Só faltou mesmo o grito do partido ÚNICO E A SAUDAÇÃO NAZI!
O resto esteve lá tudo.
Pergunto-me que democracia é esta?
Para onde vamos?
Lembro-me do manifesto Anti-Dantas...
«Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi. É um coio d'indigentes, d'indignos e de cegos! É uma resma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!» 

Filme de terror num lugar bem perto de si...



O filme que vai «passando» no teatro da vida, bem real, num país à beira-mar plantado e cada vez com mais GATUNOS!

É FARTAR VILANAGEM!   

O país está melhor. Então não está?

Ouve-se, com insistência, certa escumalha afirmar, com o braço bem esticado e, com a palma da mão voltada para baixo, que o país está melhor.
Mas, cada vez mais as notícias contradizem e fazem baixar os braços e puxar das baionetas.
Soube-se que os juros a que Portugal se endividou este dia da graça de 20 de Novembro de 2014 … SUBIRAM!
Soube-se que a dívida aumentou para os 132% do PIB!
Soube-se que faltam medicamentos para tratamento de cancro da bexiga.
A vacina contra a tuberculose dada a recém-nascidas entrou em ruptura…
O desemprego está a aumentar apesar das falsas esperanças dos acéfalos…
Uma múmia que habita um palácio, o de Belém está mudo… perdeu o pio!
O país está melhor? Claro que está, então não se nota…
O REI VAI NU…

quarta-feira, Novembro 19, 2014

Saibam estar à altura


O ex-director, intendente dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras terá dito, segundo a imprensa, que SOFREU PRESSÕES POLÍTICAS PARA AGIR EM CONFORMIDADE COM O PRESUMÍVEL ESCÂNDALO, QUE É ACUSADO!
A ser verdade que o senhor Palos proferiu tal afirmação, IMPORTA SABER quem o pressionou.
ISTO É CRIME!
ISTO É CRIME!
Espera-se e deseja-se que na audição de amanhã, na Assembleia da República haja a coragem política de PRESSIONAR O PORTINHAS!
QUEM PODE TER MEDO DE TAL PATRANHA?
Se os deputados da oposição não o fizerem, ou se deixarem emerdar pelo putativo figurante, MUITO MAL VAI A DEMOCRACIA!
Já estamos em DITADURA!
E a justiça, vai ficar queda e muda?
Ou será que há mesmo MUITOS GATUNOS que estejam acima da lei?

POIS, MORREM AS VACAS E FICAM OS BOIS!

O retornado subsidiado


O agora ex-ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, vai assumir o seu lugar de deputado, na Assembleia da República. 
A informação foi avançada pelo líder parlamentar do PSD um tal Montenegro.
“Com certeza que sim. O Dr. Miguel Macedo é deputado eleito. Estava em exercício de funções governativas e tinha o mandato suspenso, mas a partir do momento que essa suspensão deixa de se operar retoma o seu lugar”, revelou Luís Montenegro esta quarta-feira, no final da reunião do grupo parlamentar do PSD.
Uma dúvida, no entanto, o senhor Montenegro não esclareceu, vá-se lá saber porquê.
O senhor Macedo vai pedir subsídio de alojamento?
Pois, era importante saber-se.

Tudo à venda


Num país cujo governo vende TUDO, até a alma ao diabo. Quem vai impedir que um qualquer foragido, procurado pela Interpol, possa comprar o que muito bem lhe der na real «tola»!
Desde chineses, venezuelanos, colombianos, americanos, africanos ou outros quaisquer serão sempre bem-vindos a este pobre e triste país, desde que tragam milhões para lavar nas máquinas da Praça do Comércio.
Alta lavandaria, com serviço personalizado e com utilização de pó branco para a lavagem do dinheiro.
SEGURANÇA COMPLETA!
Não foi o outro que disse, que a melhor forma de apanhar um GATUNO, era vir para Portugal e lavar dinheiro. Logo, mas logo, é caçado e entregue à Interpol.
Perceberam investidores «dourados».
Da próxima vez «abordem» o chefe da quadrilha.
SEGURANÇA TOTAL!
NUNCA SERÃO PRESOS.
TRAGAM DINHEIRO, PATACAS, MONEY OU CALHAUS QUE POR CÁ, HÁ MUITO PARA VENDER.
COMPREM, COMPREM CHARLATÕES! 
A BEM DA NAÇÃO!  

Quem acredita?


E quem vai acreditar em tal tramoia?
COM A CENOURA, O BURRO VAI PUXANDO CARROÇA!
E A TRANSPARÊNCIA?
MAS ALGUÉM ESTÁ ACIMA DA LEI?
TENHAM JUÍZO!
QUADROS DO ESTADO DESTITUÍDOS?
QUANDO?
ONDE?
NEM NO BOTÃO!