sábado, novembro 28, 2015

Pensamento


(Re)Lendo


Hoje lembrei-me de Sebastião da Gama e do poema:

A uma rapariga

Somos assim aos dezassete.
Sabemos lá que a Vida é ruim!
A tudo amamos, tudo cremos.
Aos dezassete eu fui assim.
Depois, Acilda, os livros dizem,
dizem os velhos, dizem todos:
"A Vida é triste. a Vida leva,
a um e um, todos os sonhos."
Deixá-los lá falar os velhos,
deixá-los lá... A Vida é ruim?
Aos vinte e seis eu amo, eu creio.
Aos vinte e seis eu sou assim.

E depois?

O «Novo Governo» em sintonia com a maioria parlamentar decidiu tomar algumas medidas que se consideram ajustadas, certas e que vão de encontro ao desejo da maioria da população portuguesa.
Terminaram os fastidiosos, inúteis e sorvedores de dinheiros públicos, sem qualquer interesse pedagógico, exames do 4.º ano.
SAÚDA-SE A MEDIDA!
Terminaram as avaliações dos professores.
Procedimento que só fazia sentido na óptica espartana de estrangular o acesso à carreira e impedir as progressões.
Aliás o tema das avaliações é algo que deve merecer atenção especial deste governo, pois continua a ser utilizado como forma de, à boa maneira fascista e ditatorial, impor o medo, a subserviência, a espionagem caciqueira e os lambe cus para se agradar ao ou à chefinha!
IMPORTA REVER TODO O PROCESSO DE AVALIAÇÕES!

Caso contrário, o processo terminado para os professores cheira a «bispo», com a bênção dos orquestradores do costume.
É preciso e urgente um tempo do depois e nunca do antes! 

Arrufos

O presidente da câmara da Guarda, Álvaro Amaro, amuou.
E amuou por que razão?
Pela simples razão que o vereador socialista, Joaquim Carreira, o ter chamado de «mercenário da política»!
Ora vai daí, na última reunião de câmara o senhor Amaro avisou o vereador para «nunca mais» lhe dirigir a palavra, salvo em casos institucionais!
Mais uma verdadeira anedota neste país de acéfalos à beira-mar plantados…
Como é que alguém pode «avisar» outro para nunca mais lhe dirigir a palavra salvo em casos institucionais?
Mas quem é o senhor Amaro para avisar quem quer que seja?
Um cabo da polícia da defesa dos interesses instalados?
Um pide? Se fosse noutro regime, no de 28 de Maio, talvez… 
Agora em democracia?
Mas disse mais o senhor Amaro!
Disse, por exemplo, que queria ser tratado por «senhor presidente» já que ele também passaria a tratar o vereador por «senhor vereador»!
Eheheheheh!
Sá para rir!
E que tal uns salamaleques, e uns punhos de renda e quiçá um duelo ali para os lados da mata do hospital?
Era interessante!
E muito provavelmente teríamos as capas de todos os jornais do país e estrangeiro a falar da Guarda como o senhor… gosta, sem ter de pagar NADA!
Teríamos as televisões desde Portugal até ao Botão, Botswana, Papua Nova Guiné, Patagónia, Cochinchina e demais a falarem do assunto!
Aproveite a ideia…
É que de facto, terá que concordar, a «montanha teria parido um Alvarinho»! 
Não o do vinho! 
Esse é muito caro e valioso para ser parido por montanhas!
E, no fim, pode ter a certeza, teria um evento não digno da «cidade de Natal» mas, de verdadeira cabra com os cabritos a berrarem e a cantarem hossanas! 
É que termos de pagar cerca de 21 000 euros, pois quem paga são os contribuintes, a uma estação privada por 39 spots publicitários sobre um evento de Natal e mais cerca de 15 000 euros a uma empresa de segurança acrescidos os dois valores, da respectiva taxa de IVA é algo que só se pode considerar como um atentado à pobreza e miséria que campeia por estas terras, culpa de um governo de apaniguados correligionários do senhor presidente. Disso o senhor não fala nem gosta que se fale.
Um evento que na sua totalidade vai custar cerca de 480 mil euros é algo que merece ser investigado.
Diria mais, é crime contra a pobreza em que vivem os cidadãos da Guarda.
Há gente que NUNCA saberá, porque não foi educado em cidadania, o que é vida democrática.
Acham-se os maiorais no seu castelo!
A democracia é o confronto de ideias. Cada um tem o direito a ter as suas opiniões e não a ser mais uma cabra no redil.
Um imbecil, por mais pequeno que seja, é sempre um imbecil!   

IMBECIS

A forma de pensar formatada e quadrada também se consegue com palhaçadas que podem ter de tudo menos DIGNIDADE!

Quero, posso e mando!


Refugiados que recusem recolocação serão excluídos!
COME E CALA - parece ser o lema da hipócrita Europa!
E quando andavam, e andam, por terras dos refugiados a SACAREM as riquezas naturais, chamando-lhes suas ou distribuindo migalhas a ditadores sanguinários não foram excluídos do banquete!
PULHAS!

Direito a dizer NÃO


Tenho o direito de chamar às coisas o que elas para mim são: um EMBUSTE!
Esqueçam as pedras, esqueçam o trabalho meritório de quem embelezou o lugar.
UMA COISA NÃO ME PODEM IMPINGIR - DETESTO A FIGURA!
POSSO?

A PALHAÇADA


NADA MUDOU... SÓ O ROUBO AOS RENDIMENTOS DO TRABALHO SE SALVARAM, PARA GÁUDIO DA AGIOTAGEM!
ATÉ HÁ FUNDAÇÕES COM NOMES DE CRIMINOSOS A SEREM PATROCINADAS, FORÇADAMENTE, PELOS CONTRIBUINTES!

Restos de uma desgraça

Muito ficará para descobrir da governação de um Coelho & Portas!
Mesmo muito… basta que haja engenho e arte e, principalmente, se dê a conhecer ao povo o que a maltrapilha «andou» a fazer!
Um dos sectores que importa conhecer são as doações feitas à padralhada, pedreiros e outros mareantes no que à distribuição de verbas da Segurança dita Social foi feita.
IMPORTA QUE SE PEÇAM RESPONSABILIDADES E CASO DISSO QUE SE CONSTITUAM ARGUIDOS!
Não se trata de nenhuma «noite facas longas». Mas muito menos queremos que sejam os dias do garfo e faca à mesa, partindo e dividindo o bolo para encher as carteiras de uns quantos e fazer de conta que se pratica a «santinha» caridade!
JULGAMENTO!

É O DINHEIRO DE TODOS NÓS!

quinta-feira, novembro 26, 2015

Revoltado

Revolta-me a hipocrisia, servida fria ou quente!

Revolta-me o beija-mão lambuzado por línguas sebentas e com gengivas cheias de escorbuto.

Revoltam-me os anéis podres que beijados mil vezes, mil vezes conspurcam a boca dos inocentes!

Revolta-me a pedante superioridade de certa escumalha que não sabe mais do que bajular.

Tenho pavor a esta canalha podre! 

Declaração de interesses

Não sou católico praticante!
No entanto penso que o mamarracho colocado numa rotunda, situada no bairro de S. Miguel, é uma provocação séria à religião católica, apostólica romana.
Se a ideia é ser-se vanguardista erraram na intenção e no propósito....
Haja pudor e deixem-se de «estilismos» e respeitem as crenças, religiões e símbolos.
Há limites para tudo!
Numa época de conflitos religiosos pedia-se exigia-se mais bom senso!

Anjo PATUDO


 
Ei-lo - O Anjo que afinal não é papudo, mas sim PATUDO!
O Freud explica....
Um «meia leca» manda fazer um anjo à imagem do que sempre sonhou ser... só que não é!
UM EMBUSTE!

quarta-feira, novembro 25, 2015

O irritado

 

Irritado?
E que tal um Xanax?
Mas, em vez de um comprimido toma logo a caixa TODA!
Passava-lhe a irritação…
E quando escrevia mensagens no twitter para português ler?
Aí não havia desigualdade de tratamento?
Ou julgas que todos têm dinheiro e conhecimentos para consultar a internet?
Em TUDO és parolo!
O irritado da «silva»!

Ponto de vista


Quem não se recorda, aqui há uns meses atrás, do pomposo anúncio protagonizado pela ministra das Finanças, acerca de uma esperada devolução, em 2016, em parte ou no todo, da denominada sobretaxa de IRS?

Importava na altura dar a noção de uma consolidação confiável das contas públicas, pretendendo-se que vingasse publicamente a ideia do mérito das políticas de austeridade no esperado sucesso de tal proposta. A apoiar esta estratégia estavam as constantes declarações de Passos Coelho e de Paulo Portas, sempre no sentido de um inamovível apoio às teses de que, por ação do governo, estávamos a sair da crise e que por isso os portugueses deveriam confiar novamente o seu voto aos partidos da coligação.

Do outro lado da barricada estavam aqueles que descriam no sucesso de tais políticas e que sempre defenderam que uma austeridade desproporcionalmente suportada pela classe média só nos conduz a lado nenhum. Chamaram inclusivamente a atenção, à medida que os números projetados em cada mês para a referida devolução de sobretaxa apoiavam – aparentemente – as teses de Passos Coelho, para aquilo que consideravam ser uma fraude em curso com o objetivo de manipular expectativas e estados de espírito em vésperas de um ato eleitoral.

Os próprios trabalhadores dos impostos, ou pelo menos alguns deles, trouxeram a público a suspeita de retenção indevida de reembolsos de IVA às empresas, como o objetivo de empurrar com a barriga a realidade para mais adiante, se possível bem para lá do dia 4 de outubro. Foram veementemente desmentidos e até maltratados pelo governo passista.

Agora, mais perto do fim do ano, e tendo já como distante o referencial das eleições passadas, a realidade impôs-se. A devolução de sobretaxa antes prometida com pompa e fanfarra vai, afinal, ser igual a zero. 

Claro que o assunto não podia ficar por aqui. Por um lado, porque Passos Coelho e companhia não foram capazes de explicar como é que se passa de uma expectativa por eles anteriormente subscrita, de 35% de devolução, para zero % em tão pouco tempo. Em segundo lugar porque vivemos tempos conturbados, e porque o comportamento de uma direita cada vez mais parecida com certos “pinochismos” alimenta uma fornalha de ataques e contra-ataques em que tudo serve para fazer de lenha.

É evidente que quanto mais Passos Coelho nos tenta convencer de que a proposta nada tinha a ver com as eleições, menos nós acreditamos nele. Essa descrença é proporcional ao empenho colocado pelo PSD e pelo CDS na defesa da ideia da devolução e da sua correlação com a alegada boa governação de que éramos beneficiários. Como o governo não reconheceu que a sobretaxa afinal não vai ser devolvida por ter governado mal, nem arranjou melhor explicação para o fracasso total das expectativas que irrealisticamente criou, só nos resta acreditar realmente na teoria da fraude.

O mais triste de tudo isto nem sequer é o facto de termos corrido o risco de sermos enganados, mais uma vez, pelo batoteiro político que se revelou em Passos Coelho. Os portugueses, já escaldados desde as promessas nunca cumpridas de 2011, despediram-no com menos 800 mil votos no dia 4 de outubro. Nem o facto de o próprio presidente da República ter conseguido desvalorizar ainda mais a sua já paupérrima credibilidade, ao afirmar que a quase garantida devolução da sobretaxa era, e cito, "uma boa notícia".

O mais triste é mesmo o facto de estarmos a falar da devolução de um roubo como se essa devolução contivesse, caso por absurdo tivesse podido acontecer, algum mérito em si mesma. Realmente, e aí honra seja feita a Passos Coelho e a Cavaco Silva, só se devolve aquilo que se rouba. Pode é o mérito da coisa ser, como foi, igual a zero. O que é mau. É que diz o povo, até entre ladrões tem de haver alguma honra.
Muito boa semana para todos.
 
(Crónica na Rádio F - 23 de Novembro 2015)

E agora António?


terça-feira, novembro 24, 2015

Atenção à semióptica


Dizer-se «foi indigitado» não é o mesmo que «foi indicado»!
A bílis é demasiada amarga, venenosa e pestilenta.
Para muitos, da carneirada houve corrida às farmácias... esgotaram os «sais de fruta»!
Uma azia terrível.
A rã rebentou!
Engoliram um sapo de um tamanho descomunal!
E agora José?
Pois... «ver vamos», como dizia o ceguinho!

As duas faces

 
Atente-se nas expressões faciais dos figurantes…
Um regozija-se com a situação de embaraço criada ao outro!
O outro só não o mata, com os olhos, por que não pode!
Interessante fotografia…
A fotografia de uma morte lenta, angustiada mas anunciada!

As imposições ilegítimas

Cavaco continua, igual a si próprio.
É apenas e tão só o pior de todos os presidentes da república que o país já teve.
Se estivéssemos em época de reizinhos, rainhas e restante séquito Cavaco teria o cognome de «bengala»!
Bengala de um governo que sempre apoiou e nunca questionou o ROUBO que estavam a perpetrar contra um povo, atirando-o para a MISÉRIA!
Bengala que tudo fez para prolongar a vida de um bando de salteadores e pantomineiros.
Bengala que se julga acima da lei.
Bengala que exige aos outros, lei do chicote, aquilo que condescende aos correligionários.
Exigir CONDIÇÕES a um Costa, secretário de um partido, para formar governo é algo impensável.
Um «bengala» que NÃO TEM LEGITIMIDADE NEM LEGALIDADE PARA EXIGIR O QUER QUE SEJA!
Quem mandou o «bengala» marcar as eleições legislativas para tão tarde?
INTERESSES CONFESSOS!
Agora, ARROTA PELINTRA!

segunda-feira, novembro 23, 2015

Um eunuco administrador

 
Depois de ter andado a fazer «favores» aos demais governos deste país.
Depois de ter «comandado» uma agremiação de totós que acreditavam na «santa do coito».
Depois de ter enganado milhares de trabalhadores portugueses com conversa da treta e língua da sogra.
Depois de andar a vender, por tudo o que era feira, as ceroulas do chinês e da europa connosco.
Ei-lo guindado ao top dos lugares de chefia de uma instituição bancário e, pronto a fazer o que sempre soube fazer … «passar a perna» a quem lhe faz frente.
É FARTAR VILANAGEM!
 

domingo, novembro 22, 2015

Os do costume


Os milhões «doados» sem qualquer espécie de critério às IPSS’s, Misericórdias e outras «famílias» de oportunistas só podia dar em roubos, assaltos e crimes…
Alguém vai investigar?
Espera-se e deseja-se que quem vier a seguir não feche a porta e INVESTIGUE, DENUNCIE E ACUSE QUEM TEM QUE SER…
ESPERA-SE!
Caso contrário os milhões continuarão a cair na caixa das esmolas, para gáudio dos beneméritos e patronos do costume!
«Motinha» prepara a «lambreta» serás o número 47 na cela de Évora!

sexta-feira, novembro 20, 2015

E as catarras?


O PR não ouve mulheres nestas sessões privadas de aconselhamento. Um homem às direitas não verga a modernices nem se deixa distrair.
Esta do PR só receber homens.... o Freud explica!

Exige-se SINCERIDADE EM TUDO


 

Mário Centeno, 19 de Novembro

O fim da austeridade decreta-se?

Algum tempo atrás, alguém anunciava o fim da austeridade…

Depois, a austeridade CONTINUOU…. com muita aldrabice pelo meio!

HAJA DECÊNCIA E ACABE-SE COM A HIPOCRISIA!

BARDAMERDA E CALADINHOS!

quinta-feira, novembro 19, 2015

Terrorismo


Muito se fala do terrorismo que uns assassinos perpetuam contra as civilizações.
Fala-se, inclusive, de religião. Como se a religião e o terrorismo tivessem algo em comum.
Não venho falar da barbárie de Paris.
NÃO!
Falo das sevícias cometidas sobre noviças num convento católico, apostólico e romano ali para as bandas de Braga.
Isso mesmo, Braga uma cidade de Portugal!
Sevícias que envolvem um padre e três religiosas praticadas sobre seis noviças. Pelo meio, uma morte que poderá também ser investigada!
Será que agora vamos ter o coro das beatas e das velhas a refilarem contra os «mouros» e «os infiéis»? Ou será que se vão esconder atrás da sotaina da padralhada como o fizeram em tempos de pedofilia?
E estes também vieram na onda da emigração?
Também são refugiados?
Fugiram da guerra?
DEIXEM-SE DE HIPOCRISIA!
Quero ver se há coragem política para falar deste TERRORISMO!

A Vigarice

Anunciou a corja, antes das eleições, que a devolução da sobretaxa do IRS iria atingir os 35%!
CANTARAM HOSSANAS!
Magnífico … isto é que era competência, rigor e objectividade!
As facturas, o sorteio do carro e tudo mais estavam a resultar!
Um Núncio, uma Luís, um Coelho, um Portas e restante corja cantavam hossanas e hinos à glória alcançada!
Sem esquecer um Marco, o António, o Montenegro e restante esquadrão de pantomineiros.
Na altura já se dizia, titubeantemente, que tudo não passava de uma forma habilidosa, mafiosa e enganadora de camuflar os números. Só era possível chegar aos 35% dado que, objectivamente, a seita de aldrabões fazia a retenção do IVA às empresas. Logo os tais 35% que se prometiam…
Mas, como já vamos sabendo como a mentira é o apanágio da corja, logo a seguir às eleições anunciavam que afinal a sobretaxa era de 9,5%!
VAI BUSCAR!
ARROTA PELINTRA!
MENTIROSOS!
TRAFULHAS!
Mas, bastou uns poucos meses e, eis que de 35% passou-se para 9,5% e agora anunciam … 0%!
ZERO POR CENTO DE DEVOLUÇÃO DA SOBRETAXA!
DISTO, NÃO FALAM?
Mais importante falar de Paris? Claro!
Esquecer a ALDRABICE, A MENTIRA E OS PANTOMINEIROS QUE ESTA CORJA SEMPRE FOI!
Ao manter este governo de pantomineiros é ser IGUAL OU PIOR QUE ELES!
Vocês nem sonham, nem vos quer contar, o que a corja é capaz só para ter o poder!
BARDAMERDA PULHAS!
Incluam-se nesta maltrapilha os comentadores que aplaudiam, a troco de uma carteira recheada, as FALSAS PROMESSAS!
SOIS UNS PANTOMINEIROS PORCOS!
LAVAGEM COM SABÃO MACACO E JÁ!

O terrorista social


quarta-feira, novembro 18, 2015

Um monarca parolo


A 27 de Novembro comemora-se o dia da cidade da Guarda!
Não foi nada inventado pelo senhor de cabra!
Já há muitos anos que se comemora o dia da cidade.
São 816 anos que se comemoram.
Este ano de 2015 as festividades são muitas e, variadas ao gosto do senhor de cabra!
Desde conferências, cujo tema principal será o judaísmo vá-se lá saber a razão… inaugurações de rotundas, esta «dedicada» ao anjo (?)… inauguração da iluminação de Natal … torneios de futebol, basquetebol e BTT para entreter pacóvios…
Não há dúvidas que quem não conhecer a forma de ser e estar da vereação ficará espantado com tal programa de festas.
Um programa feito à forma e medida do regedor e seus capangas!
Só propaganda para ilusão dos incautos cidadãos.
Quem se lembraria de inaugurar uma rotunda de um … anjo?
Ao menos que fizesse jus à proveniência do senhor…
Mas, deixemos o anjo papudo e foquemo-nos no panfleto OFICIAL da Câmara Municipal da Guarda sobre as festas...
No dia 27 de Novembro escreve-se «Comemorações do 816.º Aniversário da Cidade da Guarda».
Mas, espanto dos espantos, mais abaixo no mesmo panfleto, repito da autoria dos «inteligentes» da câmara, pode-se ler: «10h 45min. – Sessão solene Comemorativa do 815.º Aniversário da Cidade da Guarda»!
Mas afinal em que ficamos?
É o 816.º aniversário ou é 815.º aniversário?
ESCLAREÇAM RAPIDAMENTE!
E que tal fazerem uma errata ao panfleto?
Vá lá mais uns euros para a tipografia….
Já agora, expliquem a razão de uma coroa por cima do 8!
Ainda se houvesse no programa uma pequena, ligeira referência à monarquia ou ao D. Sancho… mas NADA!
Será que o senhor de cabra vai convidar o D. Duarte para a inauguração da rotunda?
Ou será que a Guarda já se transformou num ducado?
Como pode, alguém no seu perfeito juízo, inaugurar uma rotunda?
Imagino que o senhor fará a inauguração da rotunda, montado num triciclo, com uma coroa na cabeça e, com a vereação de bibes, a gritar hossanas ao reizinho…
Só que o rei vai nu...
PATÉTICO!

A PALHAÇADA DE SEMPRE


 
O discurso de um Cavaco, na conferência sobre economia, na Madeira, revela o que um presidente NÃO DEVE SER: PARCIAL.
Cavaco disse só isto: «Felizmente esta crise política ocorre em situações que são muito mais favoráveis do que aquelas que se verificavam na última que tinha ocorrido, que foi em 2011».
Mais propaganda barata para os seus correligionários!
Mas há mais!
Falou no acesso mais fácil aos mercados que existe hoje, no crescimento da economia, na diminuição do desemprego e “na almofada financeira de dimensão substancial” que o Tesouro português tem agora!
SÓ TRETA DA MERDA!
ESQUECEU-SE DE FALAR NOS AMIGOS LADRÕES QUE REBENTARAM O SISTEMA FINANCEIRO!
HIPÓCRITA!
Cavaco Silva recordou a situação “exígua e assustadora do tesouro em 2011: “Eu nem quero vos dizer qual era o montante que Tesouro português tinha em cofre em 2011”.
NÃO QUERES FALAR?
MAS FALA DOS ASSALTOS DOS TEUS AMIGOS!
FALA DOS SACRIFÍCIOS QUE OS PORTUGUESES FIZERAM, ESTÃO A FAZER E IRÃO FAZER PARA PAGAR OS ROUBOS FEITOS!
FALA DISSO HIPÓCRITA!
Este cavaco nem para a fogueira!

terça-feira, novembro 17, 2015

Audiências


Cavaco vai receber os banqueiros para debater o «futuro» do país.
Estranham-se estas reuniões!
Para quem andava a dizer que tinha TODAS as soluções estudadas e ponderadas, esta demora e, principalmente, as audições REVELAM a incompetência e a galdéria em que este cavaco se transformou…
Um tal que nunca se engana e, raramente tem dúvidas é por mais evidente da sua incapacidade...
Cavaco vai ouvir os banqueiros… serão os Salgados, os Loureiros, os Limas e toda a corja dos ROUBOS?
A minha alma espanta-se!
Quem elegeu esta maltrapilha para decidir da vida dos portugueses?
FOI VOCÊ QUE VOTOU NELES?
Senhor de Boliqueime a cadela da minha vizinha do 3.º Esquerdo também quer ser ouvida...
Agora com mais razão!
Até há um deputado eleito pelo partido dos animais…

Mais um fanico


Cavaco «anda» a fazer que faz e, não faz NADA!
Cavaco quer prolongar por mais tempo a «vidinha» do governo de gestão de um Coelho & Portas!
Os tristes acontecimentos em Paris só vieram «ajudar» a estratégia do senhor do Boliqueime!
Os órgãos de comunicação social, nomeadamente, as televisões esqueceram, propositadamente, o país.
Abrem e fecham a falar do mesmo: os ataques em Paris!
Só que esquecem-se que tudo isso, também é terrorismo.

O país está melhor? Então não está!


Portugueses são dos que mais horas trabalham por ano e menos ganham!
E é preciso fazer estudos para chegar a esta conclusão?
ACÉFALOS!
Deve ter sido objecto de tese de algum «relvas»!
A conclusão já não surpreende: Portugal é dos países da zona euro com o salário médio mais baixo, ocupando o 12º lugar entre quinze países analisados. Porém, é onde mais horas por ano são dedicadas ao trabalho. Esta é uma das conclusões que se pode retirar do relatório KILM da Organização Mundial do Trabalho (OIT) que reúne 17 indicadores sobre o mercado laboral em cerca de 200 países.
De acordo com o documento o salário médio em Portugal era de 1 094,7 euros em 2012, o último ano para o qual existem dados disponíveis.
Imaginem-se os valores de 2013, 2014 e 2015… ARRASADORES! Com os salários ROUBADOS E MAIS HORAS DE TRABALHO!
Comparando com os países da zona euro referidos no relatório, verifica-se que o valor é superior apenas ao da Eslováquia (888 euros), Estónia (887) e Letónia (685).
Por outro lado, o país da zona euro com o salário médio mais elevado é o Luxemburgo, com 4 171 euros, seguido da Finlândia, com 3 206 euros e da Bélgica, com 2 955 euros. Em quarto lugar está França (2 738 euros) e só em quinto surge a Alemanha (2 538 euros). Por sua vez, Espanha encontra-se dois lugares acima de Portugal, em décimo lugar, com um salário médio mensal de 1 883 euros.
Apesar dos salários pagos em Portugal serem dos mais baixos entre os países da zona euro, o relatório da OIT mostra que os portugueses são dos que mais horas dedicam ao trabalho anualmente. De acordo com o documento, em Portugal o número anual de horas trabalhadas por pessoa foi, em 2013, de 1 852, enquanto na Alemanha, por exemplo, se fixou em 1 363 horas. Um dos países da zona euro mais próximos a Portugal no que respeita a este indicador é a Estónia, que também acompanha no valor relativo aos salários. Já no Luxemburgo, que lidera a tabela dos salários da zona euro, trabalha-se menos 203 horas por ano do que em Portugal.

O PIOR DE TODOS

 
Quem vota num acéfalo lá sabe a razão!
TU CONSEGUES!
SE ATÉ UM PAROLO LÁ CHEGOU !

segunda-feira, novembro 16, 2015

Amendoins, Pistachos, Deus e Salgados

Enquanto debicava uns pistachos em frente à televisão, fui surpreendido com mais uma daquelas notícias que nos dão vontade de emigrar para Marte.
O «dono disto tudo», Salgado para os amigos, teve um aumento na sua reforma. Passou a dita, ou passará, para o triplo do valor, isto é, para a módica quantia de … 90 mil euros por mês! De acordo com um parecer da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões não há fundamento legal para os cortes impostos pela primeira gestão do Novo Banco às reformas dos antigos administradores do BES, estabelecidas ainda no tempo das vacas gordas e do forró financeiro que viria a desabar sobre todos nós. Quanto à questão moral subjacente, aí pelos vistos não há nem Autoridade nem Espírito Santo que nos valha. Só mesmo as cascas dos pistachos.
Para salgar ainda mais a coisa, a Procuradoria-Geral da República veio confirmar em comunicado que o Tribunal Central de Instrução Criminal decidiu reduzir a caução aplicada no processo Monte Branco ao ex-presidente do BES, de 3 milhões para 1,5 milhões de euros.
Porventura contaminado pelo espírito beato do novo e fugaz ministro da Administração Interna - o tal que atestou a idoneidade de Ricardo Salgado aquando da história da prenda dos 14 milhões de euros e mais tarde invocou Deus e os demónios – só me ocorre que afinal haverá outras explicações para a generosa e milionária reforma.
De facto, geralmente associo estas peripécias de um país campeão das desigualdades à palavra obscenidade, no sentido pornográfico e vulgar do termo. Mas agora, depois de Albufeira e do beato das botas altas, percebi finalmente, quiçá por inspiração divina, que o ministro da Administração Interna afinal tem razão. Deus nem sempre é nosso amigo e não será seguramente amigo dos lesados do BES e de todos os outros lesados, os portugueses. Mas Deus é pelo menos amigo de Salgado. De resto, esta deve ser uma amizade profunda. Pelo menos tem perdoado a Salgado todos os seus pecados. Talvez seja tudo responsabilidade do Espírito Santo e Calvão da Silva, o tal ministro das botas para chafurdar na lama, nos tenha sido enviado como se de um redentor se tratasse, só para nos ajudar a compreender este tipo de divinas singularidades.
Não tenho dúvidas de que Ricardo Salgado, com Deus e o Espírito Santo a jogarem na sua equipa, se vai safar desta história. E que eu, como tantos outros, pagarei o dízimos de todas estas loucuras. Por isso, meus amigos, uma coisa já eu percebi. Os pistachos já eram. A partir de agora só dará mesmo para amendoins. De preferência com piripíri. É a única forma de evitar mais salgados. Ou Salgados, por amor de Deus...
 
(Crónica no jornal O Interior - 11 de Novembro 2015)

sábado, novembro 14, 2015

Mais um slogan a cair....

O país vai bem e recomenda-se?
CLARO…
Os nove bancos que participaram este ano nos testes de 'stress' do Banco Central Europeu (BCE) apresentaram falhas de capitais acumuladas de 1741 milhões de euros, sendo que 80% são atribuídas ao português Novo Banco.

O POVO É SERENO!

Um eunuco é sempre um eunuco

Um tal António Barreto vem hoje para a comunicação social despejar mais lama, no pântano em que caiu a política portuguesa.
Diz o Barreto que: «Em Portugal parece que estamos sempre na Idade da Pedra»!
Será que o sociólogo em questão não conhece ou finge desconhecer a realidade portuguesa?
Grave, muito grave!
Mas logo a seguir o Barreto esclarece todas as dúvidas ao dizer que «este acordo (PS, BE, PCP E PEV) é monstruoso e absurdo».
Percebe-se a alusão à Idade da Pedra!
Ou para o Barreto era preferível a Idade Média?
É que a seguir esclarece ainda com mais acutilância que «O PSD merecia um pouco mais de respeito»!
Brilhante conclusão senhor Barreto!
E, já agora, onde fica o respeito pelos portugueses?
Pois é, na carteira ou no depósito bancário…
Nunca considerei um Barreto e este em especial!
Continuo a achar que nos momentos chave aparecem sempre uns malabaristas a inverterem o rumo da História!
Ou pelo menos a tentarem…

Barreto vai dar banho à toupeira! 

sexta-feira, novembro 13, 2015

Imprensa de cano de esgoto


A imprensa cano de esgoto continua a «inventar» e a alimentar o ego do PàF.
Ouvi um desses jornalistas, que defendem com unhas e dentes o bacalhau que lhe escapa por entre os dentes, dizer que o PS não sabe explicar onde vai buscar o dinheiro da reposição dos salários da função pública e das reformas!
Ora um tal de Portas veio dizer que os aumentos do PS são inferiores aos que a PàF proponha… mas, aí o comentador de esgoto nada questiona!
Esquece-se o comentador do esgoto que o PS tem um plano macroeconómico. A PàF não tem nenhum plano logo sem justificação nenhuma para QUAISQUER AUMENTOS!
Os aumentos da PàF deviam ser iguais aos cortes que um candidato a primeiro-ministro NEGOU que alguma dia faria.
Há cada acéfalo!
BARDAMERDA E CALADINHOS!

terça-feira, novembro 10, 2015

Ponto de Vista


Se me dissessem que um dia se assistiria à peixeirada política e mediática em que se transformou a discussão sobre a legitimidade de um governo com apoio à esquerda, nunca teria acreditado. Tendemos, de forma quase natural e despreocupada, a aceitar como garantido - decorridos que estão mais de 40 anos após o 25 de Abril - que todos compreendem os fundamentos e os mecanismos que fazem trabalhar a máquina da democracia. Mas, de facto, percebo-o agora, não é bem assim…

A possibilidade de uma deriva dita “estalinista” ou “frentista” do arco da governação não veio, ao contrário daquilo que se possa pensar, inquietar uma imensa direita. Essa direita já há muito que andava inquietada pela impossibilidade de reverter totalmente aquilo que considera em silêncio como a mais perigosa e abjeta das coisas: a conquista de direitos sociais à custa de uma revolução que um dia a apeou liminarmente do poder.

Se dúvidas houvesse é só atentarmos nas repetidas e intencionais investidas sobre a Constituição durante os últimos 4 anos. Tenho a certeza de que nenhum clube de futebol ou de qualquer outro desporto detém a nível mundial um record de vitórias tão assertivo quanto o das pafiosas tentativas de subversão da suprema lei do país.

Esta direita de que falo odeia tudo. Odeia os comunistas que comem criancinhas ao pequeno-almoço. Odeia a possibilidade de alternativas. Odeia quem pensa diferente. Odeia os russos. Odeia os cubanos, os norte-coreanos e os ladrões de courelas. Odeia os drogados e os mal-vestidos. Odeia o que não seja cristão e os refugiados. Odeia o PREC. Odeia os pobres e o que não seja do extremo. Mas odeia também os ricos que sejam diferentes. Odeia a Constituição e por vezes até odeia a Nação. E só não se odeia a si mesma porque quando lá chega já gastou o ódio todo.

Esta direita é tão imaterial que nem aparece nas votações. Mas anda por aí, bem escondidinha nos partidos. E nos comentadores e entrevistadores do sistema, aquelas peças da engrenagem que, à custa do óleo certo, vão lubrificando a máquina da propaganda e da inevitabilidade dos resgates e das austeridades. E de tudo o que for preciso.

Esta direita não reparou, ou nunca quis reparar, que há países da Europa em que, por exemplo, o 1.º ministro pertence ao 5.º partido mais votado. Ou em que o CDS lá do sítio já foi obrigado a governar com o BE lá do sítio. E que esses países não são menos democráticos do que o nosso.

Essa direita, se pudesse, já tinha desenterrado as mocas de Rio Maior ou incendiado umas quantas sedes do PCP e do BE. Ou enchido a Alameda numa Marcha de Caçarolas perfumada a Chanel nº 5. Já tinha mandado para o Tarrafal das Berlengas os seus inimigos políticos. E enchido o Estádio Nacional de comunas, esquerdalhos e socialistas tresmalhados. Se isso não resultasse, teria ressuscitado Salazar. Mas o problema é que não pode. E não pode porque simplesmente não consegue.

A pergunta que fica é “porquê”? Porquê este ódio à democracia? Porquê esta raiva e intolerância? Porquê este desespero? Eu acho, na minha humilde simplicidade, que é a força do hábito. Isto é, esta direita de que falo está há 40 anos no poder. Ou antes, nem precisa de lá estar. É uma direita a quem basta ser, sem se revelar. E quem assim é, não gosta de perder.

Pese embora a minha profunda descrença na natureza humana e o arrasto de desesperança com que carrego a minha ideia sobre o futuro, há sobretudo uma coisa que já percebi que esta direita nunca aceitará: o direito dos outros a falhar. Ela pode tudo, até isso. Os outros, nem sequer isso.

Esta direita sabe, melhor do que ninguém, que quanto maior o poder, mais perigoso é o abuso. E agora teme simplesmente que seja ao contrário.

A relação desta direita com o poder traz-me à memória uma expressão famosa: “O poder só pode agradar aos tolos ou aos predestinados. Os tolos desejam-no pelas vantagens que dele esperam. Os predestinados gozam-no pelo que para eles representa”. O curioso é que quem proferiu esta afirmação se chamava António de Oliveira Salazar.
Muito bom dia a todos.

(Crónica na Rádio F - 9 de Novembro 2015)