terça-feira, dezembro 30, 2014

Saúde e dinheiro para 2015


Ou como as nuvens são mesmo negras!

A mensagem



Esta é a linguagem de uns quantos COCHINOS.
Não sabem falar nem escrever.
Indulgência NUNCA!
Aprende a falar CÃO!

E, o «aviso»!


O ano horribilis dos portugueses


Ponto de vista

O ano que agora termina é a prova acabada de que Marx tinha toda a razão quando afirmava que a história se repete. A primeira vez como tragédia e a segunda como farsa. Senão vejamos:
Este ano, como nos filmes, tivemos a beatificação de um papa, a abdicação de um rei e a morte de uma rainha. Até aqui, nada de anormal.
Mas pelo meio, no contexto de uma guerra que só chamou a atenção do ocidente quando teve mesmo de ser, fomos confrontados com o ressurgimento de novas formas de fanatismo islâmico, com degola de inocentes à mistura; só então nos interessámos pelas perseguições às minorias cristãs e promovemos novas cruzadas contra os mouros.
Em nome da globalização, incrementámos o tráfico de escravos e permitimos que a grande ceifeira da economia mundial continue a matar de fome e de miséria. O ocidente só reagiu ao Ébola quando o mesmo ameaçou entrar-lhe fronteiras adentro e destruir os fundamentos financeiros que são hoje a sacrossanta religião do mundo civilizado. Quanto às péssimas condições económicas e higiénicas de povos tantas vezes tratados como inferiores e distantes, as quais estiveram na origem da dita cuja epidemia, continua tudo na mesma. Até à próxima crise…
Os novos senhores feudais do mundo proliferam no contexto de uma finança cada vez mais desumanizada. A moeda cunhada, enviada para as feitorias dos tempos modernos, as chamadas offshores, fica a salvo de quaisquer tributações e penhoras e serve para acrescentar poder ao poder. Em nome do pecúlio de uns poucos, trabalha-se assim cada vez mais por cada vez menos dinheiro. Pode dizer-se que o trabalho escravo voltou. Atiram-se trabalhadores para o desemprego com o argumento do interesse público, que se sabe ser afinal privado e de uns poucos. À pala de tudo isto, os servos pagam a corveia e banalidades que atingem valores insuportáveis.
Os direitos deixaram de ser adquiridos e passaram a ser aqueles que os senhores do mundo quiserem que sejam. A proteção social deixou de ser solidária e foi substituída pelo assistencialismo e pela caridadezinha das ordens religiosas, pagas com os dízimos de todos nós. É o regresso, em força, dos asilos, da sopa dos pobres, e de coisas parecidas.
A saúde reduz-se à gestão de jardins de pedra e à contabilização dos gastos com os doentes. A educação resume-se cada vez mais, face aos campeonatos entre instituições, a um saber escolástico, formatado e entregue às ordens, sejam elas maçónicas ou religiosas. Mas sempre mercantilistas. Ao povo, esse, basta saber ler, escrever e contar. Um pouco!
As cortes reúnem para proclamar e conceder hossanas à realeza. O Santo Ofício voltou e determina que se atirem à fogueira os que ousam dizer NÃO. Procurar emprego é terrorismo. O nepotismo instalou-se. Emigrar é uma fatalidade, decretam constantemente os cronistas do reino.
A verdadeira informação morreu. A investigação jornalística, quase sempre controlada e comandada por interesses superiores, desculpa consciências e libera mentiras. O show do jornalismo de esgoto invadiu tudo. Os poucos que ousam resistir a este lamentável estado de coisas, são mortos, perseguidos ou ameaçados, consoante o país em que vivam.

Finalmente, para coroar esta triste decadência coletiva, a república, que já era das bananas, virou agora monarquia de pacotilha. O presidente é cada vez mais um rei que não sabe o lugar que ocupa. Ou uma rainha como a de Inglaterrra, o que é coisa ainda pior. Limita-se a respeitar os interesses dos senhores feudais e do clero. Num assomo de cobardia quase inigualável, remete-se ao silêncio sempre que não era preciso. Em contrapartida faz saber, pelos arautos reais, que a paz e o progresso no reino tudo justificam. O povo, esse, é cada vez mais súbdito e menos cidadão. A soberania nacional vende-se a preço de saldo, um pouco por todo o lado. Em suma, o bem-estar dos cidadãos depende cada vez mais dos outros e cada vez menos de si. Por isso, a subserviência é a regra. Bem-vindos à barbárie da nova Idade Média. Até pró ano, que há mais!
(Crónica na Rádio F - dia 29 de Dezembro de 2014)

Despotismo ignóbil


A escumalha agiota revela-se a cada momento: ASSASSINOS.
O FMI decidiu suspender a ajuda à Grécia até que haja um novo Governo.
Isto é o mesmo que ter uma coutada, engordar os coelhos e … depois pagar para os matarem!
Segundo aquela instituição tão democrática e, sempre ao serviço dos interesses da corja financeira e agiota, as “Negociações com as autoridades gregas sobre a sexta tranche do programa de ajuda só vão ser concluídas após a tomada de posse do novo Governo”.
O FMI DECLARA-SE, COMO SE FOSSE NECESSÁRIO FAZÊ-LO, AGIOTA GATUNO!
Mas, há mais, já existe uma posição concertada entre o FMI a HIPÓCRITA Comissão Europeia e o Banco Central Europeu.
A Alemanha diz (DITOU) que as reformas económicas na Grécia devem ser cumpridas!
É o regresso às ideias de um louco expressas no Main Kampf!
E o ditame alemão já se fez ouvir: “As novas eleições não alteram nada sobre os acordos com o Governo grego” no quadro do resgate financeiro internacional, afirmou Wolfgang Schaeuble. O ministro das Finanças alemão, «exige» que a Grécia cumpra as reformas económicas seja qual for o resultado das eleições antecipadas marcadas para 25 de janeiro. “Estas novas reformas podem produzir resultados, eles não têm alternativa”, disse Schaeuble, através de um comunicado difundido em Berlim, acrescentando que “as novas eleições não alteram nada sobre os acordos com o Governo grego” no quadro do resgate financeiro internacional.
Por cá é a intoxicação habitual.
O jornalismo cano de esgoto já começou a fazer o papel de lambe-cus.
Quem assistiu às notícias sobre as quedas nas bolsas por essa Europa pode, desde já, tirar as suas conclusões.
Se tal fosse necessário…
Os lambe-cus já conspurcam e entopem a fossa com o vómito de escarro…
Se o Sirysa ganhar as eleições vai ser o caos… ameaçam os eunucos.
Ide-vos catar, é só pulgas…
Podem os PORCOS continuar a chafurdar na imundice, que os cães guardarão as pocilgas.
Mas que «democracia» defende esta escumalha que só aceita que os GATUNOS E TRAPACEIROS GANHEM ELEIÇÕES?

Mais um.....ROUBO

Nos aumentos já anunciados faltou enunciar o IMI!
Vais ser um ROUBO MONUMENTAL!
Temos que pagar os devaneios populistas dos autarcas, obras megalómanas, festas e festinhas, comes e bebes para encher a pança!
QUEM PACTUOU COM ESTE ROUBO É UM COBARDE! 
Mas, nem tudo são más notícias…
O IRC para os patrões vai DIMINUIR!
Ora cá está a distribuição equitativa dos esforços!

BARDAMERDA E CALADINHOS!  

As nuvens negras

Afinal as nuvens negras vão VOLTAR!
E, voltam para sobrecarregar as já paupérrimas finanças dos agregados familiares.
QUEM DISSER O CONTRÁRIO MENTE!
É ALDRABÃO!
Vejamos:
- A electricidade, doada ao Estado Chinês, vendida em Portugal, vai aumentar o preço do consumo em 3,3%!
- Já na água vão verificar-se aumentos significativos nalguns municípios!
- Os combustíveis, depois das descidas dos últimos tempos, para ENGANAR TROXAS, aí está o «IMPOSTO VERDE» para fazer subir a factura no momento de abastecer! O aumento será de 5 cêntimos, por litro no gasóleo e 6,5 cêntimos, no litro da gasolina!
- Comunicações mais e mais caras... é preciso PAGAR os ROUBOS dos chefes!

É FARTAR VILANAGEM!

segunda-feira, dezembro 29, 2014

Assim vai a saúde....


E, não se julgue que o hospital Amadora Sintra é único!

Há uns a viverem acima das possibilidades...


A uns pedem-se sacrifícios exorbitantes!
Os outros são benesses a mais…
Quem é o Tribunal de Contas para PERDOAR a quem quer que seja?
Os dinheiros são deles?
É FARTAR VILANAGEM! 

domingo, dezembro 28, 2014

É FARTAR VILANAGEM


Que os portugueses até gastem, o que se duvida, mais este ano do que no anterior, nada nem ninguém tem a ver com isso. A não ser a factura electrónica, o sorteio do carrinho e as finanças… ou os empréstimos aos agiotas!
Agora, que o sector público, depauperado, com despedimentos de funcionários, em que tudo falta, GASTE AO CONTRIBUINTE MAIS 63% EM FESTAS E FESTINHAS DO QUE EM 2013, É UM ROUBO, É UM ATENTADO À INTELIGÊNCIA DOS PORTUGUESES!
Mas esta corja pensa que está a falar para quem?
Vão bugiar para as ilhas desertas, para a Patagónia ou dadas as «boas relações» entre Paulo e os chineses que tal assentarem a barraca na Cochinchina, a venderem leques?
É FARTAR VILANAGEM!

O azarento


Cartas de conforto


Qualquer cidadão pode contrair junto dos agiotas empréstimos para fazer face a necessidades básicas. Outros, A MAIORIA JÁ NÃO O CONSEGUE FAZER, dado que a agiotagem quer contrapartidas.
Se não as há, então não há empréstimos!
Ficou-se a saber que para «outros» não são precisas contrapartidas mas antes… cartas de conforto!
Ora a ser verdade todo este volume de empréstimos a membros do (des)governo então fica explicada muita coisa.
Como pode um devedor exigir o quer que seja ao prestamista?
NUNCA!
Como pode um devedor contrariar as exigências dos prestamistas?
NUNCA!
Como pode um devedor não proteger os prestamistas quando estão em situação de falência?
NUNCA.
Será preciso dizer mais alguma coisa?
«COMPREEDI-TE»!

Os foguetes vão rebentar na mão do contribuinte


Quando o Banco de Portugal (BdP) assumiu o desmembramento do BES sabia-se que se iria verificar, a nível planetário, um «tsunami»!
Por isso, se explica que o governo de Pedro & Paulo se tenha retirado estrategicamente, afirmando sempre que o assunto era do BdP.
Sabiam que as coisas podiam queimar-lhes as mãos!
E, eis que Salgado mexe os cordelinhos e as cordas e vai de meter ao barulho TUDO & MAIS ALGUÉM.
São processos e mais processos e… no fim quem vai pagar os foguetes vai ser o «mexilhão»!
Eis a razão da utilização do termo por parte do Coelho!
O «tsunami» vai ser devastador e não haverá pedra sobre pedra…
Resta, no entanto, saber se Coelho & Portas, C.ª vão invocar o estatuto de «não funcionário público», como o outro.
Logo não serão presos nem condenados…
A isto se chama PILHAGEM E FILHA DA PUTICE!

sábado, dezembro 27, 2014

A pergunta que neste momento vai na cabeça de cada português


A mãozinha de Paulo Portas, do CDS ou do CDS de Paulo Portas, têm alguma coisa a ver com isto?

GOSTEI!

O mês espectacular


Comunicado de útima hora

A redacção do «CP – Cromos de Portugal» vem, ao abrigo da liberdade de imprensa, informar que:
  1. Não emitirá nenhum, mas mesmo nenhum, comentário sobre a mensagem de Natal, que umas múmias dirigiram aos portugueses;
  2.  Escusam de insistirem e enviarem mensagens, sms’s, pombos correio e outros meios que não irão demover a redacção;
  3. Sabemos, de fonte sempre bem informada, que o texto soletrado pelas múmias foi retirado de uma redacção produzida por um aluno, de uma escola privada, das do top do ranking nacional e, que por razões óbvias não divulgaremos o nome. Já basta a publicidade gratuita que é feita pela «outra»;
  4.   Por fim, esta redacção vai encetar todos os contactos para que os autores do filme “Uma entrevista de loucos” iniciem uma versão dois, mas desta vez com as múmias como protagonistas. Esta ideia para a rodagem do filme em Portugal é da redacção do «CP-Cromos de Portugal» e não de nenhum ministro!
  5.  Certos que uma PIPA DE MASSA vai entrar em Portugal, graças à nossa (Nacional) ideia!
  6.  Como sempre um “A BEM DA NAÇÃO” para todos os leitores!

Os números ALDRABADOS do emprego


Cada vez mais se percebe como uma corja MENTE cada vez que usa os mictórios.
E, atenção que esta corja sofre de incontinência!
A propósito dos números do emprego, ficou-se a saber que para além dos estágios fantasmas, empregos fantasmas, os merceeiros, deste Portugal, usam e abusam da mão-de-obra ESCRAVA.
São licenciados, mestres nas mais diversas áreas e até doutorados, para além dos menos escolarizados que vão parar às garras exploradoras da escumalha.
Recebem umas cascas de alho… por trabalho de sol-a-sol!
Uma verdadeira escravatura!
Sabes acéfalo, que bates com a mão no peito, impreterivelmente às 12h de todos os domingos, que era PARA TI que o papa falava quando se referia à exploração humana!
NÃO SABES NADA, ACÉFALO!
Vai, vai ao TE DEUM e sorri aos pedintes… se quiseres até podes dar uma daquelas moedinhas pretas, não vá o pedinte gastá-lo «todo» em vinho!
ÉS UM PORCO!

ENOJAS-ME!

As ALDRABICES de um charlatão

O charlatão bem quer enganar o povo... mas, a perna é curta!
NUVENS NEGRAS DESAPARECERAM?
QUEM FOI QUE DISSE?
POIS...


Reformas completas?
ISSO É PARA A CORJA!

Encontros improváveis



O aldrabão II


Mais uma vez se confirmou o ditado popular: «Mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo»!
No discurso natalício, seja lá isso o que for, Coelho mostrou-se, contrariamente ao que vinha vomitando, optimista…optimista em exagero!
«As nuvens desapareceram»!
«Este é o Natal em que os portugueses podem olhar para o sol, não há nuvens»!
Por acaso, climaticamente falando, até estão uns dias lindos, de frio, mas airosos…contrastando com a invernia mental que por aí campeia e cria raízes.
Será que há algum acordo entre a meteorologia e o Coelho?
Duvido!
Mas, se as frases optimistas do Coelho podem ter despertado, nalgum português, um sentimento de que finalmente a célebre crise tinha desaparecido, desiludam-se pois foi mais um número de circo do malabarista Coelho.
Já a Comissão Europeia e o FMI vieram dar uma real reprimenda no Coelho e… chamá-lo à razão!
PERCEBES?
A acefalia maldita que não te larga é pior que o álcool, essa mania da mentira é congénita e patológica.
Deixa lá, não és único e nem serás o último!

Siga a roda ou vamos à praia?  

Para que serve uma imprensa?

Depois do dia de Natal, as notícias são, ano após ano, invariavelmente as mesmas!
Poder-se-ia pensar que o «papagaio» era o mesmo…
Fala-se dos acidentes e do número de mortes e feridos. Fazem-se comparações entre o acontecido e, os anos anteriores, como se fosse possível fazer tal comparação.
UNS ACÉFALOS!
Fala-se da devolução das prendas!
Como se à comunidade fizesse alguma diferença que a Paulinha fosse trocar as cuecas ou que o Tibúrcio tenha ido trocar as ceroulas.
Mas, para a corja dos acéfalos que mandam naquilo que querem que os portugueses leiam, vejam ou ouçam, claro que importa.
A fofoquice das revistas cor-de-rosa e laranjas no seu esplendor. Só que essa trampa de revista só as lê quem quer. Eu não quero saber disso para NADA e, nem quero pagar para que tais pelintrices e pieguices parolas sejam forma de adormecer um povo.
Que diz a isto uma ERC?

CALADINHOS E BARDAMERDA! 

sexta-feira, dezembro 26, 2014

Quem explica?


O Tribunal Constitucional que dirá?
Ou será que se aplica o provérbio popular:
«Ladrão que rouba ladrão, tem cem anos de perdão!»
Resta saber se será cem ou sem!!

Publicidade enganosa


Já todos estamos fartos de notícias sensacionalistas, de romances de faca e alguidar, de enchidos de morcela e farinheiras, e de anunciantes de perfumes de uma qualquer etar.
Estas notícias vendem que se fartam…
Mas, resultados práticos … NENHUNS!
Onde está a investigação jornalística?
Já todos sabemos que nunca há corrupção sem corrompidos e corruptores…só que… batatinhas!
A justiça e a polícia não chegam lá…

Opacidade a mais e, cerebelo a menos…

Foi uma festa

Foi a festa!
Tanta coisa pela qual Maria de Lurdes Rodrigues deveria ser responsabilizada, mais o seu adorado engenheiro.
Mas…
Quando será que a Lulu, o engenheiro e o Valter Lemos vão visitar o «amigo» a Évora!
Já há muito que tardam…
Voltemos ao que interessa… a festa!
O Ministério da Educação pagou rendas de 7,3 milhões à Parque Escolar por edifício que já foi seu!
Isso mesmo… 7,3 milhões de euros!
O Ministério da Educação pagou, em 2013, 7,3 milhões de euros à Parque Escolar pela ocupação do edifício da Avenida 24 de Julho, em Lisboa, onde funcionam cinco serviços centrais daquele ministério e que foram comprados por aquela empresa pública em Dezembro de 2010.
O montante das rendas pago pelo Ministério da Educação por este edifício, que antes era propriedade sua, foi divulgado agora pelo Tribunal de Contas e representa 33% das receitas de funcionamento obtidas pela empresa no ano passado.
De uma receita registada de 213,5 milhões de euros em 2013, 71% teve origem no saldo do ano anterior e 19% em fundos comunitários. Do valor remanescente, que totaliza cerca 22,1 milhões de euros, 8,9 milhões respeitam à cobrança de rendas, 1,1 milhões à venda de outros bens e serviços e 11,9 milhões a empréstimos obtidos do Estado.
A Parque Escolar é uma empresa tutelada pelo Ministério da Educação e pelo Ministério das Finanças, que foi criada em 2007 para gerir um programa de obras nas escolas secundárias. A transferência do edifício da 24 de Julho para a propriedade daquela empresa resultou de um negócio que envolveu três entidades públicas: foi comprado ao ministério pela empresa pública Estamo, que, por sua vez, o vendeu à Parque Escolar. Nesta operação, a Estamo comprou por 34 milhões de euros e vendeu por 34,3 milhões.
Para além do edifício da 24 de Julho e de outros onde funcionam as Direcções Regionais de Educação, a Parque Escolar era também proprietária em 2013 de 136 escolas secundárias. No conjunto estes imóveis representavam 76,4% de um activo de 2,4 mil milhões  registado pela empresa, segundo revela o relatório da auditoria realizada pelo Tribunal de Contas à actividade da Parque Escolar em 2013, agora divulgado.  
Com base no contrato celebrado com o Estado quando da sua criação, a Parque Escolar ficará com a propriedade de todas as escolas que sejam sujeitas a obras no âmbito do programa de modernização lançado em 2007. Eram para ser 332, mas o universo foi reduzido para 309 no âmbito da revisão daquele contrato feita em 2012. O resultado é equivalente: a Parque Escolar será dona de milhares de metros quadrados, localizados na maioria dos casos em zonas centrais de várias cidades. 
Entre os Serviços e Fundos Autónomos do Estado, sector  que passou  a integrar, a Parque Escolar ficou em quarto lugar na lista dos que tiveram um maior volume de despesa executada em 2013. Segundo o Tribunal de Contas, em média cada um daqueles serviços gastou, em 2013, 22,9 milhões de euros. Já a despesa da Parque Escolar ascendeu a 124,9 milhões de euros, dos quais 50% foram gastos nas obras das escolas.  
Também em 2013, a Parque Escolar teve pela primeira vez de reservar uma verba (68,2 milhões de euros) para fazer face ao “significativo aumento de processos” contra a empresa, a maioria dos quais interpostos por empreiteiros com vista à impugnação de multas que lhe foram aplicadas pelo atraso na execução de obras. No conjunto estavam em curso 36 processos, a maioria dos quais a correr em tribunais arbitrais. O valor das acções interpostas ascendia a 189,7 milhões de euros. 
Na sua primeira auditoria à Parque Escolar, divulgado em 2012, o Tribunal de Contas denunciou o “incumprimento generalizado” dos prazos das empreitadas, responsabilizando também a administração da empresa por esta situação, por não ter aplicado as multas previstas nos contratos de empreitada para atrasos não justificados. 
E, quem paga é o contribuinte!

FOI A FESTA!

Aldrabão

Nesta altura do ano, para além dos sorrisos forçados, dos acenos cordiais e a despropósito, das meias recebidas como «prendinha» de Natal, também há as mensagens.
Qualquer acéfalo quer gravar a «sua» mensagem, de preferência na televisão. Os que não o podem fazer, socorrem-se do tradicional «copy and paste», tão comum ao português e... vai de enviá-la por telemóvel, menos em uso este ano, ao que parece, e muito mais pelas redes sociais.
Coelho também não fugiu à regra: «toma lá mensagem»!
E que foi que o Coelho disse?
Coelho foi, disso ninguém o pode acusar do contrário, igual a si próprio: aldrabão quanto baste e hipócrita!
Diz o Coelho que Portugal entrou numa “nova fase” e as “nuvens negras” dissiparam-se do horizonte de muitos portugueses.
Claro, então não se está mesmo a ver?
É só prosperidade e enriquecimento dos portugueses.
Este coelho foi, propositadamente, retirado da «Alice no país da Maravilhas»!
Uma imbecilidade!
Coelho recorda-nos, como se fosse necessário, os “muitos sacrifícios” a que fomos obrigados durante a vigência do resgate da “troika” e as muitas  expectativas frustradas”.
Só durante a vigência da «troika»?
MENTES!
Onde está a tão propagandeada recuperação económica anunciada e PROMETIDA!
OS SACRIFÍCIOS AUMENTARAM, mesmo depois da saída limpa…com papel de jornal, nem com o higiénico!
A saída só foi limpa por que milhões de portugueses perderam direitos consignados internacionalmente, por que lhes roubaram salários, por que perderam serviços públicos, por que lhes retiraram apoios sociais imprescindíveis, por que milhões entre os quais abandoram o conforto do lar e foram OBRIGADOS a emigrar e por que … objectivamente um governo de acéfalos exterminou um povo.  
Depois das “tremendas dificuldades”, reconhece o Coelho, “entrámos numa nova fase.
Mas que fase?
Uma fase de crescimento, de aumento do emprego e de recuperação dos rendimentos das famílias.
MENTIROSO!
Quem pode falar em crescimento nesta altura em Portugal?
ENGÔDO!
O número dos desempregados é abusivamente adulterado!
MENTEM!
Os rendimentos das famílias descem a valores do limiar da pobreza.
E, vem este falar de aumento de rendimentos!
Onde estão as reposições salariais? As progressões na carreira? Os empregos com salários DIGNOS e não esta VERGONHA da exploração do ser humano.
DETESTO PANTOMINEIROS!
Sem "nuvens negras" no horizonte?
«Compreendi-te»!
Aproximam-se as eleições e se o povo SOUBER E QUISER vais ter de guardar a viola e rumares até outras paragens.
Quem sabe… povoar o interior!
Coelho sabe-o como ninguém!
Coelho diz que o país tem ainda muitas escolhas a fazer para “fortalecer” o presente e preparar o futuro, sem “deitar tudo a perder” e protegendo “o que já conseguimos(??) juntos, com grande esforço e sacrifício".
E blá blá blá … conversa da treta e da teta para papalvos.
Coelho lê o que o insuspeito D. Manuel Clemente disse:« Só alguns Portugueses é que deram a volta à Crise! ..D. Manuel Clemente. Mas só alguns Portugueses, os mesmos, que nunca souberam o que foi a crise.
Os que amealharam milhões do B P N, do B ES  e de outras fontes, com origem duvidosa. Portugal continua e continuará a afundar-se, enquanto alguns banqueiros e políticos continuarem a ser os donos disto tudo».
Entendes?
Claro que sim!

Não o queres admitir… um dia se verá!

O mundo cão


TWO DOGS DINING

Mensagem


Sem inimigo não há guerra!


E, no fim até houve um jogo de futebol....

Maravilhoso

ESTAMBUL. Dimitrie Cantemir: "El libro de la ciencia de la música" - Concierto de Jordi Savall


Dimitri Cantemir (1673-1723) compôs "O Livro da Ciência da Música", que dedicou ao sultão Ahmed III. 
As músicas otomanas em diálogo com as tradições arménias, gregas e sefarditas.
IMPERDÍVEL!

O preso


Hachiko


Para quem não se lembra do filme aqui fica.

Portugal visto do céu


Um vídeo imperdível sobre algumas, das muitas belezas do nosso país!
MARAVILHOSO!
Não admira que seja cobiçado pelos vistos dourados!

A parábola do marialva

Um homem vê uma mulher linda, com seios espectaculares, a saltar do autocarro.
Corre até ela e pergunta:
- Deixas que eu morda os teus seios por 50 €?
- Deve estar maluco - diz a rapariga.
- E por 500 € deixas?
- Olha, não me leves a mal, mas não sou desse tipo de mulher!
De olho no volume daqueles seios, ele insiste:
- Por 5 000 € deixarias morder os teus seios maravilhosos?
A mulher hesita, pensa um pouco e finalmente responde:
- Por 5 000 € tudo bem.
- Então vamos até aquele cantinho...
Ela abre a blusa, deixa os seios à mostra e à disposição do homem.
O tipo beija, passa as mãos, encosta a cabeça, lambe, chupa e nada de morder...
Até que a mulher perde a paciência:
- Então? Mordes ou não?

- Eu, não!  É muito caro!

Uma questão de cidadania

Abaixo-assinado contra o Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (APT, ou TTIP em inglês) e que não assinem o Acordo Económico e Comercial Global (CETA em inglês) com o Canadá. 
Queremos impedir o TTIP e o CETA porque contêm vários aspetos sensíveis, como, por exemplo, a resolução de litígios entre estados e investidores e as normas para a cooperação legislativa, que constituem uma ameaça para a democracia e a função do direito. Queremos impedir que os nossos elevados padrões de emprego, sociais, ambientais, de privacidade e de proteção do consumidor sejam baixados e que serviços públicos (tais como o aprovisionamento de água) e bens culturais sejam liberalizados em negociações pouco transparentes. A ICE apoia uma política de comércio e investimento alternativa na UE.
Assina aqui:

A propósito

Recordando Manuel António Pina:

A canção dos adultos
"Parece que crescemos mas não.
Somos sempre do mesmo tamanho.
As coisas que à volta estão
é que mudam de tamanho.
Parece que crescemos mas não crescemos.
São as coisas grandes que há,
o amor que há, a alegria que há,
que estão a ficar mais pequenos.
Ficam de nós tão distantes
que às vezes já mal os vemos.
Por isso parece que crescemos
e que somos maiores que dantes.
Mas somos sempre como dantes.
Talvez até mais pequenos
quando o amor e o resto estão tão distantes
que nem vemos como estão distantes.
Então julgamos que somos grandes.
E já nem isso compreendemos."

Manuel António Pina

quinta-feira, dezembro 25, 2014

Os capangas ao serviço dos coronéis

O jornalista Marcos Guerra, que usava um blogue na Internet para denunciar casos de corrupção em Ubatuba, pequena cidade do estado de São Paulo, no Brasil, foi assassinado na terça-feira, informou a polícia. 
Marcos Leopoldo Guerra, jornalista e advogado de 51 anos, foi baleado à noite na cozinha da sua residência num bairro daquela pequena cidade do litoral, por desconhecidos que se deslocavam de motorizada e não roubaram nada à vítima, segundo a Polícia Militar do estado de São Paulo.
A polícia investiga a possibilidade do crime ter sido motivado por alguns dos artigos escritos pelo jornalista no seu blogue "Ubatuba Cobra", nos quais questionava as autoridades por alegados desvios de recursos públicos.
De acordo com o comunicado da polícia brasileira, o pai da vítima relatou que se encontrava numa das divisões da casa de Marcos Guerra, e que ouviu uma motorizada a acelerar em frente à vivenda antes de serem disparados quatro tiros na cozinha.
Guerra, que tinha recebido ameaças de morte devido ao conteúdo dos seus artigos, morreu de imediato após receber os disparos no rosto, nas costas e no abdómen.
De acordo com estatísticas divulgadas recentemente em Genebra, pela organização Press Emblem Campain - que apela aos governos para proteger os jornalistas e punir quem os ataca -, o Brasil teve quatro profissionais assassinados este ano, e é o décimo país do mundo mais perigoso para quem trabalha nos media.
A canalha que faz jornalismo de esgoto e lambuza os tomates ao poder, perante mais este brutal assassinato, é desprezível, gordurosa e abominável.   
VERGONHOSO!
QUE MUNDO MAIS ABJECTO ESTÁ A SER FORMATADO PELA CANALHA FASCISTA E CAPITALISTA.

Como diria o poeta: «JORNALISTA SIM, CASTRADO É QUE NUNCA»!