País purista a prosear bonito, a versejar tão chique e tão pudico, enquanto a língua portuguesa se vai rindo, galhofeira, comigo - Alexandre O'Neil

quarta-feira, fevereiro 25, 2015

Uns acéfalos

 
Com a chegada ao poder de figurantes de quarta linha, incompetentes, broncos, pastosos e gordurosos, surgem os discursos acéfalos, cretinos e patéticos.
Depois de um Conselho dito Nacional, a fazer lembrar slogans bolorentos do antigamente, vir dizer que os exames deviam acabar e que as retenções (mais um eufemismo para dizer reprovações) deviam terminar, ou imagine-se, os alunos deviam ficar «retidos» nalgumas disciplinas e aprovadas noutras, com a confusão total instalada, mais uma, nas escolas.
Para ajudar à festa só faltava que os Politécnicos viessem reivindicar o acesso às instituições, sem exames nacionais, sem prestarem provas, sem quaisquer critérios, a não ser a média das «classificações» do 12.º ano. Falo de «classificações» e não de avaliações, entenda-se!
Mas será que esta gente porca e imunda que não sabe o que é ensinar, nunca soube o que é aprender e muito menos sabe o que é conhecer, pode ter chegado a lugares onde se exige seriedade, rigor e COMPETÊNCIA?
POBRE PAÍS!
Já vieram com a conversa estúpida de reduzir o número de vagas das Universidades e Politécnicos do litoral e aumentar o número de vagas das instituições do interior do país. Como se a qualidade do ensino se medisse pelo número de vagas. A QUALIDADE DO ENSINO RESULTA DA SAÍDA PROFISSIONAL DOS CURSOS. E A SAÍDA PROFISSIONAL RESULTA DA QUALIDADE MINISTRADA.
ENTENDES COCHINO?
ÉS UM ACÉFALO!
Hoje os pais PAGAM, A BEM PAGAR, as licenciaturas, os mestrados e os doutoramentos.
LOGO EXIGEM QUALIDADE!
Já lá vai o tempo dos cursos para encher chouriças que muito jeito deram a certos filhos .... da mãe! Ganharam uns e pagámos TODOS!
Tempo de vacas gordas, agora escanzeladas!  
Só faltava mesmo que apenas as Universidades tivessem exames de admissão.
Era o fim da picada!
A exigência e o rigor só de um lado! 
E que tal, logo à nascença atribuírem todos os graus académicos das crianças em função do seu estatuto social?
Poupavam-se uns milhões!
 

terça-feira, fevereiro 24, 2015

Ponto de Vista

O nome de Sócrates e as constantes referências públicas aos contornos da sua estadia em Évora trazem constantemente à superfície o nome de um juiz que acabou por se tornar famoso, o juiz Carlos Alexandre.
Curiosamente, Carlos Alexandre foi o juiz que deu início ao processo que ficou conhecido como «processo Labirinto». Recordo aqui aos mais esquecidos que o processo Labirinto envolve altas figuras do aparelho de estado, algumas das quais se encontram já detidas. O processo recebeu o seu nome exatamente a partir do labirinto de influências que pretende desmontar. Essas influências arrastaram para a praça pública a Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública, mais conhecida por CRESAP. Trata-se de uma entidade criada pelo atual governo com o pretenso objetivo de proceder a uma pré-seleção de candidatos a altos cargos da administração pública, com base apenas na competência e no mérito. Em linguagem popular, poderia dizer-se que a CRESAP foi criada alegadamente para impedir que os bandidos chegassem ao poder.
Ora, estamos em Portugal. Não era difícil prever no que isto tudo ia dar. A infinita criatividade dos políticos lusitanos não tremeu perante o desafio que lhes foi colocado. Por essa razão, têm sido produzidos admiráveis exemplos de malabarísticas legitimações de nomeações supostamente filtradas pela CRESAP. Se existir um problema e se esse problema afetar os interesses dos políticos, eles conseguirão sempre ultrapassá-lo.
Não me refiro aqui apenas ao caso de Maria Antónia Enes, a senhora que era secretária-geral do ministério da Justiça e simultaneamente vogal não permanente da CRESAP, e que se encontra agora detida no âmbito do tal processo Labirinto do juiz Carlos Alexandre.
Nem me vou limitar ao mais recente escândalo das nomeações para as direções dos Centros Distritais da Segurança Social, cujas vagas foram ocupadas no âmbito de um concurso da CRESAP por 14 dirigentes que são, sem qualquer exceção, filiados no PSD ou no CDS.
Vou cingir-me a um escândalo bem mais caseiro, pela importância que pode vir a ter para os cidadãos do nosso distrito. E que também envolve a CRESAP. Bem como outras altas instituições do Estado. A história, revelada há dias num jornal nacional, conta-se em poucas palavras.
Um determinado gestor foi em 2010 e em 2011 condenado por crimes de abuso de confiança fiscal. Em 2012 foi nomeado presidente da ULS da Guarda. A CRESAP não detetou o registo criminal do gestor, vá-se lá saber porquê. Uns tempos depois esse gestor, conhecida a enorme dificuldade em encontrar no mercado local advogados disponíveis, celebrou um contrato de avença entre a ULS da Guarda e um advogado de Lisboa. Soube-se agora que a esposa do advogado em causa é, também ela, tal como a outra que está presa à guarda do processo Labirinto, uma vogal da CRESAP. E que foi adjunta do próprio secretário de estado da Saúde. Ascendeu há algum tempo ao cargo de secretária-geral do ministério da Economia e é, além disso, membro da Comissão de Prevenção da Corrupção. Que por sua vez é presidida pelo presidente do Tribunal de Contas, que é a entidade a quem compete fiscalizar e garantir o bom uso de dinheiros públicos. Bonito!
A cerejinha em cima do bolo é que o advogado em causa tem mais contratos de avença com outros hospitais públicos, tendo chegado a auferir a módica quantia de mais de 7 mil euros por mês, sem qualquer concurso público! Claro que estamos a falar de gente séria e de instituições que nos merecem incondicionalmente toda a credibilidade. E claro que se alguma coisa aconteceu que não se devesse ter passado, não foi certamente por mal.

A CRESAP aparece no meio disto tudo como aquele colégio eleitoral de Hong Kong que tem por função selecionar 3 candidatos à presidência do território. Todos vindos da China. Ao menos, aqui em Portugal os candidatos nunca poderão ser acusados de serem como os candidatos fantoches de Hong Kong. Pelas simples razão de não terem os olhos em bico. 
Muito bom dia!

(Crónica na Rádio F - 23 de Fevereiro de 2015) 

E agora... o mesmo de sempre!


O que tem de diferente o Syriza?


Os analistas de meia-tigela, meia-foda ou lá o que quiserem chamar, andam todos excitados, alegres e contentes com as reviravoltas das negociações do governo grego com o Eurogrupo.
Sei, reconheço, que há motivos para o povo grego estar apreensivo. Mas também, quem não está, nesta europa dominada pelo fundamentalismo de um Schauble e de uma Merkel, guardados pelos cães de fila do costume?
Mas, há uma coisa que a escumalha, porca e sebenta tem que se lembrar: OS GREGOS NÃO ESTÃO A NEGOCIAR COM FUNCIONÁRIOS, FIGURANTES DE 4.ª CATEGORIA, DE UMA QUALQUER INSTITUIÇÃO AGIOTA. NEGOCEIAM DIRECTAMENTE COM OS CHEFÕES, REPRESENTANTES DA AGIOTAGEM COBARDE E NAZI!
Esta é a grande diferença!
Percebes cochino?
Não percebes nada, és um asno preso à estaca, à espera da cenoura que te indique o caminho para a mesinha de voto, para o dares à maltrapilha do costume!

segunda-feira, fevereiro 23, 2015

UM GÉNIO


Há 28 anos morria Zeca Afonso.
O MAIOR DE ENTRE TODOS!
AQUELE QUE DA LEI DA MORTE SE LIVROU!
Alguém ouviu uma referência em qualquer estação de rádio, de televisão ou nos jornais?
É ASSIM QUE UM PAÍS TRATA OS SEUS MAIORES FILHOS?

As VIGARICES


Quando uma Luís, dita de Maria, serviçal do ministro da guerra (na Alemanha as finanças designam-se de guerra), um tal Shauble, vem dizer que Portugal é um exemplo da vitória sobre a austeridade. Uma espécie de exército do Hitler a fugir da Rússia, após o desastre de Leninegrado. Quando um Coelho vem dizer que a mesma austeridade já passou e a «troika» saiu de Portugal… e que tudo isto foi um sucesso, igualzinho ao da «banqueira do povo»!
E, depois do Portas ter vindo dizer, em tom de escárnio, que sempre, mas sempre, concordou que a intervenção da «troika» em Portugal tinha sido uma falta de dignidade para com os portugueses…a exemplo da passagem bíblica, não fosse o Portas um cristão, do Pilatos a lavar as mãos no sangue dos inocentes.
E, depois de uma múmia continuar fechada, a sete chaves, no sarcófago dos nojentos.
E, depois de um ministro emérito, um tal de Machete ter vindo dizer que a «troika» devia fazer «reparações» ao país, sem especificar quais.
Eis que a DÍVIDA PÚBLICA VOLTOU A SUBIR EM 2014, CHEGANDO AOS 128,7% do PIB.
Mas que chatice!
Logo agora que tudo estava a «correr» tão bem!
Que o Martelo, o candidato da laranjada ao lugar de supra-sumo, a «piscar o olho» ao Portas ao chamar-lhe de «espertalhão» e a dar um valente puxão de orelhas ao Coelho.
Eis que que a dívida subiu sete décimas face a 2013.
E, a balança de rendimentos, que mede o saldo dos pagamentos feitos e recebidos com juros, rendimentos, dividendos e remessas, foi negativa em cerca de 2,5 mil milhões de euros.
Pois é…
Ainda vos vou ver a ENGOLIR, tudo o que têm dito do amigo «alemão»!

O poder absoluto


As escutas, as fugas de informação, o escândalo do sistema informático na Justiça, o regabofe nos tribunais são os condimentos necessários e suficientes para a instalação de um estado policial.
O «todo-poderoso», ex-super espião, Silva Carvalho denunciou, em sede de comissão parlamentar, a prática habitual de acesso a dados telefónicos de portugueses, por parte dos serviços das secretas.
ESTA PRÁTICA É ILEGAL NUM ESTADO DE DIREITO!
O problema é que não vivemos num estado de direito!
VIVEMOS NUM ESTADO PRÉ-DITATORIAL!
Podem vir os constitucionalistas com TODOS os pareceres e mais um que, nada nem ninguém me consegue provar que não estamos nesse estado!
Só deixaremos de estar em pró-ditadura, no dia em que HOUVER CONDENAÇÕES E PRESOS OS CORRUPTOS E OS EUNUCOS!
CANALHA PORCA!

domingo, fevereiro 22, 2015

Ou ficas «cadelinho», ou ....


Há meses que se sabe da história…
Mas o ‘Expresso’ só agora acordou e o governo, com o cheirinho a ‘presidenciais’, também despertou agora.
São curiosos e bizarros estes ‘timings’ do governo e de Balsemão.
Sim por que Balsemão & Governo do Coelho é só serviços de entrega de «encomendas»!
Só percebo que certa «gentalha dita do reviralho» trabalhe para um pasquim e para uma televisão do pimba.
Mas isso são outras contas…
Voltemos à Misericórdia do Santana…
A Misericórdia de Lisboa liderada por Santana Lopes deu a ganhar, desde 2012, cerca de dois milhões de euros, com pelo menos 18 contratos públicos, a um conjunto de dez empresas quase todas acabadas de constituir, todas elas pertencem a pessoas que têm participações cruzadas nessas empresas e nas empresas que estavam também a “concurso” nesses contratos. E o mais notável é que essas pessoas, em que se destacam os nomes de Afonso Viola e Fernando Catarino Narciso, um engenheiro reformado da Portugal Telecom e figura destacada dos TSD (Trabalhadores Sociais Democratas) e do PSD de Lisboa, começaram, com a liderança de Santa Lopes da Santa Casa, a trabalhar com a instituição na venda de tudo e mais alguma coisa. 
Empresas de serviços de telecomunicações vendem ao mesmo tempo mobiliário e até fraldas descartáveis!
É fartar vilanagem…
Agora, o «Motinha» decidiu investigar a santa da casinha!
Já se sabe que tudo isto tem um objectivo, limpar a imagem do Santana e dar-lhe crédito para estar calado e apoiar o padre Martelo, em toda a linha…
Ou te calas ou lá se vai o tacho!
E depois, o que ias fazer?
NADA!

Nunca fizeste NADA!

*cadelinho= mistura de calado e quieto.

É FARTAR GATUNOS


E vais pagá-la por muitos e, mal fadados anos, graças à ganância dos agiotas e dos seus capangas!
GATUNOS!

Mais um....«amigo» da confraria a governar-se e bem!


Não me importo NADA que o senhor Barbosa, o militante do PSD, e actual presidente do Automóvel Club de Portugal aufira o vencimento que se diz ter por mês: 21 MIL EUROS!
Desde que CUMPRA, escrupulosamente, com TODOS os impostos devidos, NADA contra!
O que já sou CONTRA é um «grupelho» de sócios permitir atribuir ao figurante tal vencimento.
As quotas de sócio não são pequenas…
Mas, diga-se em abono da verdade que só é sócio quem pode!
Agora que há uns que vivem com vencimentos escandalosos, face à miséria que campeia pelo país é no mínimo VERGONHOSO!

sábado, fevereiro 21, 2015

O padre MARTELO

O padre Marcelo iniciou a visita pascal...
Em Maçainhas o padre Marcelo deu continuidade à campanha eleitoral para a presidência da República!
Uma dúvida, no entanto, confunde os meus neurónios!
As eleições para Presidente da República não são depois das eleições legislativas?
Lá para Janeiro de 2016?
Pois... entendi!
Na jantarada do abade Marcelo não faltaram os habituais frades das festividades laranjas e... ao que se diz, também por lá foram vistos certos figurantes de outros pomares, bem camuflados, escondidos em mantas de ... papa!
Não fosse Maçainhas terra dos cobertores de ... papa!
Com papas, farelos e água se faz a comida dos galináceos!
Marcelo não te esqueças que a Manuela do Leite já tem mais de 35 anos!
Só que há uma diferença!
Uns serviram-se do estado NOVO para alcançar poleiros.
Outros, NUNCA FORAM COBARDES, deram o peito às balas!
Não percebes?
Compra um dicionário... estou farto de NEO NAZIS, pior quando andam encapotados!
Não esteve a TVI ... esteve a SIC!
Ora agora vais tu, ora agora vou eu...

Rir não paga imposto...para já!

Na escola a professora tentava puxar pelo espírito criativo da turma.
- Luisinha, és capaz de nos dizer alguma coisa em verso?
E responde a menina:
- Fui à praia, apanhar conchinhas, veio uma onda molhou-me as coxinhas!
Diz a professora:
- Muito bem. 
E tu, Joãozinho, também serás capaz de rimar de improviso?
- Claro, Sra. Professora. – responde prontamente o Joãozinho.
- Então diz lá. – desafia a professora
Diz o Joãozinho:
- Fui à praia
apanhar mexilhões
veio uma onda
molhou-me os… tornozelos.
- Mas isso não rima!!! – corrigi a professora.

E responde o Joãozinho:
- Pois não, porque a maré estava baixa .


Para animar

Estava um garoto todo esticado a tentar chegar a uma campainha.
Passa um polícia e pergunta se queria ajuda.
 - Sim Sr. Guarda, será que podia ser o senhor a tocar à campainha por mim?
O polícia assim fez.
E berra o garoto:

 - Agora fuja que eles costumam atirar água...


As Armadilhas do Passado


«Estudemos as coisas que já não existem. É necessário conhecê-las, ainda que não seja senão para as evitar. As contrafacções do passado tomam nomes falsos e gostam de chamar-se o futuro. Esta alma do outro mundo, o passado, é atreita a falsificar o seu passaporte. Precatemo-nos contra o laço, desconfiemos dela. O passado tem um rosto, que é a superstição, e uma máscara, que é a hipocrisia. Denunciemos-lhe o rosto e arranquemos-lhe a máscara.» 

Victor Hugo, in 'Os Miseráveis'