País purista a prosear bonito, a versejar tão chique e tão pudico, enquanto a língua portuguesa se vai rindo, galhofeira, comigo - Alexandre O'Neil

quinta-feira, maio 26, 2016

Fim de viagem para a geringonça


É o que acontece a quem se arma em «chico esperto»!
Quiseste apoiar o Marcelo vais ter as consequências seu artolas….

quarta-feira, maio 25, 2016

AMEAÇA III


AMEAÇA II


A prazo!

 
A ameaça já está feita!
Marcelo dos afectos não está a gostar da governação do A. Costa!
Acabou o arroz-doce!
Foi o caso dos colégios…
É o caso dos estivadores…
As constantes ameaças de Bruxelas…
Marcelo quer de volta o patrício!
Marcelo fareja que o estio vai ser tempo da cigarra e não da formiga!
Logo, o aviso está feito….
Cuidem-se!
Depois das eleições para regedores do reino se o coelho ganhar à tartaruga ou o Aquiles se deitar à sombra da bananeira haverá ida à canada arrear a peça!
Foguetes e hossanas não faltarão!
Foi para isto que traíste o candidato da AUTENTICIDADE?
ÉS UM MERDOSO!
 

Ora aí está!

 
Vai abrir o galinheiro!
Depois de quatro anos de bico calado ei-los… sorridentes, garinas levantadas, unhas afiadas prontos a cacarejar e a debicarem no terreiro dos galináceos!
Cuidado que a GNR multa todo e qualquer galináceo que se solte antes da partida!
E, a raposa esperta e ladina está à espreita!
Já ameaça!
Depois dos tempos de invernia e das celebrações do dia da maçaroca ei-la alcandorada na torre do galinheiro, pronta a caçar a pita mais desprevenida!
Vai começar a festança!
Preparem as coelheiras!

MEDO & MERDOSOS

 
Afinal em que ficamos?
As contas DEVEM SER PUBLICADAS!
MAS SÃO CONFIDENCIAIS?
AFINAL QUEM TEM MEDO DA VIRGINIA WOOLF?
A SS (Segurança Social) ou as IPSS’s?
ESCONDER TANTA COISA!
POIS É!
PIOR QUE OS COLÉGIOS!
PULHAS!

Foi esta a mensagem de Cristo?

 
Os dogmas, os valores que dizem perseguir e os mandamentos em que dizem foram formados levam-nos a tomar atitudes destas?
MALTRATAR IDOSOS MUITOS DELES COM PROBLEMAS MENTAIS!
BENGALADAS E RECURSO A MEDICAMENTOS FORA DE PRAZO SÃO COMPORTAMENTOS QUE SÃO ENSINADOS NA SANTA MADRE IGREJA CATÓLICA?
Já se sabia que em certos colégios certos actos de violência são exercidos pelas «irmãs da caridade»!
Mas, práticas de violência sobre idosos?
Que diz, a tudo isto, o sempre activo e palestrante da treta, o cardeal de Lisboa?
FALE HOMEM! USE O PÚLPITO DA VERBORREIA MAS FALE!
ABOMINO COVARDES, PARASITAS SOCIAIS E PANTOMINEIROS!
Cristo, pelo que me foi dado conhecer, destruiu os feirantes que se aproveitavam da igreja para fazerem NEGÓCIO!
ENTENDESTE FARSANTE?
COMO ESTÁ TÃO ENDINHEIRADA ESTA IGREJA!
Razão tinha o Lutero!
Não se pode adorar a dois deuses e logo contraditórios…
Quanto o contribuinte PAGAVA por estes maus tratos?
Sabe-se que a SS (Segurança Social) sempre solicita fez uma inspecção à instituição e… como sempre CALOU, FECHOU OS OLHOS!
Esta quadrilha devia ser posta na RUA e OBRIGADA A DEVOLVER O DINHEIRO QUE ROUBOU AOS CONTRIBUINTES E AO PAÍS!
É FARTAR VILANAGEM!
Foi publicada uma nota do prior substituto da instituição a negar tudo o que as autoridades comprovaram e o Ministério Público deduziu em acusação!
As coberturas cooperativas são assim... só que às vezes o cobertor é curto... curto de mais!
 

E ainda choram? Mais mamam!

 
 
Afinal a «montanha pariu um rato»!
Como sempre, em Portugal ameaça-se, faz-se barulho, argumenta-se, argumenta-se em demasia e depois… TUDO NA MESMA!
O povo, na sua sabedoria ancestral lá diz: «entradas de leão e saídas de sendeiro»!
Foi o que aconteceu!
Colega contribuinte! Cá estamos prontos a pagar mais uma covardia de quem nos governa!
Já agora que a causa dos colégios está perdida, por falta de TOMATES!
Lanço mais uma causa… fracturante!
QUANDO ACABAM COM OS APOIOS ÀS FUNDAÇÕES?
HÁ TOMATES?
NÃO!
JÁ SABIA!
MAIS COVARDIA!
Desde senadores, a banqueiros falidos, a comendadores aristocratas com casacas rotas, até a gatunos passando por supostos assassinos há de tudo com nome na praça das fundações!
EXIGE-SE VASSOURADA!
MAS SÓ HÁ NABOS E GRELOS COMPROMETIDOS COM A CORJA, A FERVEREM NO TACHO, EM BANHO-MARIA!
QUE ESPERAR?
ARROTA PELINTRA!

Ponto de Vista


Com pompa e circunstância o governo apresentou o novo Simplex. Para o diferenciar daquele lançado há 10 anos por José Sócrates, agora chama-se Simplex Mais. Embora os Simplexes não se meçam aos palmos, também poderia ser o Simplex Menos. De facto, o de José Sócrates arrancou com 957 medidas. Este, apesar de ser Mais, arranca com Menos: apenas 255 medidas.

Bem sabemos como em política a imagem é tudo. Daí a importância dos sound bites para sumarizar a ideia que se pretende vender. No caso em apreço, o que o governo pretende passar é a ideia de uma administração pública com menos papel. Ou antes, menos dependente do papel, mas que se deseja com papel reforçado na sua relação com o cidadão. Tudo resumido na expressão “menos papel no estado e mais papel do estado”.

Na cerimónia de apresentação deste novo Simplex, o primeiro-ministro vincou, de forma inequívoca, que um estado moderno é um estado eficiente. Esta é uma ideia consensual, o que me suscita desde logo algumas dúvidas. É que quando vejo um político refugiar-se em ideias consensuais, fico sempre com uma pulga atrás da orelha.

A informatização da relação entre cidadãos e administração pública alcança hoje o seu expoente máximo em países do norte da Europa, aonde até a escritura de uma casa pode ser efetuada pela internet, com a devida encriptação de procedimentos. Mas isso só é possível porque nesses países os alunos do 1.º ano do 1.º ciclo recebem desde logo um computador por cabeça, já sem falarmos num posterior conjunto de funcionalidades e capacitações que os acompanham durante o resto da sua vida escolar.

Significa isto que nem sempre querer é poder. Portugal é, infelizmente, uma realidade algo diferente. Já nem sequer me refiro à elevadíssima percentagem de analfabetismo funcional e informático que ainda prevalece entre nós. Ou à sistemática ilegibilidade, incompreensibilidade ou indecifrabilidade da maior parte das leis para o cidadão comum. Refiro-me tão só à costumeira atitude de arrogância e sobranceria da administração pública na sua relação com os cidadãos. Transferir o meio de contacto entre as partes do papel para o computador não vai mudar grande coisa.

Recordo-me de há uns dois anos ter lido, por exemplo, uma lei de 2013 que dá pelo nome de “Lei de Livre Acesso à Natureza”. Tive acesso à versão original e à respetiva tradução em língua portuguesa. Está redigida em cerca de duas páginas A4. É simples, intuitiva, lógica e praticamente insuscetível de qualquer dúvida interpretativa. É uma lei norueguesa e – como todas as leis naquele país – só pode ser publicada se comprovadamente puder ser interpretada de forma simples e direta por um painel de crianças com 10 anos de idade. Tudo o que de mais diferente se possa imaginar em relação à forma como se fazem ou interpretam leis entre nós…

Em Portugal, em vez desta simplicidade, anuncia-se que o novo Simplex vai permitir aos recém-nascidos terem um médico de família logo no 1.º dia. Algo de que, verdadeiramente, eles nem sequer precisam. E ainda por cima, num país em que o mesmo Simplex é incapaz de tal generosidade para quase 1 milhão de portugueses sem direito ao mesmíssimo privilégio.

É por estas e por outras que tenho as maiores dúvidas em relação a estes sound bites tipo “Simplex renovado”. O que importa não é o papel ou o computador, mas sim o que lá está escrito. E é aí que tem de ser feita a revolução que é precisa. Coisa que não me parece nada ir suceder.

Precisamos é de leis que não entupam os tribunais, denegando assim na prática a justiça e os direitos aos cidadãos. De leis simples, claras e imunes à dúbia interpretação. De leis que tornem irrelevante a forma como se leem.

A semana passada, ao visitar um familiar num hospital, assisti, sem querer, a um desabafo de um doente já muito idoso, numa cama mesmo ao lado. Dizia ele, não sei bem a propósito do quê, que “Deus, quando tira a força, deveria tirar também a vontade”. No caso dos Simplexes e coisas afins, bem que poderíamos colocar a coisa ao contrário e afirmar que “Deus, quando dá a força, deveria dar também a vontade”...

Muito bom dia a todos.
 
(Crónica Rádio F - 23 de Maio 2016)

Em tempos de crise....

 
Estas apostas também viciam resultados desportivos?
Importa saber!   

terça-feira, maio 24, 2016

O ROUBO repete-se!


 
Tal como aconteceu no caso BES que, já MORTO, ainda se vendia papel comercial do mesmo!
UM FARTOTE!
ROUBO DIGO EU!

SACANAGEM



É FARTAR VILANAGEM!
QUANTOS ANOS TERIA QUE TRABALHAR PARA GANHAR O QUE UM FIGURANTE DESTES GANHA NUM ANO?
VERGONHOSO!
E AINDA NOS FALAM EM CORTES SALARIAIS, EM 35 HORAS, EM SAÚDE, EDUCAÇÃO E JUSTIÇA COMO SE ESTIVESSEMOS A ROUBAR ALGUMA COISA!
PULHAS!

(Re)Lendo


 
Os Selos da Lituânia!

masturbo-me vai para três ou quatro anos

e estou só pele e osso.

na minha cara abriram-se crateras

que mais do que com a acne juvenil têm a ver

com o meu propósito lunar,

rebelde e deslumbrado,

por não querer conter a natureza

e, por ela, ultrapassar a última fronteira

de uma libido pertinaz, sem mais remédio

que ter que a exercer.

segundo creio, não tarda e estou cego.

é isso, pelo menos, o que prior avisa,

enquanto, com certeza, estou cego é dos ouvidos

para não ter que lhe ouvir a litania sonsa.

à noite, indo para a cama, não vou

para adormecer, mas para acordar

definitivamente, fazendo do desejo

isto que não sei porque me chama

mas se institui como uma celebração,

ora porque me morde e pica o sangue,

ora porque um rio

ambrosiano palpita entre os lençóis

em que me encontro nu, enérgico e pronto

a recomeçar a injunção premente

a que chamo oblação, por ser palavra rara,

passível de escutar-se nas aulas de moral,

a que, quando estou distraído, estou atento.

não sei se acabarei por me esgotar

nisto em que ando, ou se estou louco

por me terem marcado uma consulta

num psiquiatra, amigo desta casa,

sob o pretexto absurdo de que ando alheado

de tudo à minha volta e leio em demasia poesia.

não faço ideia do que dirá o médico,

que presumo ser parecido com o freud,

de bata branca e barba grisalha,

sempre a tomar notas e a pôr questões em tudo

sobre os sonhos que recorrentemente me acometem.

de ciência certa sei que nada

me apoquenta muito para além do que é normal

da minha idade, que tenho sem porquês,

e se injurio, como dizem, o corpo muitas vezes

é porque sou inocente e o fascismo

pôs os rapazes longe das meigas raparigas,

ou por má consciência, ou o absurdo

de impor aos costumes a premência

vital de um sacrifício sem sentido.

ah, eu mordo a almofada, eu faço

do prazer o que me estremece a alma e amplia

o fogo concreto de querer viver

sem qualquer censura ao corpo,

profícuo e viril, por mais cegueira que me atinja os olhos

por hoje não voltar a ver algumas das vizinhas

na correnteza intrépida

com os mamilos espetados debaixo das blusas,

as vulvas palpitantes sob as mini-saias,

as línguas lânguidas de fora da boca

a fazer-me caretas pela melancolia densa.

 

in Os Selos da Lituânia, Lisboa, & Etc, 2008

© do poema e da foto: Amadeu Baptista

Hipocrisia quanto baste


 
Álvaro Amaro e Santinho Pacheco já pediram esclarecimentos sobre um possível encerramento do Centro Educativo do Mondego.
Fico estupefacto com a posição deste dois figurantes, um regedor da Guarda o outro ex regedor em Gouveia, Governador Civil e ... agora para «complemento solidário», deputado da Nação!
Enquanto tiveram no governo os seus sócios pouco ou nada se importaram com o Colégio Educativo do Mondego!
A degradação das instalações foi acontecendo a um ritmo alucinante!
Obras nem vê-las ou as que existiam eram só remendos!
Espaços exíguos e insalubres para além da «famosa» «solitária» param onde eram enviados os jovens que se portavam mal!
Guardas sem condições de trabalho!
Estado de esgotamento dos guardas pelo prolongado tempo de serviço, muitas vezes sem folgas!
Casos de esgotamento que levaram a situações bem preocupantes pondo em perigo a segurança de todos.
Já no que à parte pedagógica diz respeito, sempre defendemos, quer enquanto dirigente do sindicato dos professores, quer exercendo outras funções de cidadania que tudo estava errado nessa matéria. O corpo docente devia ser especializado, devia ter uma formação inicial que possibilitasse uma aprendizagem de inserção profissional na vida activa. O corpo docente devia ser efectivo e não ser atribuído, de forma enganosa a muitos docentes, sem experiência, sem prática para lidar com alunos especiais, com diferentes experiências de vida, em situação de fragilidade, de revolta, provenientes de situações de risco, de famílias desestruturadas, etc...
O QUE FIZERAM OS GOVERNOS DESTES FIGURANTES?
NADA!
ATIRARAM PARA CANTO!
DEIXARAM ANDAR!
O ministério da Justiça e o ministério da Educação NUNCA se entenderam!
As responsabilidades NUNCA foram assumidas!
FICO DEVERAS ESPANTADO COM O FACTO DE SÓ AGORA FALAREM DO ANTIGO INSTTITUTO DE REISERÇÃO DO MONDEGO, ERA ASSIM QUE ERA CONHECIDO E, QUE NOS CONCURSOS PARA PROFESSORES APARECIA COMO CENTRO EDUCATIVO DO MONDEGO.
SÓ PARA ENGANAR!
É QUE DE ENGANOS E EQUÍVOCOS ESTAMOS TODOS FARTOS SEUS FARSANTES!
A HIPOCRISIA TEM LIMITES!