sexta-feira, junho 29, 2012

ESTRANHO???? Ou talvez não!!!!

O site da TRANSPARÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTÁ EM ....baixo!!!!
Se o cidadão CONTRIBUINTE QUISER SABER, COMO UNS BASTARDOS ROUBAM O SEU DINHEIRO......A RESPOSTA É......

«Manutenção

Pedimos desculpas, voltaremos em breve»!!!

Afinal onde está a TRANSPARÊNCIA????

Contos Proibidos


Imagine um livro com escândalos da democracia que vendeu 30.000 exemplares e que desapareceu. O Jornal i publicou um artigo em 2009 e...... voilá o livro voltou a desaparecer.
Coincidência?
POIS.......
Chamem-nos obcecados mas é a verdade.
Para começar, retiramos do artigo do jornal i um excerto da notícia:
«Fixe bem esta data: 27 de Janeiro de 1996. Era um sábado e o público português assistiu a um fenómeno sem precedentes: um livro, escrito por um autor nacional, vendeu 30 000 exemplares no lançamento. Depois foi retirado do mercado e nunca mais reapareceu.
(…)
Mas o que continha o livro afinal? Qual o motivo para as desaparições? Retomando a síntese de Vieira, que o analisou a fundo, Rui Mateus diz que Mário Soares, “após ganhar as primeiras presidenciais, em 1986, fundou com alguns amigos políticos um grupo empresarial destinado a usar fundos financeiros remanescentes da campanha. (…) Que, não podendo presidir ao grupo por questões óbvias, Soares colocou os amigos como testas-de-ferro».
Agora, aqui fica o livro para quem o quiser ler e tirar as suas conclusões!!!
Já agora, de Rui Mateus ...nem sinal!!!!
Onde pára????


Quem terá medo da VERDADE?????

Clube Bilderberg




O livro Clube Bilderberg foi escrito por Daniel Estulin, um autor e comentador sobre este assunto mundialmente conhecido.
A divulgação deste livro é contrária ao grupo que se reúne anualmente e que envolve poderes políticos, económicos, militares, e outros.
Dos participantes nesta reunião, existem nomes portugueses como José Sócrates, Rui Rio, Marcelo Rebelo de Sousa, Francisco Morteira Nabo e António Guterres.
A última reunião em Portugal foi em Sintra no ano de 1999.
Boa leitura e....aprendizagem!!!

LADRÕES


Os portugueses, os que pagam os seus impostos, os que são ROUBADOS dos seus vencimentos, subsídios e TODOS os direitos e garantias vão ter de PAGAR TUDO QUANTO um Vítor Baía e um Duarte Lima devem ao BPN!!!
ESCÂNDALOSO!!
VERGONHOSO!!!
ROUBALHEIRA!!!
Um cidadão que nunca roubou NADA, que tem as suas dívidas e despesas, quem lhas paga se entrar em incumprimento????
NINGUÉM.....OU PAGA OU É PENHORADO!!!
ISTO É DE MAIS!!!!!


quinta-feira, junho 28, 2012

A razão pela qual já nem o Cavaquistão está com «ele»

O excesso de aldrabice política tem destas coisas.
Dá para ver anos depois, ao vivo, o preço das ilusões que uns charlatães vendem.
Castro Daire, um pedaço do Cavaquistão de Viseu, epicentro das maiorias absolutas de Cavaco Silva em 1987 e 1991, onde em 2006 e 2011 Cavaco teve percentagens superiores a 70% de votos como candidato presidencial assobiou o seu herói.
ISSO MESMO VAIADO!!!
A população não quer que o tribunal de Castro Daire seja extinto, tal como está previsto na proposta do novo mapa judiciário.
Castro Daire é um excelente protótipo do concelho gastador em obras públicas.
É pobre, tem pouca indústria e poucas empresas produtivas
O sector mais importante é a construção civil, que vive praticamente das obras que o município adjudica, biblioteca, auditório, piscinas, complexo desportivo, requalificação de ruas, repavimento de estradas etc, etc,
Em 2009, o PS ganhou a Câmara Municipal, com este modelo de desenvolvimento na boca.
Ou seja, empreitadas e empreiteiros fazem surgir políticos gananciosos e esbanjadores.....
Perde população desde há anos mas continua a construir.
Constrói, constrói ......e os cofres do município esvaziam-se para satisfação da gula de oportunistas....
Cavaco Silva foi inaugurar o Parque Urbano, uma obra que custou quase 1 milhão de euros (no entanto, financiada a 85% pelo FEDER)
É difícil explicar a Castro Daire, e a outros tantos concelhos portugueses que viveram sempre deste modelo de desenvolvimento do cimento, que devem cortar com ele.
Cavaco colhe hoje os ventos que semeou.
O seu grande legado como primeiro-ministro são, no tempo das vacas gordas, as obras públicas, as auto-estradas, os viadutos, o CCB.
Nunca apostou no mar, nunca bateu o pé ao desmantelamento das pescas, da marinha mercante, dos portos, da agricultura.
É ele o grande responsável por esta ilusão de vida no betão que alastrou da administração central para as autarquias precisamente no tempo do cavaquismo.
Sob a capa do pretenso reformador e do tecnocrata rigoroso, Cavaco criou um país inviável.
Tem a agravante de nunca ter emendado a mão.
Em 2000, lançou-se ao monstro da despesa pública de Guterres como mera guerrilha política, sem dizer no concreto onde se devia cortar, no Estado, nas autarquias, nas obras públicas, sem indicar soluções visionárias aos muitos Castro Daire, um novo modelo judicial, extinção de tribunais, um novo modelo administrativo, com extinção de autarquias, modelos assentes na produção e não no betão, o fim das coutadas políticas, num arco de poder local que abrangeu todos os partidos, do arco e sem arco, o fim das contratações em massa nos municípios, as contratações políticas e as contratações para abafar o desemprego no concelho à custa de mais dinheiros públicos.
A partir de 2007 lançou-se noutra guerrilha a Sócrates, com a necessidade de falar verdade, também sem enunciar soluções concretas.
Ele que nunca teve a coragem de falar preto no branco aos portugueses das questões difíceis, das que ninguém gosta de ouvir.... falou da verdade.
Com ela acabou por enganar os mesmos de sempre......
Hoje continua o mesmo.
A troika pede ao governo para extinguir metade das autarquias, porque sabe bem de onde vem parte do despesismo, mas Cavaco mete a cabeça na areia. E, os coveiros de sempre acabam com as freguesias, o elo mais fraco....as outras dão-lhes poder e dinheiro.....
Tem medo de dizer o que o povo não quer ouvir. do choque, do divórcio com os portugueses por lhes falar verdade. No fundo, nunca soube governar em tempos difíceis, que é onde se vêem os verdadeiros governantes...
Os Castro de Aire vão TODOS cair, como baralho de cartas.....só que, quando caírem já cá não estarão os responsáveis....deram à sola...paraísos fiscais...praias e sol....como aconteceu com a banca da coelha e do coelho....... 
Num país de furões tudo vai ruir .....nem os roubos dos salários ou dos subsídios lhes chegam...querem mais, e mais sangue....                      

Só mais uma letra.....

Como só uma letra pode definir uma época...
Portugal, desde o séc. XX, tem estado sujeito a dois lemas:
No Estado Novo (1926-1974), nos termos de Salazar, o lema era: "Deus, Pátria e Família!"

Na democracia, por espantoso que possa parecer, o lema tem sido praticamente igual, apenas aumentou... uma letra.
De facto, o lema actual, sugerido por Passos Coelho, que Portugal segue, é:
 "Adeus, Pátria e Família!"

Mais uma publicação a não perder

O caso BPN - O maior ROUBO financeiro de Portugal!!!


Um ministro que «manda» cortar.....mas, com ele....FARTURA!!!

Este Miguel Relvas o do caso das actividades ilícitas.....da reforma das freguesias....o das privatizações negociatas....manda apertar o cinto aos portugueses e...ele, o intendente cá do burgo...TUDO A FARTAR.....
Veja-se este caso:








Mas, esta «coisa» de se ter um, dois ou três motoristas não é exclusive do Miguel Relvas....
Cá pela Guarda, depois das reuniões partidárias do Ps o motorista da câmara transporta um deputado ....a casa.....
E esta....pois é....
Há muitos Relvas por aí escondidos e às claras.....

A memória é curta e......a perna grande!!!

A ALEMANHA ANDA MUITO ESQUECIDA!!!!

Em 1953, a Alemanha de Konrad Adenauer entrou em default, falência, ficou Kaput, ou seja, ficou sem dinheiro para fazer mover a actividade económica do país. Tal qual comoo a Grécia actualmente. A Alemanha negociou 16 mil milhões de marcos em dívidas de 1920 que entraram em incumprimento na década de 30 após o colapso da bolsa em Wall Street. O dinheiro tinha-lhe sido emprestado pelos EUA, pela França e pelo Reino Unido. Outros 16 mil milhões de marcos diziam respeito a empréstimos dos EUA no pós-guerra, no âmbito do Acordo de Londres sobre as Dívidas Alemãs (LDA), de 1953. O total a pagar foi reduzido 50%, para cerca de 15 mil milhões de marcos, por 1 período de 30 anos, o que não teve quase impacto na crescente economia alemã. O resgate alemão foi feito por 1 conjunto de países que incluíam a Grécia, a Bélgica, o Canadá, Ceilão, a Dinamarca, França, o Irão, a Irlanda, a Itália, o Liechtenstein, o Luxemburgo, a Noruega, o Paquistão, a Espanha, a Suécia, a Suíça, a África do Sul, o Reino Unido, a Irlanda do Norte, os EUA e a Jugoslávia. As dívidas alemãs eram do período anterior e posterior à II Guerra Mundial. Algumas decorriam do esforço de reparações de guerra e outras de empréstimos gigantescos norte-americanos ao governo e às empresas. Durante 20 anos, como recorda esse acordo, Berlim não honrou qualquer pagamento da dívida.
Por incrível que pareça, apenas 8 anos depois de a Grécia ter sido invadida e brutalmente ocupada pelas tropas nazis, Atenas aceitou participar no esforço internacional para tirar a Alemanha da terrível bancarrota em que se encontrava. Ora os custos monetários da ocupação alemã da Grécia foram estimados em 162 mil milhões de euros sem juros. Após a guerra, a Alemanha ficou de compensar a Grécia por perdas de navios bombardeados ou capturados, durante o período de neutralidade, pelos danos causados à economia grega, e pagar compensações às vítimas do exército alemão de ocupação. As vítimas gregas foram mais de 1 milhão de pessoas (38 960 executadas, 12 mil abatidas, 70 mil mortas no campo de batalha, 105 mil em campos de concentração na Alemanha, e 600 mil que pereceram de fome). Além disso, as hordas nazis roubaram tesouros arqueológicos gregos de valor incalculável.
Qual foi a reacção da direita parlamentar alemã aos actuais problemas financeiros da Grécia? Segundo esta, a Grécia devia considerar vender terras, edifícios históricos e objectos de arte para reduzir a sua dívida. Além de tomar as medidas de austeridade impostas, como cortes no sector público e congelamento de pensões, os gregos deviam vender algumas ilhas, defenderam 2 destacados elementos da CDU, Josef Schlarmann e Frank Schaeffler, do partido da chanceler Merkel. Os 2 responsáveis chegaram a alvitrar que o Partenon, e algumas ilhas gregas no Egeu, fossem vendidas para evitar a bancarrota. "Os que estão insolventes devem vender o que possuem para pagar aos seus credores", disseram ao jornal "Bild". Depois disso, surgiu no seio do executivo a ideia peregrina de pôr um comissário europeu a fiscalizar permanentemente as contas gregas em Atenas.
O historiador Albrecht Ritschl, da London School of Economics, recordou recentemente à "Spiegel" que a Alemanha foi o pior país devedor do século XX. O economista destaca que a insolvência germânica dos anos 30 faz a dívida grega de hoje parecer insignificante. "No século XX, a Alemanha foi responsável pela maior bancarrota de que há memória", afirmou. "Foi apenas graças aos Estados Unidos, que injectaram quantias enormes de dinheiro após a I e a II Guerra Mundial, que a Alemanha se tornou financeiramente estável e hoje detém o estatuto de locomotiva da Europa. Esse facto, lamentavelmente, parece esquecido", sublinha Ritsch.
O historiador sublinha que a Alemanha desencadeou 2 guerras mundiais, a 2ª de aniquilação e extermínio, e depois os seus inimigos perdoaram-lhe totalmente o pagamento das reparações ou adiaram-nas. A Grécia não esquece que a Alemanha deve a sua prosperidade económica a outros países. Por isso, alguns parlamentares gregos sugerem que seja feita a contabilidade das dívidas alemãs à Grécia para que destas se desconte o que a Grécia deve actualmente.
Sérgio Soares, jornalista português

EQUIDADE???? QUAL????


VERGONHOSO!!!!

Ainda a propósito do ROUBO

REDUÇÃO DE VENCIMENTOS:
Um texto lúcido do Professor Luis Menezes Leitão, da Faculdade de Direito de Lisboa, a fazer furor na blogosfera...

"Fico perfeitamente siderado quando vejo constitucionalistas a dizer que não há qualquer problema constitucional em decretar uma redução de salários na função pública. Obviamente que o facto de muitos dos visados por essa medida ficarem insolventes e, como se viu na Roménia, até ocorrerem suicídios, é apenas um pormenor sem importância.
De facto, nessa perspectiva, a Constituição tudo permite. É perfeitamente constitucional confiscar sem indemnização, os rendimentos das pessoas. É igualmente constitucional o Estado decretar unilateralmente a extinção das suas obrigações apenas em relação a alguns dos seus credores, escolhendo naturalmente os mais frágeis. E finalmente é constitucional que as necessidades financeiras do Estado sejam cobertas aumentando os encargos apenas sobre uma categoria de cidadãos. Tudo isto é de uma constitucionalidade cristalina. Resta acrescentar apenas que provavelmente se estará a falar, não da Constituição Portuguesa, mas da Constituição da Coreia do Norte.
É por isso que neste momento tenho vontade de recordar Marcelo Caetano, não apenas o último Presidente do Conselho do Estado Novo, mas também o prestigiado fundador da escola de Direito Público de Lisboa.  No seu Manual de Direito Administrativo, II, 1980, p. 759, deixou escrito que uma redução de vencimentos “importaria para o funcionário uma degradação ou baixa de posto que só se concebe como grave sanção penal”. Bem pode assim a Constituição de 1976 proclamar no seu preâmbulo que "o Movimento das Forças Armadas derrubou o regime fascista". Na perspectiva de alguns constitucionalistas, acabou por consagrar um regime constitucional que permite livremente atentar contra os direitos das pessoas de uma forma que repugnaria até ao último Presidente do Estado Novo. "
LAMBAM AS FERIDAS SEUS PORCOS SEBENTOS!!!!
OU QUEREM SER PIORES QUE OS DITADORES DE ENTÃO......
POIS É, NOS ROUBOS DOS VENCIMENTOS, SUBSÍDIOS E TANTAS OUTRAS FORMAS DITAS LEGAIS E LÍCITAS...SÓ QUE DE LEGÍTIMAS...... NADA!!!!
GATUNOS!!!! 

Uma advogada das que têm carreira firmada!!!!

MULTA POR ALTA VELOCIDADE OU A ARTE DE ADVOGAR!!!!

Uma advogada andava em alta velocidade pela cidade com seu Tucson, quando foi parada pelo agente de trânsito:
Agente: - A senhora estava a conduzir com excesso de velocidade. Por favor, os seus documentos..
Advogada: - Estão caducados.
Agente: - Os documentos do carro.
Advogada: - O carro não é meu.
Agente: - A senhora, por favor, abra o porta-luvas.
Advogada: - Não posso, tem um revólver que usei para roubar este carro.
Agente (já bastante preocupado): Abra o porta-malas!
Advogada: - Nem pensar! na mala está o corpo da dona deste carro, que eu matei no assalto.
O guarda, vendo-se diante das circunstâncias , resolve chamar o Sargento.
Chegando ao local o Sargento dirige-se à advogada:
Sargento: - O seus documentos e do carro por favor!
Advogada: - Estão aqui senhor agente, como vê o carro está no meu nome e a carta de condução está válida..
Sargento: - Abra o porta-luvas!
Advogada (tranqüilamente...) : - Como vê só tem alguns papéis.
Sargento: - Abra o porta-malas!
Advogada: - Concerteza aqui está... como vê, está vazio.
Sargento (constrangido): - Deve estar a acontece algum equívoco, o meu subordinadodisse-me que a senhora não tinha habilitação, que não era a dona do carro pois o tinha roubado, com um revólver que estava no porta luvas, de uma mulher cujo corpo estava no porta malas.
Advogada: - Só falta agora esse seu subordinado dizer que eu estava a conduzir com excesso de velocidade, querem ver!!!
A ISTO CHAMA-SE «ARTE DE ADVOGAR»!!!
NO TEMPO DO D. DUARTE, NÃO É O ACTUAL, É O DA DINASTIA DE AVIS, DIR-SE-IA «ARTE DE BEM CAVALGAR EM TODA A SELA»!!!

Macho e fêmea

quarta-feira, junho 27, 2012

Para os «amigos» são ABONOS SUPLEMENTARES



Para a maioria ROUBAM-LHES OS SUBSÍDIOS!!!
PARA OS «BOYS» CHAMAM-LHE ABONOS COMPLEMENTARES E RECEBEM!!!
GATUNOS!!!

O Dossiê Sócrates



Aqui fica para quem o desejar consultar......

terça-feira, junho 26, 2012

TRISTE, MUITO TRISTE, PARA RIR NAS FUÇAS


"Portugal está bem mais próximo de ultrapassar esta crise"
Passos Coelho

 
Mas este paspalho julga que está a falar para acéfalos???
Se ainda há poucos dias se anunciou UMA DERRAPAGEM ORÇAMENTAL!!!!
QUE SE ANUNCIA MAIS E MAIS AUSTERIDADE, MAIS E MAIS IMPOSTOS, MAIS E MAIS FOME, POBREZA....
COMO PODE ALGUÉM DIZER TAMANHA BARBARIDADE???
HAJA DECÊNCIA!!!!
Não sabem o que isso é???
Pois....já sabíamos!!!!

Iguais em TUDO!!!


José Luís Arnaut foi «nomeado» para o cargo de membro não executivo do conselho de administração da REN - Redes Energéticas Nacionais.
Já aqui tinhamos falado da «coisa» pela voz de Francisco Louçã.
O que se estranha é que um Ps venha exigir ao Governo que explique no Parlamento o processo de privatização da empresa.
O PS acusa o Executivo de fomentar "um dos maiores exercícios de promiscuidade entre a política e os negócios, conformando a negociação em si uma ilegalidade".
"A privatização da REN, tal como da EDP, funciona como uma espécie de espólio que o Governo distribui para personalidades ou dirigentes topo de gama do PSD e do CDS. Depois de Eduardo Catroga ou de Celeste Cardona, vem agora José Luís Arnault, sobretudo na sua qualidade de administrador da REN e simultaneamente presidente da comissão de auditoria financeira do PSD".
O PS contesta igualmente a nomeação de Miguel Moreira da Silva, do CDS, que irá ocupar um lugar de direcção na REN.
"Miguel Moreira da Silva que sai do Governo, que acompanha esta privatização, e sendo ele irmão do próprio vice do PSD, Jorge Moreira da Silva, vem ocupar um lugar de direcção e isto não é nenhuma coincidência".
Mas, este Ps ESQUECE-SE DO QUE FEZ EM TEMPOS IDOS, MAS NÃO TÃO LONGÍQUOS???
HAJA VERGONHA!!!!
UNS E OUTROS VENDEM aquilo que é património de todos nós e pagam os favores aos seus boys. Os sacrifícios, esses ficam para os outros.
Agora, ficou-se a saber que a REN já é cliente «antiga» do escritório do «sindicalista»(??) José Luís Arnaut!!!
TUDO EXPLICADO!!!!

SEM COMENTÁRIOS

As escolas perderam mais de 23 000 professores do quadro em TRÊS ANOS!!!

É a crise, estúpido

Os portugueses gastaram até Abril menos 8,6 MILHÕES de euros em medicamentos......
Será que estão a ficar menos doentes????
É A MELHORIA DOS SERVIÇOS, NOMEADAMENTE NO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE???
AS TAXAS MODERADORAS!!!
É A CRISE, ESTÚPIDO!!!

IMPARIDADES......

Fernando Seabra, o «amigo» do Relvas, marido da Judite de Sousa, comentador desportivo e......nas horas vagas presidente da câmara de Sintra «RECEBE» da TVI, a estação onde trabalha a mulher, a televisão «PIMBA», a módica quantia de 6 250 EUROS!!!!
Fernando Seara tem ainda um salário mensal superior a 2 000 (DOIS MIL) euros por mês como presidente da Câmara Municipal de Sintra.
Um valor que seria superior a quatro mil euros, se Seara não tivesse remunerações em empresas privadas.
POIS, EMPRESAS PRIVADAS!!!!!
Já agora saber que o padre Marcelo, o das homilias dominicais, professor na Faculdade de Direito de Lisboa, «RECEBE» 10 000 (DEZ MIL) EUROS pela missa!!!!
No entretanto, os pensionistas da Função Pública PERDEM 22%!!!!
PERCEBERAM?????
IMPARIDADES!!!!!!

VERGONHOSO

Este foi comprado com o subsídio de férias dos funcionários públicos


ROUBOS, GATUNOS E LADRÕES!!!!

Um contra-ponto de Bertold Brecht

Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro.

Em seguida levaram alguns operários
Mas eu não me importei com isso
Eu também não era operário.

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei.

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.

Bertold Brecht

Um dia......

segunda-feira, junho 25, 2012

É «tudo» por....amor??? Será???



 
O presidente da Câmara de Sintra, Fernando Seara, recebeu no dia 24 de Junho, dia de S. João,  manifestações de apoio de militantes do PSD para ser candidato a Lisboa.
Coincidências, o dia do santo????
Miguel Relvas afirmou então que «Só Deus sabe o que eu gosto dele, não posso dizer mais do que isto, não posso e não devo dizer mais do que isto, mas só Deus sabe o que eu gosto dele».
Fernando Seara retribuiu o cumprimento afirmando que "Eu também gosto muito do senhor ministro, mas gosto particularmente do Miguel, sabem que a política é feita de afectos pessoais e entre mim e o Miguel há uma amizade de muitos anos e portanto eu estou com ele sempre".
Só Deus sabe o que eles gostam do poder e só Deus sabe o que fazem para o conseguir.
Pode continuar a estar...com ele!!!!
Só que a vida prega algumas partidas......e que partidas, cuidado!!!!

AVISO aos estudantes


Em época de exames nacionais e posterior candidatura à universidade, a Direcção-Geral do Ensino Superior revelou quantos diplomados e quantos inscritos nos centros de emprego produziu cada um dos cursos que existem em Portugal nos últimos dez anos.
Assim, cursos como Literatura alemã da Universidade de Coimbra e Literaturas Modernas (variante Inglês e Francês) da Universidade Nova de Lisboa, conseguiram níveis de desemprego de 100%.
No pólo oposto está o curso de Medicina, da Universidade de Coimbra.
É o que emprega mais gente. Teve apenas 0,08% de desempregados.
Entre as maiores faculdades públicas de Direito, por exemplo, a taxa de desemprego é maior no Porto, com 6,3%, seguindo-se Coimbra, com 4% e a Universidade Nova de Lisboa, 1,2%.
Já nas engenharias, na Universidade da Beira Interior dois em sete engenheiros civis estão no desemprego, na Universidade de Coimbra é só um em 59. E no Instituto Superior Técnico são 50 desempregados em 1.057 licenciados em Engenharia Civil.
Fica o aviso!!!

Ainda a propósito do FORAL...



 
Artigo 335.º do Código Penal – Tráfico de influência

Como diria um eminente jurista, salvo melhor opinião, ISTO é um crime público em que o Ministério Público pode e DEVE abrir um processo de averiguações perante os indícios.
Transcrevo:
«1 – Quem, por si ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, solicitar ou aceitar, para si ou para terceiro, vantagem patrimonial ou não patrimonial, ou a sua promessa, para abusar da sua influência, real ou suposta, junto de qualquer entidade pública, é punido: a) Com pena de prisão de seis meses a cinco anos, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal, se o fim for o de obter uma qualquer decisão ilícita favorável;
b) Com pena de prisão até seis meses ou com pena de multa até 60 dias, se pena mais grave lhe não couber por força de outra disposição legal, se o fim for o de obter uma qualquer decisão lícita favorável.
2 – Quem, por si ou por interposta pessoa, com o seu consentimento ou ratificação, der ou prometer vantagem patrimonial ou não patrimonial às pessoas referidas no número anterior para os fins previstos na alínea a) é punido com pena de prisão até três anos ou com pena de multa.»

É QUE ISTO CONFIGURA, SALVO MELHOR OPINIÃO, UM CRIME.
E O SENHOR DOUTO PINTO MONTEIRO SE CALAR  E NADA FIZER, EU JURO-VOS QUE NÃO ACREDITO NA JUSTIÇA E VIVEMOS NUM PERFEITO ESTADO DITATORIAL, ONDE AS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS NÃO FUNCIONAM!!! 

Leitura

No tempo em que ler o jornal »A Bola» era sinónimo de boas leituras, feitas por excelentes profissionais e, acima de tudo, por brilhantes escritores e jornalistas.
Lembro-me das crónicas do Carlos Pinhão.
Recordo-as com prazer e o gosto de ler.
Hoje recordei-me de um livro do Carlos Pinhão.


Boas leituras.

Do livro retirei duas imagens interessantes, bigodes e cabelos!!




domingo, junho 24, 2012

Não à INDIFERENÇA


PETIÇÃO PUBLICA CONTRA A ESCRAVATURA DO SEC. XXI E A FAVOR DA LIBERTAÇÃO DE TODAS AS CRIANÇAS ESCRAVAS DO LAGO VOLTA, NO GANA
Para Assembleia da República, Primeiro Ministro, Tribunal internacional dos direitos humanos e UNICEFF.
ASSINA A PETIÇÃO.

E por cá?


Na Alemanha já há acusados, julgados e condenados no processo de subornos relacionada com a venda dos dois submarinos a Portugal.
E por cá, neste «jardim à beira-mar plantado»??? Paraíso de corruptos, sem lei e sem justiça onde quem manda é o «xerife».
Estranhamente os subornos alemães foram feitos mas não se encontram subornados.
Pois é....
Ou será que para dançar o tango já não são precisas duas pessoas....
TUDO VIRTUAL....
Há suborno, não há subornados....
Ou se calhar não se querem encontrar......os subornados?????
QUE BOM QUE É ....

A notícia......

Depois da invasão dos noticiários sobre o «euro» eis que...chega a notícia....
Não, não vou falar da derrapagem orçamental...essa já era conhecida.....só faltava o tempo e o modo para ser aceite pelos acéfalos!!!
A notícia: «Coelho e Portas andam pela Colômbia a tentar vender a ...TAP»!!!!
E eu a pensar que pela Colômbia os carteis se dedicavam a outra «coisa»... «negócios ilícitos» e, sai esta da «tentativa» de venda da TAP!!!
Será que a «coisa» está bem contada???
Qual o cartel que a vai comprar???? Mistério.....
Será que a TAP que se fala na notícia é outra «coisa» ....«Tráfico de Alucinogénios Patológicos»!!!
Talvez.....outra «coisa»!!!!

O FORAL

QUEM DUVIDAVA DAS «QUALIDADES» DESTES PEDANTES, AQUI FICA A PROVA PROVADA.


 
DEPOIS DISTO, SE NÃO PEDEM A DEMISSÃO, ROGO-ME NO DIREITO DE OS TRATAR OS CHARLATÕES DO SÉCULO!!!

Porque é que o Partido Comunista Chinês gosta tanto do PSD?


José Luís Arnaut, ex-ministro do PSD e homem de confiança de Durão Barroso, acaba de ser nomeado presidente do conselho de administração da REN. A REN foi vendida há poucos meses a uma empresa do PC Chinês.
Eduardo Catroga, ex-ministro do PSD e homem de confiança de Aníbal Cavaco Silva, foi nomeado presidente do conselho de supervisão da EDP. A EDP foi vendida há poucos meses a outra empresa do PC Chinês.
O PC Chinês aprecia, valoriza e escolhe os grandes quadros deste país. Que são os ex-ministros do PSD e os seus homens de confiança.
( Francisco Louçã).
Gostei de ler.

O SNI com «novo» relvado....

Vinganças de sangue



Um grupo de albaneses exibe fotografias de Marie Qujak, uma jovem de 17 anos, alegadamente assassinada numa vingança de sangue, tal como o seu avô, quando trabalhavam juntos no campo.
O grupo protesta contra o fenómeno das vinganças de sangue, que na Albânia, especialmente no norte, aterroriza gerações inteiras, que mal se atrevem a sair de casa, temendo vinganças de sangue com décadas de existência.
BARBÁRIE!!!

sábado, junho 23, 2012

E agora???

A deliberação da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) relativa às alegadas pressões ilícitas de Miguel Relvas sobre o jornal "Público" saiu incompleta.
A versão final do documento deveria incluir a frase "a ERC considera, tal como a direção do 'Público', que a pressão foi inaceitável, e considera também que a resposta da direção do 'Público' foi proporcional à ameaça".
Mas um lapso (????) dos serviços do regulador acabou por não atualizar a versão anterior - e que acabou por ficar como definitiva.
QUEM ACREDITA EM TAL LAPSO???????
ALDRABÕES???
E. AGORA SENHOR MAGNO É ILÍCITO?????
Pois não é...já se sabia...LAPSO...
Curioso, noutros tempo,s chamavam-lhe outra «coisa»!!!

sexta-feira, junho 22, 2012

Coincidências??? NÃOOOOOO

Hoje dia do ROUBO, os partidos do arco ...do poder acordaram nos elementos que vão constituir o Tribunal Constitucional...os da NOMEAÇÃO DIRECTA E POR .....CONVENIÊNCIA INTERPARES!!!
Isso mesmo HOJE...dia do ROUBO!!!
Percebe-se a razão!!!!
Será que não perceberam?????
É O RECURSO, ESTÚPIDO!!!!
Que VIGARICE POR AÍ VAI..........
HOJE FICÁMOS MAIS E MAIS POBRES!!!!!
ROUBO!!!!!

O «moita carrasco»


Para que serve uma «nova lei laboral» se já não há trabalhadores???
BACOCOS!!!
PAROLOS!!!

AS MEIAS ...FINAIS



 
DERRAPAGEM NAS CONTAS PÚBLICAS!!!
MAIS E MAIS AUSTERIDADE PARA BREVE....
ASSIM VAI O PAÍS COMANDADO POR UNS ACÉFALOS!!!

HOJE É E SERÁ SEMPRE O DIA DO ROUBO

Hoje dia 23 de Junho de 2012 a maioria dos funcionários públicos foram espoliados, ROUBADOS dos seus legítimos direitos e, o mais evidente de TODOS o SEU SUBSÍDIO DE FÉRIAS!!!
ROUBARAM-NOS!!!!
Uma corja de pulhas ROUBOU-NOS!!!
Roubaram-nos para darem o nosso dinheiro aos ladrões de sempre.....
BASTA!!!
RUA COM A ESCUMALHA!!!

MENTIR

Já alguém dizia que "Os mentirosos são sempre pródigos em juras."!!!
Quem assistiu à «quadratura do círculo" onde um tal de Magno, Carlos, presidente da ERC (Entidade Reguladora da Comunicação Social), armado de sacos de areia, foi atirando-a para cima dos incrédulos telespectadores.
Foi triste, muito triste assistirmos alguém dizer, o senhor Magno, douto presidente da ERC, eleito pelos pares do PSD, dizer as enormidades que inundaram o pântano do programa....
Nem um PP (Pacheco Pereira) conseguiu salvar a barca do INFERNO.....
Dizer-se que o facto de um ministro ameaçar uma jornalista com a divulgação, na Internet, de assuntos da SUA VIDA, em represália pelo facto de publicar uma notícia que envolvia um tal de Relvas; ou que a ameaça de não voltar a falar para o jornal que empregava a jornalista e, indo mais longe, comprometendo-se a fazer com que TODO o (des)governo não comprasse o periódico!!!
DIZER-SE QUE TUDO ISTO NÃO É UMA ILICITUDE!!!!
É GRAVE, MUITO GRAVE!!!!
SÓ MESMO NO BOTÃO, NA COREIA DO NORTE OU OUTROS QUE TAIS....
NOJENTO!!!
Vómito de escarro!!! 

AVISO!!!!

Por favor não me enviem mais mensagens, anúncios e outras «tangas» sobre o «patriotismo» veiculado pelos «feitos» de uns quantos senhores que dão uns pontapés numa bola.
Estou farto de anúncios bacocos, parolos de 11 por não sei quantos....um jovem que foi pago para ler um discurso oco e escrito por um acéfalo...por frases do tipo...«até os comemos»....farto....FARTO...
Gosto de futebol, gosto sim senhor!!!
Mas, PALHAÇADAS ...BASTA!!!!
Nem vou utilizar o discurso do «desgraçadinho» que o país está mal...JÁ TODOS SABEMOS. TODOS MENOS UNS PORCOS E SEBENTOS!!!
Não, não vou por aí.
Apenas e tão só cidadania de saber ser e estar, agora e sempre!!!
Chega??
Obrigado!!!

PÉSSIMO JORNALISMO

Já sabemos que alguns jornalistas não olham a meios para atingir certos fins.....
Hodiernamente, com a crise, a notícia é, cada vez mais, o homem que mordeu o cão e não o cão que mordeu o homem...
Veja-se esta notícia publicada no Jornal de Notícias: «70% dos atropelamentos verificam-se nas passadeiras»!!!!
Ou seja, quem ler a notícia fica a saber que quem passa uma estrada, fora da passadeira fica a salvo de ser atropelado.
Isto chama-se PÉSSIMO JORNALISMO!!!
O que o jornalista devia ter feito é uma análise SÉRIA das razões de tantos atropelamentos e. depois não fazer sensacionalismo, demagogia com tais notícias.
Se o cidadão estiver atento ao que se passa à sua volta, facilmente descobrirá que uma das razões da existência de tantos atropelamentos em passadeiras, passa pela péssima localização das mesmas.
Veja-se o caso da cidade da Guarda. Passadeiras localizadas em cima de rotundas, em cruzamentos e sem quaisquer sinalizações das mesmas.
Isso sim, seria jornalismo sério e honesto e não jornalismo de sarjeta.

quinta-feira, junho 21, 2012

Os apertos ......





O Governo do Passos e o Partido do Seguro (PS) vão se entendendo às mil maravilhas, com sucessivas e contínuas aproximações!!!
É a chamada «abstenção violenta ou virulenta»!!!!
Desde a posição conjunta sobre a educação, a saúde, a justiça, a lei laboral e......agora os «instrumentos» que Portugal deve usar para enfrentar a crise. Fazem-se as malfeitorias,aquilo a que chamam de "reformas estruturais", acabando com direitos laborais, direitos sociais, privatizando tudo, da electricidade às águas e depois, quando estão mais aflitos, vendem a ideia da inevitabilidade, depois dos acordos, (entre falsas zangas de namorados), da concertação e dos largos consensos. Disto tudo o que acaba sempre por acontecer é mais austeridade para muitos e mais riqueza para alguns com as injustiças sociais a agravarem-se e a fome a bater à porta de muitas casas (quando ainda há casa).
«Aperta, aperta com ela», que ainda acaba por se deitar.....

ACTA: O dia do juízo


Não é o juízo final sobre o ACTA, nem o fim «anunciado» da Europa.....nada disso....mas a votação que vai fazer-se esta quinta-feira na Comissão de Comércio Internacional (INTA) do Parlamento Europeu poderá ser determinante para que a ofensiva censória e contra a privacidade dos cidadãos possa ficar sem efeito.
Nestas horas que antecedem a votação multiplicam-se as manobras, através da Comissão Europeia, dos lobbies representativos dos grandes interesses e objetivos por detrás do tratado com a estratégia de pelo menos arrastar o processo para o Tribunal Europeu de Justiça, congelando-o. Os partidos da maioria conservadora-socialista do Parlamento Europeu estão profundamente divididos sobre o assunto, sendo as "tropas" favoráveis ao perigoso acordo comandadas pelo presidente da INTA, o socialista português Vital Moreira.
Pois esse mesmo.....
Para quem anda distraído  relembrar que o ACTA, Acordo Mundial Contra a Contrafação, é o centro de uma polémica de âmbito mundial que, lançado e negociado em segredo por alguns grandes potências capitaneadas por Estados Unidos, Canadá, Japão e envolvimento total da União Europeia, pôs desde o início de lado os países em vias de desenvolvimento. O alarme sobre as perigosas características do acordo, patrocinado pelas grandes corporações comerciais e industriais de base norte-americana, sobretudo a indústria de entretenimento, foi dado através da leitura de vários documentos oficiais tornados públicos através do site WikkiLeaks.
O ACTA é um tratado que, através da alegada pretensão de combater a contrafação, defendendo os direitos autorais e de propriedade, cria condições para ataques contra a liberdade de expressão e a privacidade dos cidadãos, principalmente na Internet. Este objetivo é há muito perseguido pelas instituições mundiais dominantes, como é demonstrado pelos projetos contra a liberdade na Internet apresentados no Congresso dos Estados Unidos – o SOPA e o PIPA.
A aprovação do ACTA pelo Parlamento Europeu é fundamental para que entre em vigor no espaço da União. Numa primeira votação em plenário, realizada há um ano, a votação foi ligeiramente favorável ao tratado, numa altura em que o debate sobre as características do documento ainda não tinha sido aprofundado com todos os elementos e reflexões que se foram tornando disponíveis.
De então para cá as posições dentro dos socialistas e mesmo no PPE (direita) vêm-se alternado e as votações que se têm realizado sobre os relatórios em várias comissões do Parlamento Europeu têm sido no sentido da reprovação do ACTA.
A votação de quinta-feira na Comissão de Comércio Internacional não é decisiva mas pode ser uma indicação determinante para os resultados finais em plenário durante a sessão de Julho.
Por isso, os lobbies e a Comissão Europeia têm multiplicado manobras e pressões sobre os eurodeputados pelo menos para que não reprovem já o tratado e permitam que possa ser apreciado pelo Tribunal Europeu de Justiça, um processo que poderá levar até dois anos e é uma estratégia "de congelamento e esquecimento", como dizem alguns parlamentares.
O comissário do Comércio, Karel de Guth, pediu para falar à comissão antes da votação na quinta-feira, o que foi concedido desde que a sua intervenção fosse seguida pelas dos coordenadores. De Guth mudou então de ideias e pediu para que a sua intervenção fosse na tarde de quarta-feira, não sendo conhecida ainda a decisão sobre esse assunto.
Outro sinal de que as movimentações e as pressões são muitas é o facto de, segundo o jornal Le Soir, de Bruxelas, um deputado do PPE ter pedido que a votação seja secreta, o que revela o tipo de comportamentos que estão em curso sobre o assunto e que confirmam o perigoso carácter das questões levantadas sobre os seus verdadeiros objetivos.
Se em Julho o plenário do Parlamento Europeu votar contra o tratado, a União Europeia tornar-se-á território livre do ACTA.
Publicado no site do Grupo Parlamentar Europeu do Bloco de Esquerda.

quarta-feira, junho 20, 2012

Pressões......e volumes....

Vitorino, a Dona Ana Paula, secretária do ministro dos camelos, do «jamais», o Lino, Mário, escreveu ao tribunal.
Para o que lhe deu...escrever...e logo para o tribunal...podia ter escrito as novas viagens do Gulliver ...mas......tribunal!!!
A Dona Ana Paula Vitorino diz no testemunho, que escreveu ao tribunal, esta «coisa» tão simples e transparente....«houve pressões do Mário, o Lino»!!!
Dona Ana Paula já viu o que foi escrever???
Muito feio.....
Pressões??? A lei de Boyle-Mariotte???
Mas essa já foi descoberta há muito tempo e diz que «Qualquer aumento de pressão produz uma diminuição de volume e qualquer aumento de volume produz uma diminuição de pressão."
O volume e a pressão são inversamente proporcionais, sabia????
Tanto tempo a conduzir camelos e...vai de falar em ..pressões???
Esclareça só um pequeno, mas importante, «por maior»....as pressões do senhor Mário Lino eram sobre o quê??? E a lei do Boyle-Mariotte aplica-se ...no caso do testemunho???
Importante esclarecer.....

E....a derrocada é TOTAL

Ministério da Educação e Ciência investiga fuga de informação no exame de Português do 12º ano.
Ao que consta já era conhecida a prova!!!
Até «circulou» em SMS entre muitos alunos....
INVESTIGUEM.....
Só que NADA SE VAI SABER...
CALADOS....
Os ratos e ratas são muitos.....em especial nas «fugas»!!!

E os boys esconderam o trapaceiro


A proposta de deliberação acerca do caso das pressões do ministro Miguel Relvas sobre o Público, que é discutida hoje pelo Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), considera que houve uma pressão inaceitável sobre o jornal, mas refere que esta não pode ser considerada ilícita.
Que bonita prosa para enrolar pategos!!!!
É INCEITÁVEL MAS....NÃO PODE SER ILÍCITA!!!
Só para rir destes BADAMECOS!!!
Isso mesmo...ficam muito bem na praia do meco a enxotar moscas!!!
Não é senhor Seabra????
O dono de Sintra......

E nós, pá?

As eleições na Grécia indiciam uma viragem no panorama político europeu. Não tanto pelos resultados: a maioria relativa da Nova Democracia, uma diferença de menos de 3% em relação à Syriza, a esquerda anti-austeritária que rondou os 27%. 
Há muito que não se assistia a uma tal campanha internacional de chantagem, com declarações de Merkel e Obama, de banqueiros, ameaça de bancarrota e expulsão da zona euro, imagens de corrida aos multibancos… Valeu tudo para anunciar o “caos”, o corte de salários e pensões em caso de vitória da “esquerda radical”.
Porém, um mito desabou com as eleições gregas: o da inexistência de alternativas à austeridade. Uma larga faixa do eleitorado, maioritária entre os 18 e os 45 anos e nos principais centros urbanos, como a Grande Atenas, o Pireu e Patras, recusou a chantagem da inevitabilidade e a ditadura da troika. 
A Syriza corporizou essa alternativa: renegociação da dívida, a começar pelos prazos e pelos juros; auditoria cidadã e internacional (como fez o Equador) para distinguir a dívida legítima da ilegítima, nomeadamente a que resulta de compras de material de guerra desnecessário e de práticas de agiotagem; prioridade ao investimento produtivo e gerador de emprego.
E, claro, disse não à chantagem da expulsão da UE e do euro, recusada pela larga maioria da opinião pública grega. O que é preciso é alterar as regras, a começar pelo Banco Central Europeu que empresta a 1% aos bancos para estes cobrarem 4% ou 5% aos países pelas dívidas soberanas, já sem falar nos famosos eurobonds.
Em desespero de causa, nos últimos dias da campanha até a Nova democracia veio defender a renegociação da dívida, já recusada pela arrogante chanceler Merkel. Independentemente do governo que a direita conseguir formar (ou não) com o PASOK e a Esquerda Democrática, nada ficará como dantes na Grécia. E não só à esquerda: é preocupante a percentagem de 7% dos nazis da “Aurora Dourada” que expulsaram violentamente os mendigos e os imigrantes duma zona central de Atenas.
E não é só a Grécia que está a mudar. Em Espanha, o resgate anunciado “apenas para a banca” teve o mérito de deixar claro quem vai beneficiar de 100 mil milhões de euros. E já se sabe quem vai pagar a conta. É de saudar a greve e a resistência dos mineiros das Astúrias à repressão neofranquista, os milhares de jovens que ocupam casas despejadas por ordem dos bancos e a fabulosa manifestação de humor e arte “Bankia, pulmones y branquias” - ver http://www.youtube.com/watch?v=iop2b3oq1O0.
Na lógica implacável dos “mercados” e das agências de rating, segue-se a Itália, com um primeiro-ministro (Monti) nomeado diretamente pela finança, sem eleições. E não são só os PIIGS: a Holanda e a Bélgica estão ameaçadas, as dificuldades dos bancos franceses podem agravar-se se Hollande consumar o divórcio com a Merkel, etc…
A Europa aproxima-se da hora das grandes decisões. Ou se afunda numa espiral de austeridade, recessão e pobreza que mina (como na década de 1930) os fundamentos da própria democracia. Ou inverte o rumo suicidário e abre um novo ciclo de resgate social, de combate às desigualdades e de desenvolvimento sustentado. 
A Syriza apontou o caminho. E nós, pá?

(Alberto Matos in “Correio Alentejo” de 22 de Junho 2012)

Este ou é INGÉNUO ou quer fazer dos portugueses burros





 
 
Nas quem acredita que em Portugal algum político será acusado e condenado por enriquecimento ilícito???
Quem acredita que a investigação e a justiça FUNCIONA em Portugal???
Quem acredita que secretários, ministros, presidente da república, concessionárias e banqueiros e TODA A CORJA alguma vez justificará o quer que seja??
INGÉNUOS???? NÃO
ACÉFALOS??? NÃO
PAGANTES DAS LOUCURAS E DAS NEGOCIATAS??? SIM

A Moção

Em Dezembro de 2011, poucos dias após a tomada de posse do actual conselho de administração da ULS da Guarda, o Bloco de Esquerda apresentou uma moção à Assembleia Municipal que, no essencial e na sua primeira versão, propunha o seguinte:A Assembleia Municipal da Guarda deseja que o novo conselho de administração da ULS saiba e queira assumir as suas responsabilidades em defesa de um património humano e material absolutamente vitais para o desenvolvimento e sobrevivência da nossa terra.
E acrescentava:
Em nome da clareza de processos, lançar desde já à nova presidente do conselho de administração o desafio de liderar um movimento supra-partidário em defesa da maternidade da Guarda de cujo sucesso faça depender o seu próprio exercício do cargo.
A Assembleia Municipal da Guarda lança o repto à Dra. Ana Manso de anunciar publicamente que se demite do cargo que acaba de ocupar caso a maternidade da Guarda seja encerrada, mostrando desta forma que põe de facto os interesses da sua terra e região acima de quaisquer outros.
Concluía-se:
Que o novo conselho de administração diga claramente à população e a esta Assembleia Municipal se vai ou não haver obras de remodelação dos velhos pavilhões. Para quando o seu início? Para quando a sua conclusão?
          Para que a moção fosse aprovada, o Bloco de Esquerda foi obrigado a atender a alguns argumentos invocados por deputados municipais do PSD, do PS e do CDS.
          No caso dos argumentos invocados pelo líder parlamentar do PSD, recordo-me que aquilo que o chocou na versão inicial da moção foi a sugestão para que Ana Manso fizesse depender a permanência no cargo do sucesso da luta pela maternidade da Guarda.
Por outras palavras, na óptica do PSD (partilhada, diga-se, pelo PS), nem pensar em sugerir a Ana Manso que pusesse a sua cabeça no cepo pela maternidade.
Como considerámos que muito mais importante do que isso era a aprovação da moção, aceitámos retirar o parágrafo que tanto incomodou o PSD.
Compreendemos muito melhor agora o que incomodava o PSD e o deputado João Correia.
Poucos dias depois da Entidade Reguladora da Saúde ter tornado público um Estudo para a Carta Hospitalar, através do qual percebemos que há uma intenção “técnica” de encerrar a maternidade da Guarda, a presidente do conselho de administração da ULS anunciou o seu novo projecto para o hospital.
E que projecto!
De um plano inicial de obra orçado em 100 milhões euros (40 milhões para a 1.ª fase e 60 para a 2.ª), surge agora, como por milagre, uma “coisa” em que a 2.ª fase se divide em 4 com um custo já não de 60 milhões mas de 5,7 milhões.
E como consegue Ana Manso este verdadeiro milagre?
De uma forma muito simples: destruindo o hospital.
De um projecto inicial de 100 milhões de euros ficaremos reduzidos à tal “coisa” em que 88% da verba (40 milhões de euros) é aplicado na ampliação (1.ª fase) e 12% (5,7 milhões de euros) na 2.ª, 3.ª, 4.ª e 5.ª fases.
Segundo as notícias saídas na imprensa, a presidente do conselho de administração apresentou a médicos, enfermeiros e autarcas do distrito um plano irrealista, virtual e suicida.
Pretende transformar um remendo num outro remendo com metade da área, por um décimo do preço em prazos absolutamente irrealistas.
Só para se ter uma ideia, os prazos propostos para a remodelação do pavilhão n.º 2 (onde se previa que viesse a funcionar a maternidade) decorreriam de Junho a Dezembro de 2012. Leram bem: Junho. Acontece que de Junho já se foi metade e naquele pavilhão continuam a funcionar em pleno a urgência, o bloco operatório, a cirurgia, a ortopedia, etc., etc., à espera que o novo pavilhão fique pronto.
Tudo isto no meio de um turbilhão que envolve valências clínicas à beira de serem perdidas para a Covilhã, como é o caso da maternidade.
Um verdadeiro delírio.
Voltando à moção de Dezembro, confessamos que o repto que o Bloco de Esquerda pretendia que fosse lançado à Dra. Ana Manso ia no sentido de que queria acreditar que os interesses do hospital, da Guarda e das suas gentes vinham sempre à frente de quaisquer ambições políticas ou pessoais da presidente do conselho de administração da ULS.
Engano.
Ana Manso prefere ser presidente de coisa nenhuma do que colocar em risco um cargo de nomeação político-partidária, um job típico dos tempos que vivemos.
Compreendemos agora muito bem as reservas ao primeiro parágrafo da moção colocadas pelo deputado municipal do PSD.
Interessa-nos pouco ou nada o que o PSD local possa ter a ganhar ou a perder com esta proposta delirante de Ana Manso; tampouco nos interessam os ganhos políticos do PS com este estampanço do rival.
Interessa-nos, isso sim, que os interesses da Guarda sejam defendidos, pelo menos uma vez na vida, com seriedade e sem corporativismos partidários e é aí que têm que entrar na liça as pessoas de bem que todos os partidos tenham, sejam o PSD, o PS, o BE, o CDS ou o PCP.
Lançamos agora o repto que não concretizámos em Dezembro: Dra. Ana Manso, faça um favor a todos os guardenses e demita-se.
Com urgência.

(artigo publicado no jornal «O Interior» em 13 de Junho de 2012)

Nova «terminologia»!!! ROUBO, ALDRABICE!!!!

Já aqui o escrevemos....uma corja de malfeitores ROUBOU A MILHARES E MILHARES de portugueses os subsídios de férias e Natal que, por lei, SÃO ALIENÁVEIS.
Agora, a mesma corja INVENTOU uma nova terminologia para PAGAR AOS SEUS BOYS E GIRLS os ditos subsídios.
Os Subsídios de Férias e de Natal passaram a designar-se  "ABONO SUPLEMENTAR" para poderem ser atribuídos aos amigos e protegidos.
Isso mesmo.
Não acredita???
Aqui está a prova....

Despacho (extrato) n.º 774/2012
Nos termos e ao abrigo do disposto nos n.
artigo 6.º do Decreto -Lei n.º 262/88, de 23 de julho:
1. É nomeada Helena Isabel Roque Mendes para, no âmbito dos nossos Gabinetes, exercer funções de apoio à Rede Informática do Governo (RING) e de interface com o Centro de Gestão da Rede Informática do Governo (CEGER).
2. A nomeada auferirá uma remuneração mensal de € 1.575,00 (mil quinhentos e setenta e cinco euros), atualizável na mesma percentagem do índice 100 da escala salarial das carreiras do regime geral da função
pública, acrescida do subsídio de refeição que estiver em vigor.
3. Nos meses de junho e novembro, para além da mensalidade referida no número anterior, será paga outra mensalidade de € 1.575,00 (mil quinhentos e setenta e cinco euros), a título de abono suplementar.
4. Os encargos resultantes do presente nomeação serão suportados pelo orçamento do Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Superior.
5. O presente despacho produz efeitos a partir de 28 de junho de 2011, e é válido pelo prazo de 1 ano, renovável, até à sua caducidade, conforme o previsto na parte final do artigo 11.º do Decreto -Lei n.º 262/88, de 23 de julho.
11 de janeiro de 2012. — O Secretário de Estado do Ensino Superior,
João Filipe Cortez Rodrigues Queiró.
A Secretária de Estado da Ciência, Maria Leonor de Sá Barreiros da Silva Parreira.

Para rir, enquanto o "zombie" não nos paga os reembolsos do IRS!!

Rita e o namorado estavam no quarto, quando a mãe da Rita, que preparava o almoço, chama:

- Rita, o almoço está pronto!
- Já vou mãe. Não demoro.
- Eu sei o que eles estão fazendo - diz Joãozinho, o irmão mais novo.
A conversa não é contigo, calado.
- Rita, anda! Vem prá mesa - diz a mãe.
- Já vou, mãe!
- Ha, ha, ha !!! Eu sei o que eles estão a fazer - continua o pestinha.
O pentelho leva um estalo e cala a boca.
Passado quase meia hora, a mãe, novamente:
- Rita, apressa-te que a comida vai arrefecer!
- Oh mãe, já vou... - diz a filha, quase a chorar..
O Joãozinho então começa a rir e diz:
- Eu sei o que eles estão a fazer... Ha ha ha...
A mãe diz:
- Diz lá então, peste!
- A Rita pediu-me o tubo da vaselina... E eu dei-lhe a Super cola 3.

Perceber

Duas ou três semanas

terça-feira, junho 19, 2012

Questão de milhões


Uma dá lucro aos milhões!!
Outra dá a ganhar a milhões!!

Tauromaquia é cultura????

A Câmara Municipal da Guarda vai «apoiar» uma TORTURA pública de animais.
O seu presidente, Joaquim Valente chama.lhe cultura!!!!
A barbárie não tem limites, e estas gentes que continuam a achar que a tortura é cultura, nunca mais entendem que "existe uma linha que os separa da realidade"!!

Como é tão fácil acreditar

Texto do Professor Galopim de Carvalho que o de Rerum Natura agradece.

(Crónica posta na boca de um antigo aluno do ensino especial, em finais dos anos 50 do século passado)



«Chamo-me Alexandre Herculano, exactamente como o grande escritor e historiador do século XIX e confesso que nunca li nada do que ele escreveu.
Comecei cedo a ganhar o pão que comia e o trabalho encheu todo o meu tempo. Tenho 66 anos e sou mestre numa oficina de reparação de automóveis. Faço de tudo, mas a minha especialidade era bate-chapas, arte que está a desaparecer porque o mercado é mesmo assim. Não olha aos problemas de cada um. Substitui-se o guarda-lamas amolgado por um novo, vindo da fábrica, e toma lá, paga, vai com Deus e quem se lixa são os muitos que ficam sem ganha-pão. Comecei a trabalhar aos 15 anos, como aprendiz, e tive sorte com o patrão. Pagava-me mal, mas deu-me cama, mesa, roupa lavada e uma profissão. Isso permitiu-me sair de casa, onde não recebi amor nem educação, e começar vida nova. Quando acabei a tropa já tinha modo de vida.
Voltei à mesma oficina, casei e também tive sorte nesta outra estrada da vida. Tenho dois filhos, já homens maduros, que me deram quatro netos que são o meu encanto. Vou trabalhar enquanto puder e faço questão de ver bisnetos. Sou bom português, respeito as leis e dou-me bem com toda a gente. Sou apenas isto, não mais do que isto e posso dizer que, tirando o meu tempo de criança, a vida não me foi madrasta. Como profissional devo muito ao meu patrão, o mesmo desde o primeiro dia. Também é verdade que lhe dei bom dinheiro a ganhar. Estamos quites.
Mas quem me ensinou a ser gente foi a minha professora da classe especial na escola primária do meu bairro. Foi ela que me abriu as portas da vida. Na altura, eu tinha 11 para 12 anos e ela era uma senhora na casa dos 25 ou 26 anos, mas mais parecia uma menina, bonita, alegre e bondosa como uma santa, mas firme. Foi uma luz que entrou na minha existência e na dos outros rapazes daquela classe, uns quinze, ao todo, cada um com os seus problemas. Uns bem comportados mas burros como uma porta, outros mal comportados como eu.
Eu era o pior de todos. Era o que se pode dizer, um “corrécio”, com castigos vindos de todo o lado, uns atrás dos outros, em casa, na escola e na polícia. Toda a gente me afastava ou se afastava de mim, uns porque me desprezavam, outros porque me temiam. Os meus amigos, ou melhor dizendo, os rapazes com quem andava, eram outros desgraçados como eu. Formávamos um bando de pequenos malfeitores caminhando a passos largos para a criminalidade. As prisões estão cheias de homens que foram rapazes que cresceram marginalizados como nós. Eu usava o cabelo cortado à escovinha, o que deixava ver as cicatrizes das pedradas que apanhei em guerras de rua com outros rapazes da mesma condição de abandono. Por isso, no grupo, eu era o “moças”. Fazíamos asneiras de toda a espécie e roubávamos o que estivesse ao alcance da mão.
De todos, só eu encontrei o caminho certo que fez de mim o homem que sou, e isso devo-o, repito, a esta minha professora e ao patrão que ainda hoje me dá emprego. Cresci pobre e sem carinho de mãe que se limitou a dar-me de comer e de dormir. Mas, nem sempre. Foram muitas as vezes que tive de me “desenrascar” para matar a fome, pedindo ou roubando. Sempre vesti roupas usadas que me davam e, sempre que a minha mãe precisava da minha cama para uma das amigas receber a visita de um cliente, eu ia dormir na escada, mal enrolado numa manta. Nunca conheci o meu pai mas conheci muitos homens que iam lá a casa. Alguns davam-me porrada, outros, mais simpáticos, davam-me uns tostões, o que me permitia comprar um bolo e, algumas vezes, cigarros “Provisórios” ou “Definitivos”, que eram os mais baratos e dos quais se vendiam um, dois ou três, conforme o dinheiro que a gente tivesse na mão.
Foi assim que cheguei aos 11 anos, reprovando ano após ano, fazendo gazeta, batendo nos colegas, atirando tinteiros aos professores, dando pontapés nas contínuas, dizendo palavrões. Foram muitas as vezes que a minha mãe foi chamada à escola e, nesses dias, depois dos castigos que lá me davam, já sabia que, quando chegasse a casa, levava uma sova de criar bicho e não jantava.
Quando esta nova professora chegou à minha escola, eu e uma porção de companheiros mal sabíamos ler e escrever e as contas eram uma dor de cabeça. Foi por isso que criaram ali uma classe especial e eu passei a ser um dos seus quinze “atrasados mentais”, como muitos diziam. Mas eu não era burro. O meu problema era odiar a escola e os professores, que me enchiam de reguadas e de outros mimos. Esta raiva que eu sentia e o meu mau comportamento não me deixavam aprender.
Com esta professora tudo mudou. Foram três anos que deram uma volta completa à minha vida. Passei a gostar de aprender e aprendi muito com ela. Passei a gostar da escola e era, quase sempre, o primeiro a chegar. E fazia questão de ir bem lavado e penteado. Um dia, estando eu a brincar com o meu companheiro de carteira, vi, pelo canto do olho, a professora ao meu lado e, de imediato, fiz aquele gesto automático de pôr o cotovelo à frente da cara para a proteger do tabefe do costume, mas em vez disso ela passou-me a mão pela cabeça, dizendo:
- Eu não bato em meninos. Nunca bati e não é agora que vou começar a bater.
Nunca esqueci este «eu não bato em meninos», nem o tom daquela voz, nem a festa que me fez na cabeça. Por muitos anos que eu viva não vou esquecer. Nunca ninguém me tratara assim. Nunca ninguém me chamara menino ou me fizera uma festa. Quando a gente falava a gritar ela dizia sempre:
- Não oiço nada. Só oiço quando se fala baixinho. E temos de andar como os gatos. Sem fazer barulho.
Quando um menino quiser ir à casa de banho, levanta-se, não precisa de pedir licença. Só precisa de não fazer barulho. Sai devagarinho e volta como saiu.
Um belo dia, o Milton, um alarve como eu, mais ou menos da minha idade e com uma história igualzinha à minha, danou-se por não conseguir fazer o trabalho que lhe tinha sido mandado e, esquecendo-se que estava na aula, largou um palavrão dos mais ordinários, que se ouviu em toda a sala. Ainda me lembro qual foi. Ficámos todos parados e calados, à espera da reacção da professora, reacção que recordo como se fosse hoje. No mesmo tom de voz de quem ensina, só disse:
- Eu conheço esse nome e muitos outros e sei escrevê-los todos. Quem os diz tem de os saber escrever. Anda, Milton, vai escrever no quadro isso que disseste.
Ele contava, depois, que nunca sentira tanta vergonha. Já o tínhamos escrito muitas vezes com carvão nas paredes da rua e feito desenhos a condizer, mas escrevê-lo ali na aula, à frente da professora, é que era mais custoso. Não teve outro remédio senão cumprir aquela ordem. Todos leram calados, só com os olhos, sem mexer a boca, e ninguém se riu. Mas a verdade é que nos serviu de lição. Nunca mais se disse uma obscenidade dentro da aula. Na nossa classe só um rapaz vivia numa família como devia ser. Era um franzino, muito magrinho e com pouca saúde. Todos os dias ia uma empregada levá-lo e buscá-lo. Ela é que lhe carregava a mala e o saquinho com o lanche. Quando, no recreio, ele começava a comer, a malta nem queria olhar. Eram só coisas boas. Carcaças com manteiga, fiambre, marmelada ou queijo, bananas e outras frutas. Ele, às vezes, repartia com um ou outro e nunca ninguém lhe fez mal. Todos o protegiam.
No último dia antes das férias do Natal, do ano em que a conhecemos, a Dona Aurora, assim se chamava, chegou à aula e, para nossa grande surpresa, trazia para cada um dos alunos, um pente desses de trazer no bolso, novinho em folha, e um frasquinho com água-de-colónia. A malta começou logo, mesmo ali, a pentear-se a perfumar-se e foi, então que ela disse:
- Assim, ainda gosto mais de vocês.
Foram muitos os dias que eu e mais uns dois ou três, igualmente pobres, íamos para a escola sem ter comido o que quer que fosse. Ela saía, mandava-me a mim, que era o mais matulão, ficar a tomar conta aula, ia a um serviço da tropa que havia ali ao lado e lá arranjava maneira de nos trazer de comer. No fim do primeiro dos meus três anos de classe especial, mercê da sua maneira de ensinar, do carinho que nos dava, a mim e aos outros, eu já lia no livro da terceira classe, já fazia contas e problemas. E os anos que se seguiram foram sempre a descobrir coisas novas.
Naquele ano houve as eleições em que o Humberto Delgado só não ganhou porque a trafulhice nas urnas foi muita. Ganhou o Américo Tomaz e ficou tudo na mesma. Durante a campanha os ânimos andavam exaltados e a polícia, quando era preciso, arriava forte e feio, fosse homem ou mulher. Neste estado de coisas, eu e mais dois ou três, dos mais grandalhões da aula, tínhamos medo que fizessem mal a esta nossa segunda mãe. Pendurávamo-nos num primeiro eléctrico que ela apanhava, ficávamos com ela na paragem, à espera de um segundo, que a levava casa, no Príncipe Real. Esperávamos na rua que ela assomasse à janela e nos fizesse adeus. Depois, correndo e à pendura, voltávamos ao bairro. A malta sentia-se no papel de guarda-costas e ai de quem lhe fizesse mal. Púnhamos-lhe as tripas ao sol.
Por duas vezes, uma em cada ano, levou-nos a visitar a Favorita, onde vimos fazer chocolates e outras guloseimas. Um dos donos da fábrica era seu conhecido e no final da visita dava a cada um de nós um saco com muito do que lá se fazia. Era uma festa a encher a barriga de coisas boas. No dia da primeira visita que fizemos, o director da Escola entrou na nossa aula, estava ela a explicar o que íamos ver e a dizer como nos tínhamos de comportar.
- A senhora vai sair com esta malta? – Começou por dizer aquele sacana que me encheu porrada em criança, numa voz que deu para ouvir.
- Nem sabe no que se vai meter!
- Sei muito bem. – Respondeu ela. - Fique descansado. Eu tomo a responsabilidade.
E lá fomos e voltámos todos, na maior, sem sobressaltos. Ela pagou os bilhetes dos que não tinham dinheiro para o transporte. Hoje eu sei, pelos meus netos que, nestas saídas, as crianças têm de apresentar um papel com a autorização dos pais e que se faz um seguro para o que der e vier. O que me parece bem. No meu tempo não havia esse cuidado. Mas felizmente nunca tivemos quaisquer problemas. Comportámo-nos igualmente bem nos dias em que visitámos a fábrica de bolachas da Nacional e quando fomos ao Jardim Zoológico. Neste dia, a professora conseguiu que o mesmo serviço da tropa arranjasse um farnel para cada um. Ainda me lembro do que vinha no saquinho que nos deram: Uma carcaça com manteiga e mortadela, outra com marmelada, meia dúzia de bolachas, uma maçã e uma garrafinha com um sumo. Grande professora! Foi o melhor dia em todos os anos de escola. Vimos a bicharada toda, corremos, cantámos e enchemos a barriga de coisas boas. Tudo na maior.
Um dia, terminada a aula, já na rua, a professora ia a caminho da paragem do eléctrico que a levava de volta a casa, e três ou quatro de nós, como de costume, uns metros atrás dela. Nesse tempo ainda havia padeiros, de cesta à cabeça, a distribuir pão, porta a porta, pelos fregueses. A dada altura, o raio do homem começou a meter-se com ela, e não te digo nada. Corremos o gajo à pedrada com as pedras soltas do passeio, que são sempre muitas, que ele pôs a cesta no chão e largou a fugir. Depois fomos nós que nos pirámos, mas só depois de gamarmos uma porção de carcaças
O texto foi retirado daqui. As nossas desculpas pela cópia.
Não era justo não o partilhar.
Será que a mensagem passou???
Atente-se nos «pormenores» da descrição mas, não se olvidem os «por maiores» e, desde logo o facto de «tudo isto» se ter passado na década de 50, do século passado.
Perceberam????
Um tal de Crato, que diz não reconhecer qualquer importância à pedagogia, entenderá, por mais ínfima que seja, a importância das várias aprendizagens em contexto dos afectos????
Por favor lei-se, com máxima urgência, um senhor chamado António Damásio!!
Leia-se, urgentemente.