quinta-feira, abril 30, 2015

Navio ao fundo e....


Assim que um navio começa a meter água, os ratos do porão procuram a FUGA!
O padre Lino Maia assegura que apenas dá "apoio moral e espiritual" aos dirigentes e utentes da Obra Diocesana de Promoção Social do Porto, que está a ser alvo de buscas por suspeitas de fraude.
"Não sou dirigente, sou apenas assistente eclesiástico. Nessa qualidade, dou apoio moral e espiritual, nomeadamente aos dirigentes da Obra, mas não tenho qualquer interferência na gestão", afirmou o presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade.
Claro, então não?
Mas quem disse o contrário?
As buscas realizadas pela Polícia Judiciária e pela Inspecção da Segurança Social foram motivadas por uma denúncia, que acusa a Obra Diocesana do Porto de ter inflacionado o número de utentes a frequentar as diferentes valências da instituição, como a creche ou o centro de dia, para dessa forma obter mais financiamento do Estado.
Sabes papa Francisco não é só a pedofilia que corrompe a Igreja Católica Apostólica Romana!
O vil metal é outro cancro!
Bem o sabeis, através do que se vai passando pelo Banco Ambrosiano!
É A GULA NA VERDADEIRA ACEPÇÃO DA PALAVRA!
TAMBÉM ELA PECADO MORTAL, NÃO É PAPA?
Ainda querem as IPSS's a decidir casos de crianças em risco?
POIS CLARO!
Ó MOTINHA VAI .... A PÉ!

Um AVISO


Agora que já se começa a vislumbrar, ao fundo do túnel, uma luzinha, ténue, bem sei, mas que não me parece outro comboio em sentido contrário.
Seria altura do Ministério Público começar a investigar mais uns casos…dos chamados ROUBOS, CORRUPÇÕES ACTIVAS E PASSIVAS a muita instituição que por aí se instalou, comodamente, e distribui gratificações em géneros e outros bens perecíveis ou não e, principalmente dinheiro que enchem sacos, baldes e outros meios de transporte dos roubos.
Depois aparecem os beneméritos a queixarem-se que não há dinheiro…
Claro, foi-se na romaria à Senhora do Coito e à Senhora dos Prazeres…
E, já que estamos em maré cheia que tal investigarem certos lares, certas instituições de cuidados a idosos e a menos idosos e verificarem como certas pessoas de bem ali estão instaladas, bem instaladas por sinal, à custa do dinheiro ROUBADO aos contribuintes.
Haverá por aí muitas casas de certas «damas», que se julgam donas de tudo isto, que recebem, por baixo da mesa, avultadas somas…
Institucionalização no lar A, 500 euros no lar B 1000 euros!
Pois é…
Investiguem como certos funcionários têm casas, carteiras e contas bancárias bem recheadas!
Investiguem.
Melhor, leiam as várias centenas de denúncias que num caso, da distribuição de foguetes aos mordomos e, no outro, o da «Segurança» por aí vão crescendo e … florindo!
HAJA CORAGEM!
Pedir muito?
Não me obriguem a vir para a rua GRITAR, é já tempo de ZARPAREM…
Mas sem perdões!    

O dia da raça


Este ano, Cavaco trocou as voltas ao calendário e vai de comemorar o dia da raça sempre que algum dos amigalhaços da C.ª está em apuros…
Quem sabe, se na hipotética ida ao tribunal, assentar o cú no mocho, a coleira não servirá para atenuar os crimes cometidos.
Nem de propósito, ontem o tal (padre) Maia, «dono» das IPSS’s do país, o tal que um dia disse que com ele o governo negoceia de joelhos, foi agraciado com a coleira pelo Cavaco!
Hoje, tem à porta da sede da «confraria das IPSS’s» a judiciária, a Segurança Social e outros…
Tudo a mando do Ministério Público…
Como sempre suspeitas de…
Olha se tem sido ontem quando estavas a receber a coleira, lá se ia o beija-mão à múmia!
Depois das coleiras a Bavas & C.ª sucedem-se outros ilustres figurantes...
Onde irá parar tamanha rebaldaria?

As «buscas»



Esta «operação» faz-me lembrar, vá-se lá saber a razão, o que a polícia americana fazia aquando da lei seca.
Anunciava, e fazia-se anunciar, na captura de milhares e milhares de garrafas de álcool apreendido em acções policiais.
A comunicação caia que nem rato na ratoeira e fazia altas parangonas sobre o feito.
Veio-se a descobrir mais tarde que tudo, mas tudo, era encenação…
A mim cheira-me ao mesmo…
Desde que um deputado, eleito por Braga, ter beneficiado, durante anos, de subsídio de alojamento, por estar «deslocado» da sua santa terrinha, nas funções de parlamentar, vindo-se a saber mais tarde que o senhor possuía casa própria em Lisboa!
E que o mesmo parlamentar, num acto de verdadeira e genuína entrega à causa da justiça, solicitou o levantamento da imunidade parlamentar, dadas as suspeitas de envolvimento no caso dos vistos Gold!
E que, contra a sua deliberada vontade, os seus correligionários, numa atitude de desfeita, o IMPEDIRAM de obter o levantamento tão desejado e almejado pelo putativo senhor.
O que não se faz!
Sinceramente não se faz!
De todo condenável… não respeitando a vontade deste paladino da transparência e do bom comportamento social…e desprendimento total, das coisas materiais...
Agora surgem notícias que três ministérios foram alvo de «buscas» por parte da judiciária…
Cá para mim, tudo isto tem a ver com o «marquês»!
Não é o marquês de Pombal!
Nada disso!
É o marquês de Vilar de Maçada!

Saia comprida?

Uma jovem é proibida de ir à escola por usar saia comprida!
Mas, lá na terra do acéfalo do François … Holland é proibido ir à escola de saia comprida?
E ir de mini-saia?
Ó François e se fosses dar uma volta na lambreta?
A jovem é impedida de ir à escola pelo facto de ser MUÇULMANA!
ESSA A VERDADE, SEUS HIPÓCRITAS!

Perdões dos pendões


É só perdões…
Os pendões são mais que muitos!
Perdoam as VIGARICES dos poderosos!
Perdoam as multas fiscais pela fuga de capitais!
Perdoam as não declarações de mais-valias, de enriquecimentos ilícitos, das heranças dadas e obtidas pela subserviência aos poderes!
Perdoam tudo aos GATUNOS!
Fazem vista grossa e ouvidos de mercador às feitorias da agiotagem!
E… por fim…
MORREM AS VACAS FICAM OS BOIS!
É SÓ PENDÕES NOS CORNOS DO BODE!
Este Núncio nunca me enganou...
Tem pinta!

Mais um...

 

Porque será que há TANTOS candidatos a Belém?

VIDA BOA!
Todos os portugueses com mais de 35 anos deviam ser OBRIGADOS a candidatarem-se...e, em especial os sem-abrigo!
Era o fim...da picada!
 
 
 


quarta-feira, abril 29, 2015

O Cinismo dos Valores

Cada vez mais desesperado. 
Olho, olho, e só vejo negrura à minha volta. 
Fé? Evidentemente... 
Enquanto há vida, há esperança — lá diz o outro. 
Mas, francamente: fé em quê? 
Num mundo que almoça valores, janta valores, ceia valores, e os degrada cinicamente, sem qualquer estremecimento da consciência? 
Peçam-me tudo, menos que tape os olhos. 
Bem basta quando a terra mos cobrir! 
— Ah! mas a humanidade acaba por encontrar o seu verdadeiro caminho — dizem-me duas células ingénuas do entendimento. 
E eu respondo-lhes assim: Não, o homem não tem caminhos ideais e caminhos de ocasião. 
O homem tem os caminhos que anda. 
Ora este senhor, aqui há tempos, passou três séculos a correr atrás dum mito que se resumia em queimar, expulsar e perseguir uns outros homens, cujo pecado era este: saber filosofia, medicina, física, astronomia, religião, comércio — coisas que já nessa época eram dignas e respeitáveis.

Miguel Torga, in "Diário (1942)" 

A propósito, Cavaco condecorou instituições e personalidades que, na opinião do dito contribuiram para a solidariedade social.
Cavaco igual a si próprio!
Primeiro pontapeou a língua portuguesa, agora não com os «cidadões» mas com um sujeito em falta de concordância com a forma verbal.
IGUAL A SI PRÓPRIO!
PAROLO!
Depois por que ao condecorar as tais putativas figuras e figurantes, esqueceu-se de mencionar o dinheiro que cada uma recebe dos contribuintes portugueses, não para realizarem solidariedade mas antes a caridadezinha!
«As distinções sociais só podem fundar-se na utilidade comum» - Artigo 1.º Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão, 1789.
Não entendes múmia!
A campanha eleitoral já começou!
Venham de lá esses votos dos lares, centros de dia, cuidados continuados que a mão caridosa nunca lhes vai faltar.
Ámen!

Quem sou?

"Eu somos tristes. 
Não me engano, digo bem. 
Ou talvez: nós sou triste?
Porque dentro de mim não sou sozinho. Sou muitos. E esses todos disputam minha única vida.
Vamos tendo nossas mortes. 
Mas parto foi só um. 
Aí, o problema. 
Por isso, quando conto a minha história me misturo, mulato não de raças, mas de existências.”

Mia Couto, Vozes Anoitecidas (1987, pág. 23)

O Insólito


Logo a seguir ao 25 de Abril de 74, surgiram as greves nos vários sectores. Era a manifestação de um povo trabalhador contra as condições de trabalho, pela melhoria salarial e nalguns casos por muitos patrões (era assim que se chamavam aos empresários) abandonarem as empresas e fugirem com o capital para parte incerta, deixando os trabalhadores numa situação difícil. O que obrigou a que no chamado PREC (Processo Revolucionário em Curso) terem existido algumas (poucas) empresas em auto gestão uma experiência mal sucedida dados os constrangimentos económicos e financeiros colocados às estruturas empresariais.
Mas, logo aí, começaram a surgir, como cogumelos, os chamados fura-greves que para além de estabelecerem a confusão com os piquetes de greve, com recurso à força, à intimidação usavam, muitas vezes, a conversa da treta do desemprego, junto dos trabalhadores menos esclarecidos, para os persuadirem de não fazerem greve.
Todo este movimento do contra culminou com a célebre querela da unidade e da unicidade, do surgimento de sindicatos feitos com os vários poderes e, culminando na constituição da UGT.
Logo, quando ouço que surgiu uma manifestação contra uma greve, neste caso dos pilotos da TAP, para quem já atravessou o antes do 25 de Abril, o PREC, o 25 de Novembro e a era neoliberal dos vários governos do arco do poder, nada, mas mesmo nada, me espanta.
No entanto, gostaria de saber o que fizeram os manifestantes do contra, quando ano-após-ano a empresa tem vindo a acumular prejuízos, em cima de prejuízos, que atingem já o valor de mais de 800 milhões de euros sem que o principal accionista – O ESTADO PORTUGUÊS – representado pelos sucessivos criminosos governos não ligou NADA!
Já se percebeu que calaram!
Assim como calou a máfia governamental que «trabalhou» para a falência da empresa, para que hoje se venda ao desbarato a um qualquer chinês que por aí apareça!
Mas isso não lhes interessa discutir.
Se houvesse uma Assembleia da República, um Presidente da República, uma Procuradoria-Geral da República ou um qualquer tribunal que avalia-se os dolos que os governos provocaram na empresa, com um objectivo ÚNICO: VENDEREM. Então aí estaríamos de facto, e por facto, num regime de verdadeira democracia, onde os sucessivos governos deveriam ser acusados de conduta danosa e gravosa.
Como não há…
No entanto, vou ficar atento a alguns desenvolvimentos interessantes que venham acontecer
É que há um cheiro a ácido no ar...

À IMAGEM E SEMELHANÇA


O executivo municipal da Guarda discutiu e votou a prestação de contas da Câmara relativo a 2014.
O documento mereceu a abstenção dos dois vereadores socialistas e a aprovação dos restantes cinco elementos do executivo.
De acordo com o documento, a dívida total reduziu de 51 milhões 840 mil euros (1 de Janeiro de 2014) para cerca de 42 milhões 302 mil euros (31 de Dezembro de 2014).
Importa saber como foi conseguido o dito milagre financeiro.
QUEM CABRITOS VENDE E CABRAS NÃO TEM, DE ALGUM LADO LHE VEM!
O executivo camarário da Guarda pratica ipsis verbis a política do governo da Nação liderado por Passos & Portas.
Aumento desmesurado dos impostos sem que ninguém manifeste qualquer contestação.
Ninguém OUSA dizer que o rei, nas suas actuações circenses, vai nu.
E vai completamente nu.
Aumentaram desmesuradamente o custo da água.
Aumentaram desmesuradamente o IMI. Atingiu a taxa máxima, mesmo com os votos favoráveis daqueles que dizem a plenos pulmões, «agarrem-me que lhe bato»!
TUDO FINGIMENTO!
HIPÓCRITAS!
Os interesses são mais que muitos!
E, para completar o ramo das urtigas dos impostos aumentaram taxas e taxinhas…
A somar a tudo isto, subtraíram apoios sociais a pessoas, a instituições e a organismos mantendo apenas, e tão só, os que aos apaniguados correligionários tanto importam, para conservar e encher os tachos.
Assim, tudo é mais fácil… até enganar burros!

A salvo de qualquer suspeita


São todos do PSD, do Governo da maioria PSD/ CDS-PP e, saltitam «alegremente» de nenúfar em nenúfar entre o Governo e a empresa e a empresa e o Governo depois do activismo para que o chefe tivesse chegado a chefe do Governo, mas o negócio foi entre "o Estado e Salvador Caetano".
É FARTAR VILANAGEM!
ESMAGUEM OS TRISTE POBRES PORTUGUESES QUE TUDO ACEITAM!
CONSENSOS?
BARDAMERDA!

terça-feira, abril 28, 2015

Ponto de Vista

Quando vejo, leio e ouço louvores quase unânimes à comissão parlamentar de inquérito ao caso BES, fico preocupado.
Não porque se tenha tornado um lugar-comum afirmar que a comissão fez o seu trabalho o melhor que pôde e que soube. Mas sim porque, de facto, a comissão limitou-se a fazer aquilo que lhe deixaram fazer.
E por isso, a montanha, se não pariu um rato, andou por lá perto. É que as conclusões confirmam apenas os piores receios que já tínhamos. O rato, esse, a bem dizer, continua à solta.
Ricardo Salgado, apesar de ser considerado internacionalmente o pior gestor do mundo depois de Robert Madoff, continua a comportar-se em Portugal como um rei com dois olhos em terra de cegos.
Num escândalo com a dimensão que se conhece, que causou à sociedade danos de milhares de milhões, porque não há ainda contas congeladas ou património confiscado? E sabendo-se que o Estado está sempre um passo atrás das manigâncias financeiras, mundo obscuro onde é facílimo esconder ou manipular números, por que razão não há ainda gente detida?
Ou isso só vai acontecer quando tiverem desaparecido todas as provas?
Não é assim de estranhar que sejam cada vez menores as esperanças de virmos a conhecer uma explicação credível para tudo o que aconteceu…
Ricardo Salgado conseguiu sair de todo este caos tão ou mais rico do que antes, livrando-se pelo meio dos graves problemas penais que enfrentaria noutros países.
Foi ao Parlamento depor e aí discursou com sobranceria, desprezando os deputados e os lesados de mais este escândalo financeiro, conseguindo nada esclarecer.
Mas não foi o único.
Zeinal Balva, outro artista do circo, conseguiu reduzir a comissão a um bando de principiantes!
A pergunta que emerge, perante tudo o que se passou, é: que trunfos terão Salgado, Bava e outros, para poderem agir com tanta arrogância e impunidade?
Ficaram por fazer perguntas cirúrgicas, destinadas a clarificar o papel de certos atores da política e da Administração Pública.
Continuamos sem perceber como foi possível o BES ter transferido para Angola três mil milhões de euros, na maior operação de fuga de capitais que se conhece, mesmo debaixo do nariz do Banco de Portugal.
E sem saber qual o papel desempenhado neste escândalo pelas pessoas que, no governo, autorizaram o abate ilegal de sobreiros para viabilização do negócio imobiliário da ‘Vargem Fresca’, uma das jóias da família Espírito Santo…
Continuamos também a desconhecer a identidade dos portugueses subornados aquando da compra de submarinos intermediada pela ESCOM.
Ou o teor da intervenção do ex-ministro Miguel Relvas na privatização da EDP e qual a sua ligação ao BES.
Ou as verdadeiras razões para ter sido o BES a financiar os estudos de Durão Barroso em Georgetown.
Finalmente, continua por explicar convincentemente o papel desempenhado pelo BES nas muitas parcerias público-privadas, tão ruinosas para o Estado e para o futuro dos nossos filhos e netos.
E se perguntarmos para onde foi o dinheiro proveniente de tanto negócio obscuro, então é que nos apercebemos de como tanta coisa ficou por explicar.
Perante uma Comissão Parlamentar de Inquérito obsequente, Salgado fez o seu número.
As perguntas pareciam escolhidas por si. Assumiu um ar professoral e usou os deputados como figurantes das suas manobras para influenciar e manipular a opinião pública.
Só poderia haver uma razão para Salgado para ter sido permitido agir deste modo: ter poder, muito poder, ter na sua lista de pagamentos – em avenças, favores, prebendas, empréstimos sem garantias ou outros privilégios – muitos políticos e seus familiares…
A esta situação a que chegámos assentam que nem uma luva as palavras de um livro intitulado “Como se Levanta um Estado”. Oiçam só: “E como é da essência mesma do poder procurar manter-se, haverá sempre um número mais ou menos grande de princípios que o poder não deixará discutir, isto é, a propósito dos quais a liberdade não existe”.
Nem de propósito, o autor do livro chamava-se António de Oliveira Salazar…
Tenham um muito bom dia.


(Crónica na Rádio F – dia 27 de Abril de 2015)

Para quem tem neurónios


A VERDADEIRA FRAUDE

 
Assim se enganam os tolos!
Dizerem que a economia portuguesa está a crescer é UMA ALDRABICE!
UM EMBUSTE!
Uma cenoura à frente do burro!
Como se pode falar em crescimento da economia com salários de MISÉRIA!
Salários de MISÉRIA para muitos, para outros MILHARES, como é o caso do presidente da RTP!
HAJA DECÊNCIA E RESPEITO PELA INTELIGÊNCIA DAS PESSOAS!
Crescimento à custa de salários de miséria, até o Botão consegue!

RIDÍCULO


Já se sabia que eram ACÉFALOS!
Agora ficou-se a saber que são RIDÍCULOS!
Tudo a propósito!
Já tínhamos escrito que não acreditávamos, num única palavra, nas intenções do governo, em proibir o consumo de álcool a jovens!
OS INTERESSES SÃO MAIS QUE MUITOS!
CERVEJEIRAS DO PIRES DOS TREMOÇOS E OUTROS QUE TAIS!
Vai daí, não é que um secretário de Estado Adjunto da Saúde, Fernando Leal da Costa, vem dizer esta coisa que, com toda a franqueza, julguei que apenas poderia ser proferida por cretinos: «A nova lei proíbe a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos, mas não o consumo»!
ISTO MESMO!
Mas, esta corja julga que somos todos acéfalos?
Oiça lá ó «Nandinho da Costa» não és secretário das pocilgas, vacarias ou afins, NÃO!
És secretário da saúde!
Então na tua douta opinião a saúde dos jovens ficará mais em perigo na compra ou no consumo?
Pelos vistos será pior a venda do que o consumo!
PATÉTICO!
Isto é PATÉTICO!
Ou seja, para estes patetas o jovem que não tem dinheiro para a bebida ou, como não a pode comprar porque é proibido, então ROUBA-A e, depois já pode consumir!
EXTRAORDINÁRIA MEDIDA!
BRAVO!
APLAUDAM SEUS CRETINOS QUE SE REVEEM NESTES ASININOS!
APLAUDAM!
IMBECIS!
Podem-nos chamar de estúpidos, só não quero que acreditem que somos!

O «estado de sítio»


Com o corte dos apoios socias, com uma segurança social que, de segurança apenas serve para garantir os TACHOS à corja, incompetente que vai sendo nomeada por um governo de parasitas; de social só tem o facto de TODA a gente incompetente, acéfala e lambe botas por lá pastar. 
Com todo este «aparelho» só podia dar no estado sítio que se vive.
Ao que isto chegou!
A DEGRADAÇÃO SOCIAL É ENORME!
MÃES A PROSTITUIREM AS FILHAS?
MAS AFINAL O QUE FAZ A CORJA DE INCOMPETENTES DA SEGURANÇA SOCIAL, DO GOVERNO E RESTANTE CAMBADA?
As «damas» das assistentes (?) sociais, da dita «casa», ao apresentarem-se no terreno com as unhas pintadas, casacos de pele, botas de cabedal assemelham-se a rameiras de carrinhos de choque… 
Só para impressionar...
O resto fica debaixo da roupa, num corpo andrajoso e sebento, tal como a consciência de NADA TEREM FEITO!  

sábado, abril 25, 2015

25 de Abril de 2015

A Assembleia da República repete, ano após ano, o mesmo cerimonial para com o 25 de Abril.
PATÉTICO!
Ano após ano os mesmos discursos, as mesmas promessas, os mesmos compromissos variando, de vez em quando, os protagonistas…
O resto tudo igual…
Se, uma qualquer televisão emitisse a cerimónia de outros anos … era exactamente o mesmo!
Lá estariam os HIPÓCRITAS de cravo vermelho ao peito!
Lá estaria uma múmia a apelar a consensos!
Mas que consensos?
Os consensos que, há menos de 24 horas, quiseram impor à comunicação social, amordaçando-a, restringindo o direito à opinião? O consenso de uma lei, que ao ser aprovada seria a continuação, ainda mais absurda e arrogante, de impor o «visto prévio», a CENSURA?
Não tivesse sido a pronta e imediata reacção dos portugueses nas redes sociais e hoje teria dado entrada na Assembleia dos bacocos, um projecto de lei para nos restringir ainda mais a pouca liberdade que ainda vamos tendo.
SIM, A LIBERDADE QUE HOJE TEMOS ESTÁ CADA VEZ MAIS COAGIDA, IMPOSTA POR DITAMES CONSENSUAIS!
Mas quem és tu para falares em nome do povo português?
QUEM ÉS TU?
És um, de entre os que apoiam, incondicionalmente, quem governa contra o povo!
És um falso que calas quando há milhões de portugueses na fome, na miséria, a morrer, sem cuidados, nas urgências, sem medicamentos, sem educação, sem emprego, com salários abaixo do limiar da pobreza, com os poderosos a encherem a pança, a cometerem os mais horrendos crimes e a serem condecorados, com roubos e mais roubos sem que sejam, sequer, constituídos arguidos.
E VENS FALAR DE CONSENSOS?
És um que juraste cumprir e fazer cumpri a Constituição e renegaste de imediato o juramento!
És, por fim, alguém com uma popularidade, entre os portugueses, das piores que há memória.
COMO TE ATREVES A FALAR EM NOME DOS PORTUGUESES?
EU NÃO VOTEI EM TI.
Mas, sujeitei-me à vontade de menos de metade da população portuguesa que votou.
Mas, não te outorgo o direito de falares em meu nome.
TENHO AINDA ESSE DIREITO!
Não és, nunca foste, o presidente de todos os portugueses.
FOSTE, ISSO SIM, O PRESIDENTE DE UMA CASTA DE MALFEITORES!

Cravos vermelhos ao peito, ficam bem a certos filhos ….

sexta-feira, abril 24, 2015

Magnífico


Dizem que é uma das melhores estradas do mundo, ao nível do seu traçado.
Talvez pelo facto de acompanhar o curso do rio.
Para além desse facto, há a paisagem de socalcos, traçada pelas mãos do Homem, em pleno coração do Alto Douro vinhateiro, Património Mundial da UNESCO, ajuda, claro, ao relaxamento.
Com um total de 93 curvas, distribuídas ao longo de 27
quilómetros, não falta sequer uma ligeira sensação de montanha-russa, com uma sequência de subidas e descidas curtas já depois
da passagem da foz do Távora, e na aproximação à vila do Pinhão.
É realmente fantástica para uma condução divertida e desportiva.
Também matemática e fisicamente falando é, comprovadamente, uma estrada que dá prazer fazer. A equação é complicada, mas o resultado é simples: nenhuma via dá tanto prazer de condução como estes 27 quilómetros no Norte de Portugal.
Depois de muitos cálculos, os especialistas concluíram que o traçado da Estrada Nacional 222, entre a Régua e o Pinhão - um percurso ao longo da margem esquerda do Douro - é o que mais se aproxima do modelo ideal para conduzir.
É que o Douro, esse, pode não perceber nada de fórmulas matemáticas, mas oferece emoções e paisagens de cortar o fôlego a quem corta o vento junto às suas margens.
Já para não referir também a generosidade do vale na hora de produzir um dos melhores néctares dos deuses.
Do que está à espera?
Salte daí e venha conhecer a melhor estrada do mundo…
Se quer matemáticos quer físicos o dizem, venha daí e BOA VIAGEM!
E, já agora, aproveite e prove do que há de melhor ao nível da gastronomia do nosso país, acompanhando sempre com bom vinho da região.
Fica um conselho, procure restaurantes simples e vai ver que não se arrependerá e, quanto ao vinho, compre um garrafão do vinho do produtor e vai ter um dos belos prazeres da vida.
Bom fim de semana!  

E...o inteligente disse....


E, de repente a música parou!
O baile ficou suspenso!
A comissão parlamentar de Ética recusou, por unanimidade, levantar a imunidade parlamentar do deputado Miguel Macedo, revelou o seu presidente, explicando que o ex-ministro da Administração Interna não é arguido nem testemunha em nenhum processo.
TUDO MUITO BEM ESCLARECIDO!
Gosto, particularmente, da «unanimidade»!
Francamente, GOSTO!
É uma assembleia portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma assembleia portuguesa!
Com pão e vinho sobre a mesa!
E o povo na pobreza!
É uma assembleia à portuguesa!
Toque-se o hino!
A BEM DA NAÇÃO!

É por estas...


 
Soares não vai ao 25 de Abril.
"Ouvir discursos do Presidente da República não é comigo".
O ex-chefe de Estado continuará ausente das cerimónias oficiais, evitando assim cruzar-se com Cavaco e Passos.
Estas posições constituem os tais 10%, e só isso, da consideração que Mário Soares me merece.
Estamos conversados!

Imposição dos poderes instalados

 
Já por diversas vezes aqui o temos referido: ESTAMOS NA ERA DA PLUTOCRACIA!
Esqueçam essa coisa chamada Democracia.
Quando os poderes instalados querem que tudo pareça «democrático» lá convocam eleições, a farsa que dá cobertura a TUDO e, depois do voto depositado na urna quem manda é o Deutsche Bank, o Banco Europeu ou os tecnocratas, que ninguém elegeu, e que ROUBAM a BEM ROUBAR vencimentos, mordomias, regalias e outras coisas terminadas em «ias»!
Agora, imagine-se a troika portuguesa PSD+PS+CDS decidirem, «unilateralmente», impor as suas leis, no que à cobertura das eleições diz respeito à comunicação social.
A «nova lei» determina que os media terão que apresentar planos prévios de cobertura das campanhas eleitorais a uma comissão.
Mas quem serão os novos censores e decisores da dita «comissão»?
Ninguém sabe!
Sabem eles, os promotores da palhaçada!
E, quem não cumprir PAGA SANÇÕES PESADAS, ameaça a troika!
Sempre a punição, até naquilo que deveria ser livre e… já agora democrático!
Mas, já se percebeu a intenção de tal lei da troika portuguesa. Os comícios, acções e restante circo que venha a ser coberto pela comunicação social, vão ter de tudo, autocarros, arruadas cheias de gente paga, pastéis de bacalhau, ovos verdes, «joaquinzinhos da horta», punhetas de bacalhau, secretos de porco e… o garrafão do tinto e do branco à descrição…
Não faltarão as fotografias e os planos preparados e NUNCA se irá ver um Portinhas com uma chouriça entalada na garganta, ou um Coelho com o grelo preso aos beiços ou, ainda, um Costa a mastigar farinha de milho…
Não!
Esqueçam aquela triste figura de um Cavaco a comer bolo-rei, sofregamente, como se nunca tivesse comido tal coisa…
Acabaram-se os únicos momentos hilariantes e interessantes de uma campanha…
Mas, qual a razão pela qual esta corja não fala verdade…
VOTAR?
Deitar o papel da urna?
Se quem manda é o Deutsche Bank, o Banco Europeu e os parolos dos tecnocratas de Bruxelas?
Para irem à gamela?
É FARTAR VILANAGEM!
QUE BOM QUE É ,TER UM LUGAR NO BALCÃO DO CINEMA...
ATÉ VER!
 

quinta-feira, abril 23, 2015

Ponto de vista

O edifício do antigo Hotel Turismo da Guarda volta a ser notícia. Depois de falhado o projeto megalómano de transformar o Hotel Turismo em escola de hotelaria, eis que se anuncia a venda em haste pública do imóvel por 1,7 milhões de euros, pouco mais de metade dos 3,5 milhões que custou ao Estado. Ou seja, os contribuintes portugueses vão ter de pagar ainda cerca de 1,8 milhões de euros. Eu explico.
Depois de se afirmar como uma unidade hoteleira de referência na região e um ex-libris da cidade e do concelho, ao longo dos anos assistiu-se à degradação do Hotel Turismo por vicissitudes várias. Desde logo pela concessão a várias empresas que apenas tinham como objetivo tirar proveito da história e pergaminhos da unidade. Mas também porque para alguns quanto pior melhor, para dar espaço ao surgimento de unidades concorrentes.
Foi em 2010 que a Câmara Municipal da Guarda assumiu a gestão e exploração do Hotel Turismo, para, ainda nesse mesmo ano, a pretexto do estado de degradação em que se encontrava, o encerrar e vender ao Instituto de Turismo de Portugal pela quantia de 3,5 milhões de euros, com a alegada finalidade de ali ser instalada uma escola de hotelaria e turismo. Dizia-se então que a escola seria especializada em saúde e bem-estar dando resposta às necessidades formativas do sector turístico da região, contribuindo para a criação de emprego qualificado e para a melhoria dos serviços, em linha com os objetivos do Plano Estratégico Nacional do Turismo. Com a abertura anunciada para 2016, a nova unidade representaria um investimento de cerca de 12 milhões de euros. A escola projetada para 200 a 250 alunos estenderia a sua ação igualmente ao domínio do Turismo Cultural e Paisagístico, contando com um hotel e um restaurante de aplicação, um auditório e um refeitório para alunos. Nada disto aconteceu! A unidade fechou portas em novembro de 2010, para nunca mais abrir. Pelo meio, Joaquim Valente, com a ajuda do seu amigo José Sócrates e muita propaganda à mistura, abateu 3,5 milhões e meio de euros à dívida da autarquia…
O atual presidente da câmara da Guarda, Álvaro Amaro, anuncia agora a venda do imóvel, em hasta pública, pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças. Definiu-o como "uma pérola da hotelaria nacional". A venda foi por ele considerada como um passo "muito importante" para o futuro daquele edifício e como um meio para “devolver o Hotel de Turismo à Guarda, à região e ao país".  Referiu ainda que o processo chegou a um ponto em que "é o mercado que vai ditar as suas regras". "E espero, [que o mercado] perceba que estamos perante um hotel que é conhecido do país inteiro e é uma pérola da Guarda. E também espero que as pérolas tenham o seu valor e que o mercado perceba isso e que amanhã possamos ter de volta o Hotel [de Turismo] à Guarda, à região e ao país", declarou Álvaro Amaro.
Convém não esquecer que, aquando do processo de venda do Hotel às prestações, por Joaquim Valente, pelos tais 3,5 milhões de euros, Álvaro Amaro não se coibiu de pedir ao primeiro-ministro, Passos Coelho, para que não pagasse a última prestação devida à câmara da Guarda. Ou seja, consoante o interesse do momento, assim se fala umas vezes no não pagamento da venda, e noutras já se refere à pérola da hotelaria…
O que Álvaro Amaro não explicou é que, por muitos erros que o seu antecessor tenha cometido, a venda de 2010 ao Instituto do Turismo de Portugal representou uma efetiva transferência de dívida local para a Administração Central. Pode criticar-se esse tipo de engenharia financeira à escala nacional, mas é hoje, graças a ela, que a gestão de Álvaro Amaro beneficia de um programa PAEL em condições bem menos duras e penalizadoras para os habitantes da Guarda. E isso Álvaro Amaro já não disse. Também não explicou quem é que vai encaixar os prejuízos da diferença entre os 3,5 milhões e meio da venda de 2010 e os 1,7 milhões da venda de 2015. O contribuinte, claro!

Em política há coisas muito feias. Beneficiar do que outros fizeram, e que nós tentámos um dia impedir, é uma delas. 
Tenham um muito bom dia!

(Crónica na rádio F - 20 de Abril de 2015)

É só sorrisos

 

Há um ditado popular que se deve ter em atenção: «QUEM RI POR ÚLTIMO, RI MELHOR»!