quarta-feira, março 31, 2010

Alguns dos que não pagam a crise


Vítor Constâncio governador do Banco de Portugal ganha 272.628,00 € por ano.
Outros ordenados chorudos do Banco de Portugal :
O Vice-governador, António Pereira Marta - 244.174,00 €/ano.
O Vice-governador, José Martins de Matos - 237.198,00 €/ano.
José Silveira Godinho - 273.700,00 €/ano.
Vítor Rodrigues Pessoa - 276.983,00 €/ano.
Manuel Ramos Sebastião - 227.233 €/ano.

O Vice-governador, António Pereira Marta até acumula o seu vencimento com a sua pensão como reformado ... do Banco de Portugal.
Também Vítor Rodrigues Pessoa tem uma reforma adicional de 39.101,00 €/ano. Total 316.084 €/ano.
José Silveira Godinho também acumula com uma pensão do BP, mais 139.550,00 €/ano. Total 413.250,00 €/ano.
Campos e Cunha, ex-ministro das Finanças recebeu durante os dois meses em que esteve no Executivo 4.600,00 euros mensais de ordenado e uma reforma de 8.000,00 euros do Banco de Portugal.
Mira Amaral saiu da Caixa Geral de Depósitos (CGD) com uma reforma de gestor 18.000,00 euros.
Na altura acumulava uma pensão de 1,8 mil euros, como deputado e 16.000,00 euros como líder executivo da CGD.
Recordar que, Mira Amaral, o tal que apoia incondicionalmente(??) Passos Coelho aufere a reforma ao fim de apenas um ano e nove meses, ao serviço!!!!!!
Coragem portugueses, só vos faltam qualidades!!!

Porcos e maus

Inapto, foi assim que decidiu a Junta Médica que «analisou» Paulo Teixeira Pinto.
Esse mesmo, o do Banco BCP salvo in extremis pela loja maçónica de Portugal, tendo o Vara, o dos robalos à cabeça.
Pobrezinho, não se sabe como vai sobreviver até ao final do mês, tal personagem!
Esqueçam.
O PAÍS INTEIRO PRECISA DE SABER......
Com 46 anos... Inapto por Junta Médica... Hein!...
Diz-se, ainda, que com uma reforma de 35 000€ mensais...
Depois quem paga a crise não é esta cambada. São sempre os mesmos.
O problema não está nos funcionários públicos... está nesta maltrapilha que nunca fez nada...
As notícias que dão conta da desumanidade das juntas médicas, que são manifestamente exageradas.
Afinal há juntas médicas e juntas de médicos.
Para uns só dificuldades, para outros o regabofe do costume.
E a honra para testar tais dissonâncias?
Às urtigas. 
Paulo Teixeira Pinto, em carta enviada à comunicação social diz que passou 'à situação de reforma em função de relatório de junta médica'.
Coitado!!!
Agora, ao que consta vai entrar para um convento.....fazer meditação, retiro pascoal e...escrever poesia.
Descobriu o banqueiro que dinheiro rima com leiteiro!!!
Certamente, ainda mal refeito da forma com que ficou, após ter sido corrido do BCP e da Opus Dei, este banqueiro de 46 anos foi considerado inapto para o trabalho, apesar de já ter arranjado um cargo numa consultora financeira.
Teixeira Pinto nega ter recebido 10 milhões de euros de 'indemnização pela rescisão do contrato' com o BCP, garantindo que apenas recebeu a 'remuneração total referente ao exercício de 2007. Ou seja, RECEBEU 9.732 milhões de euros em 'compensações' e 'remunerações variáveis'.
Estas juntas médicas são as mesmas que recusam reformas a Professores com Cancro? Que dificultam, até dizer BASTA, a que um cidadão deste País obtenha uma reforma miserável de uns 200€?
Porcos, sujos e servis é o que são!!!
TODOS.

CTT privado???

Agora que se anuncia a privatização dos CTT, recordo que no dia 14 de Janeiro de 2005, no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, durante um Encontro dos Correios de Portugal, os CTT pagaram 19.000,00 euros a Luís Felipe Scolari por uma palestra de 45 minutos, que teve como tema algo do tipo «Como fortalecer o espírito de grupo».
A decoração custou mais de 430.000,00 euros e havia dois carros de luxo.
De certeza que Scolari era a pessoa indicada para falar sobre o tema. Principalmente quando esmurrou um jogador de um País que defrontou Porugal.
Mas que melhor palestrante.
Mas, houve mais.
A despesa efectivamente, com a decoração do gabinete do presidente do Conselho da Administração dos CTT, Carlos Horta e Costa, bem como a sua sala de visitas e ainda das salas de visitas e refeições custou 430.691,00 euros.
Carlos Horta e Costa teve à sua disposição, um Jaguar S Type (a renda para o adquirir custou cerca de 50.758,00 euros) e um Mercedes Benz S320CDI comprado por 84.000,00 euros ).
Assim, o Relatório da Inspecção-Geral das Obras Públicas conclui haver «indícios de má gestão» e «falta de contenção de uma empresa que gere dinheiros públicos», pelo anterior Conselho de Administração que liderou os CTT.
Agora, depois de tal gestão tão rigorosa, criteriosa e aplicada, o (des)governo prepara-se para privatizar os CTT.
Bela prenda para os boys!!!

O Aldrabão de feira

Quem dá mais?
É comprar, é comprar são as últimas.
Não custam 20, nem 15 ....só 10!!!
Quem levar duas dou uma de graça!!
Comprem, comprem que para o ano já cá não estou!!!

Sou mecânico à 2ª feira
Sou bombeiro à 3ª feira
À 4ª sou um pirata
Com uma espada de lata
Astronauta de primeira
É o que sou à 5ª feira
À 6ª sou grande chefe
Da tuso da água azul
Ao Sábado sou cowboy
E ao Domingo sou herói

terça-feira, março 30, 2010

Este não paga a crise....ainda a agrava

Marques Mendes - Novo Pensionista !

Aos 50 anos de idade e com 20 anos de descontos como Deputado, Marques Mendes acaba de requerer a Pensão a que tem direito, no valor mensal vitalício de 2.905 euros mensais.
Contudo, um trabalhador normal tem de trabalhar até aos 65 anos e ter uma carreira contributiva completa durante 40 anos para obter uma reforma de 80% da remuneração média da sua carreira contributiva.
Um povo imbecilizado, resignado, servil, fatalista, indolente,  com medo do perigo, tímido, sonâmbulo e que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas, só merece isto!!

Aldrabões & C. ª

Hoje, a mentira faz parte de muito do discurso político oficial.
Os que dizem que nos governam vão-nos impingindo soluções já gastas e sempre, mas sempre, com um único objectivo: castigar as classes sociais mais frágeis.
Os poderosos, os que fizeram tudo para que esta e outras crises nos atormentem, esses ficam a glorificar o aldrabão de feira.
Recordo-as, também, pela indiferença com que um País inteiro se deixou embalar.
Mentiras que circulam à velocidade da luz. Tudo o que foi dito e repetido em folhetos de campanha eleitoral, esquece-se e, pior, faz-se exactamente o contrário.
Não se aumentavam os impostos. Aumentam-se os impostos.
Aumenta-se a idade da reforma nos funcionários públicos.
Congelam-se os salários até ao ano, a perder de vista.
A receita para a crise é sempre a mesma. Podiam inovar, mas não sabem, não querem.
O Governo vai congelar as prestações não contributivas e reduzir a despesa com prestações sociais. Ou seja, nos anos em que a crise vai, ainda, ser mais grave para a maioria dos portugueses, mais e mais desemprego, mais e mais propinas, mais e mais aumento do endividamento (quem ainda o pode fazer), mais e mais falências, mais e mais aumento do preço dos medicamentos, das taxas hospitalares, mais e mais custo de vida, cortam-se nos míseros apoios sociais.
Quem suporta tamanha grandeza de sacrifícios?
Os mesmos de sempre.
Só um coio de aldrabões que manteve sempre que o deficit era de 2,8, até às eleições, agora, dá o dito por não dito e diz que já é só de 9%.
Tal facto obriga a ditadura financeira de Bruxelas a exigir um Plano de Estrangulamento dos Cidadãos (PEC).
Vão retirar as medidas excepcionais de apoio ao emprego e baixar o valor do subsídio de desemprego, porque, espanto dos espantos, segundo eles, deste modo, os desempregados podem "com maior rapidez regressar à vida activa".
Argumentos falaciosos e hipócritas.
Regressar como e onde? Só se for para a emigração. Destino trágico de um povo a quem tudo lhe tiram. Até o direito a ter uma Pátria onde possam trabalhar.
Ou então, se já não se tiver idade para emigrar, regressar com outros ordenados, mais baixos dos que os que já tiveram antes de caírem na situação de desempregado.
E os benefícios fiscais, por exemplo os retirados por este governo em 2007, aos cidadãos portadores de deficiência?
Um Governo que prometeu compensar a perda de direitos desta população com políticas de inclusão alternativas. Desde então, das tais medidas anunciadas, nem sinal.
Mentiras e mais mentiras.
Apenas o tratamento fiscal em pé de quase igualdade entre quem não tem e quem tem que suportar sozinho os muitos custos decorrentes de ser portador de uma qualquer deficiência.
E, quanto à tributação das mais-valias, outra das medidas emblemáticas do programa, só será aplicada quando o quadro financeiro estiver estabilizado, dizem.
Ou seja, a mais-valia sobre a especulação bolsista, lá colocada para fingirem que a crise custa a todos, fica adiada para melhores dias.
Então a crise é mesmo só para alguns.
Bem de ver.
Imagina um qualquer governante, o desespero de quem fica sem trabalho e tem uma casa, filhos, compromissos, créditos para pagar?
Nunca passou por isso nem nunca soube o que é viver com ordenados mínimos para poder imaginar seja o que for.
Pensa em números e esquece-se do que representam pessoas.
Esquece-se ou está-se nas tintas que ainda é pior.
O mesmo Governo que, em representação do Estado, já perdoa a tributação das transacções com offshore, com as quais os ricos e poderosos do país se recriam na prática de crimes como a evasão fiscal ou o branqueamento de capitais, vai agora permitir, a troco de uma declaração daquilo que quiserem confessar que têm em paraísos fiscais e de uma taxa de cinco por cento sobre esse valor, que as empresas apanhadas na operação furacão não apenas limpem a sua ficha tributária, como ainda a sua ficha criminal.
Vergonhoso.
Dizem-nos ou querem-nos fazer acreditar que não há outra solução.
Há solução, sim senhor.
Bastava que houvesse vontade política de retirar todos os benefícios fiscais às empresas que apresentaram lucros superiores a 250 milhões de euros em 2009, para que fossem tributadas à taxa máxima, a receita cresceria 1500 milhões de euros.
Bastava limitar a consultadoria jurídica externa, a que o Governo vem recorrendo, sem qualquer justificação a não ser a de encher os bolsos dos escritórios de advogados «amigos» para, de imediato, reduzir a despesa em 189 milhões.
Bem mais do que a sangria prevista com a redução de benefícios fiscais às classes tratadas como “médias” pelo Plano, o tal PEC, que põem em pé de igualdade despesas com seguros de saúde privados, PPRs ou o colégios de meninos com as despesas com habitação, saúde e educação daqueles que contam os tostões nos últimos dias de cada mês.
Mas, não se julgue que a mentira, o «dar o dito por não dito» é exclusivo do poder central.
Nada disso.
No quintal da paróquia, o executivo camarário da Guarda acertou com os trabalhadores do município, a 3 de Dezembro de 2009, que iriam passar de posição remuneratória através da opção Gestionária. Nada de excepcional pois, a Lei 12-A/2008 de 27 de Fevereiro prevê, precisamente, a possibilidade de as Autarquias Locais deliberarem sobre a mudança de posição remuneratória aos trabalhadores que obtenham classificação de Bom em cinco anos, de Excelente em dois e de Muito Bom em três anos.
Tudo isto foi devidamente acertado com os trabalhadores, repetimos.
Só que, o presidente da câmara Joaquim Valente numa reunião de 17 de Fevereiro de 2010 vem dizer que já não iria respeitar o acordo feito.
Afinal, rasgam-se compromissos acertados, em menos de dois meses? Mente-se e dá-se o dito por não dito? Quem pode acreditar nesta gente? Nesta e na outra, que são farinha do mesmo saco.
O exemplo do chefe projectado, na íntegra, no quintal, ou seja na câmara da Guarda.
Os péssimos exemplos a serem fielmente seguidos.
Lembro, neste tempo de patranhas, as palavras de Almada Negreiros:
«Portugal é um país decadente: porque a indiferença absorveu o patriotismo.
O português como todos os decadentes, só conhece os sentimentos passivos: a resignação, o fatalismo, a indolência, o medo do perigo, o servilismo, a timidez e até a inversão.
É preciso destruir este nosso atavismo alcoólico e sebastianismo, de beira-mar.
O povo completo será aquele que tiver reunido no seu máximo todas as qualidades e todos os defeitos.
Coragem, portugueses, só vos faltam as qualidades.»

( Artigo publicado no jornal «O Interior», no dia 25 de Março de 2010)

segunda-feira, março 29, 2010

O algodão não engana

De facto, os números são difíceis de não fazerem crer, a quem quer que seja, mesmo aos menos instruídos, que a tarefa dos governos em Portugal foi sempre orientada no sentido de apoio directo à banca.
Numa altura, em que uns quantos servis dos mandantes governamentais, andam a insultar-nos com discursos de bisca lambida que, a crise tem que ser vencida pelos mesmo de sempre, é importante olhar com atenção o gráfico que reflecte os dados publicados, pela Comissão Europeia, sobre os auxílios dados pelos vários Estados Membros da UE aos respectivos sectores financeiros (nos dados relativos a 2008 não estão incluídas as medidas de combate à crise).
As barras a vermelho correspondem a Portugal, as azuis à soma dos restantes países da UE.
O gráfico diz-nos só isto, que nos últimos anos, o Estado Português tem gasto mais com apoios ao sector financeiro (só em 2008 foram 1,3 mil milhões de euros, principalmente através de vantagens fiscais) do que todos os outros países da UE juntos. Para depois, termos de pagar,  a roubalheira que se assistiu no verão passado, com roubos, paraísos fiscais, fugas e outros devaneios dos inimputáveis senhores da banca.
Perante isto é mesmo muito difícil aceitar que o governo peça tão pouco ao sector financeiro para o esforço de consolidação orçamental, apostando antes na contenção das prestações sociais, na redução real dos salários e em privatizações sem fundamento.
Difícil de interpretar o gráfico?
Só um acéfalo ou um eunuco não percebe o gráfico.
Os números não enganam e, muito menos nos enganam os coxos mentais dos governantes.

Afinal 27 ou 28?



Devido à impotência e incompetência política da União Europeia, que o Tratado de Lisboa resolveria como Viagra, tudo se vai traduzir na aprovação da adesão de um novo membro com poderes acrescidos na condução das políticas dos restantes 27: o FMI.
Bem-vindos à Europa dos 28.
Mais um ditador financeiro, a bem de alguns!!!

Um ditado popular


Mas que grande ninhada de pedófilos e de encobrir.
Agora, encobrir também se pode escrever com u, graças a Deus.
Ortografia e diabólica será que se conjugam no catecismo?

Todos menos eu

Vítor Constâncio defendeu que os salários dos membros do conselho de administração do Banco de Portugal (BdP) deverão ser congelados este ano.
Vitinho diz isto porque, como se sabe, o incompetente, foi promovido.
A sua incompetência pelo que nada fez na fiscalização sobre a banca, pela sua submissão às ordens dos seus patrões e pela sua gananciosa gula por dinheiro, levou-o a vice-governador do banco Europeu.
E logo para o cargo de supervisor bancário, a anedota do século.
Então, o incompetente leva uma promoção e logo para um cargo para o qual é manifestamente um asno?
Mordomias e um bom salário milionário, soltam-lhe logo a língua para os sacrifícios que outros deverão fazer e para elogiar os seus patrões.
É assim, nesta Europa de incompetentes.
A começar por um Berlusconi, o novo Mussolini, que escolhe as candidatas às suas listas, pelos «serviços íntimos» que recebeu!!
Um Sarcozy e uma Angela Merkel que estão-se nas tintas para o deficit dos outros e, querem é saber da vidinha deles.
Que míseros, incompetentes e porcos governantes vai tendo esta Europa dita deles e, cada vez menos, a de todos os europeus.

Quem nos defende?

O roubo das gasolineiras continua.
Entre a última semana de 2009 e a terceira semana de Março, o preço médio da gasolina e do gasóleo nacionais foram os segundos que mais subiram na Europa a 27, de acordo com dados da Direcção Geral de Energia da União Europeia (UE).
Quem nos defende?
Ninguém.
Dizem que há uma entidade reguladora dos preços dos combustíveis.
Alguém já deu por ela?
Só nos «chorudos» vencimentos que os administradores «levam», para casa, todos os meses.
Haja VERGONHA!

É só a convergir, então não é!!!




Cada português, em média, já deve 18 mil euros ao estrangeiro, ou seja, mais 1750 euros que há um ano. Ou, fazendo outras contas, só para "limpar" a dívida, os portugueses necessitavam de trabalhar um ano e 42 dias.
A isto se chama convergir, não é senhor Sócrates?
E as AJUDAS aos ladrões da banca?
Quem as paga?
Os mesmos de sempre.
Haja vergonha.

sábado, março 27, 2010

A crise

O Governo neste momento de crise, resolveu fazer um leilão de toda a mobília dos ministérios para «equilibrar» o deficit.
À venda consta:
- um lote de governadores civis com molas pouco seguras;
- vários directores gerais de mogno para sala de jantar;
- alguns deputados e alcatifas;
- presidentes de confrarias transformados em breviários gastos, rasgados e sebentos;
- generais da brigada do reumático, retocados;
- um comissário de polícia com algumas deteriorações;
- um par do reino de coiro com o fundo um pouco usado;
- um lote de casacos de abas de grilo roçadas nos cotovelos;
- um procurador de reposteiro de cor desbotada;
- um competente serviço de cozinha, composto de caçarolas, panelas, tachos, amanuenses, chefes de repartições, frigideiras, moços, fidalgos, barris do lixo, economias, etc.;
Entre outros objectos comprados, notam-se alguns muito luxuosos, tais como:
- um presidente de conselho transparente;
- um ministro das obras públicas de carvalho;
- um bispo de brocatel de seda cor de pérola;
- um piano fármaco-político-musical, com a corda partida;
- um orador de biscuit para mesinha de cabeceira;
- algumas parelhas de administradores de raça apurada;
E, várias outras coisas, entre elas a máquina de propaganda eleitoral e a máquina de emigração espontânea.
O leilão terá lugar no Palácio das Necessidades, no dia 1 de Abril, da graça de 2010, pela hora do prime time!!

sexta-feira, março 26, 2010

Assembleia Municipal da Guarda

O sono dos justos ...... pecadores.
Leis de peso ....... e medidas de valor que dormem o pesado sono do esquecimento.
Qualquer semelhança entre esta imagem e o que se passa na Assembleia Municipal da Guarda é pura realidade.
Não há nenhuma sessão em que não se tenha que solicitar, por requerimento, algum documento que, vá-se lá saber, nunca é dado aos deputados a TEMPO E HORAS!!!
Sempre, mas sempre.
É o sono do esquecimento, claro!!!

A democracia segue dentro de momentos

Depois da lei da rolha, uma «santanagem», para laranjinhas consumirem sempre que haja azia.
Eis que um partido, sem norte, apesar do Rio; sem porto de abrigo, apesar dos namoros de Jardim e Sócrates; sem ideias, apesar dos pensamentos retorcidos do Pacheco; apesar de uma «sacanagem», sempre pronta a abater o próximo chefe de turma, faz o triste espectáculo de se abster na Assembleia da República perante um documento de apenas, e tão só, de apoio ao PEC (Plano de Estrangulamento dos Cidadãos).
O documento a ser reprovado NÃO TRAZIA QUAISQUER CONSEQUÊNCIAS a quem quer que fosse.
Nem o Sócrates deixaria de merendar, com as tias, nem o Durão deixaria de se passear no bólide, altamente poluente, pelas ruas de Bruxelas, nem o Costa e PP(Paulo Portas) deixariam de ser «apanhados» com excesso de velocidade, numa qualquer estrada deste nosso amado País.
Hoje, amanhã  e depois o pão ainda iria chegar às mesas dos portugueses, pelo menos daqueles que ainda vão tendo dinheiro para o comprar.
Vergonhosa a atitude do PSD.
Lastimosa a cara de enfadonho da Dona Leite.
E, que dizer, da declaração de voto de alguns deputados do PSD sobre a disciplina de voto?
Simplesmente PATÉTICO!!!
Ao menos houvesse a força política para votar contra.
Mas, nem isso.
É assim que querem chegar ao poder? Duvida-se.
Desculpem alguma coisinha, a democracia vai voltar dentro de alguns minutos.
Não se sabe quando. Mas, há-de voltar. Talvez um dia!!!

quinta-feira, março 25, 2010

As ligas


A Senhora Dona Patrocínio de Sousa e Castro faz parte da Liga da Mulheres Republicanas, e também da Liga das Mulheres Socialistas.
As Ligas... de mulher fizeram-se para serem usadas aos pares e, sendo assim, não nos admira que a senhora Dona Patrocínio tenha um par de .... ligas!!!

quarta-feira, março 24, 2010

Onde estão as gravações?

O presidente do Supremo mandou destruir as gravações do caso Face Oculta, onde intervém Sócrates.
O Procurador não as devolveu ao juíz da comarca do Baixo Vouga, para ser executada a ordem do presidente do Supremo.
Pelo que foi dito, o juiz de Aveiro já solicitou por DUAS vezes as gravações.
E, NADA.
No entretanto, o Procurador solicitou um documento ao juiz.
Só que de gravações NADA.
Pergunta-se: ONDE PÁRAM AS GRAVAÇÔES??
Será que alguém está interessado em fazer esquecer o caso?
Já não seria virgem.
Aguarde-se, agora que a Comissão de Inquérito parlamentar pediu as ditas escutas!!!
Onde andam??? Têm pés para andar? Será? Coisa nunca vista!!!
O mistério adensa-se e condensa-se na bruma da confusão.
Aguarda-se!!!

Mais um....

Soares veio à Guarda.
Até parece uma notícia vulgar. Mas, não é.
Já foi tempo em que Soares vinha com alguma frequência à Guarda, em visita de cortesia ao amigo Curto.
Desta vez, foi convidado por uma Comissão eleita pelo Governo Civil,  para palestrar sobre a República.
A República dele, claro!!
Soares ainda vende, logo não se estranha a presença de tal figurante por terras da Ribeirinha.
Ainda cá vem, no mesmo âmbito, o senhor Silva.
Ah! pois, contentam-se todos.
Tinha que ser claro.
Não vou falar da propaganda da conferência. Dessa falarão os submissos e os lacaios de serviço à copa.
Mas, este Soares disse à dias, durante uma conferência dedicada à crise económica mundial que,  "o capitalismo tem que deixar de ser o capitalismo de casino, como foi nestes anos passados, o que levou a esta crise".
Tempos houve em que este indivíduo se dizia socialista e contra o capitalismo. Um dia, este mesmo senhor meteu o socialismo na gaveta, disse ele, para mim, puxou-lhe o autoclismo.  Agora já nem contesta o capitalismo, só o capitalismo de casino, como se houvesse algum capitalismo que não seja de casino e feito de desigualdades e miséria.
O capitalismo que todos nós ajudamos a superar as crises, com o dinheiro roubado aos contribuintes e que, agora, nos obriga a viver momentos de penúria.
Este capitalismo já lhe interessa?
Ou será antes o que lhe permite andar a «passear-se» por conferências, encontros, chás e outros arraiais mostrando o que sempre foi: um parasita do estado.
Saberão os portugueses, quanto custa ao contribuinte a família Soares?
Vergonha!!!

Coragem, portugueses só vos faltam qualidades

Diante dos seus pares, no Parlamento Europeu, Astrid Lulling, lembrando os casos BCP, BPP e BPN, afirmou que entregar a supervisão do BCE a Constâncio "é como dar dinamite a um pirómano".
Toma e embrulha!!
É esta canalha incompetente que vai para instituições internacionais?
Fazer o quê?? Nada.
Quanto piores forem, tanto melhor: maior será o reconhecimento lá fora da argúcia lusa.
Outro episódio grotesco foi, mais uma vez protagonizado por Jardim.
Aqui há uns dias, protagonizando uma cena de ciúmes à moda antiga, a imaginação de José Sócrates vomitou uma “santa aliança” entre o Bloco de Esquerda e o PSD, seu aliado no PEC. Depois, protagonizando uma cena do amor que a enxurrada fez florir, Alberto J. Jardim jurou fidelidade à santificada aliança com o seu novo amigo nos aspectos que considerar “justos” para o país, mesmo que “seja contra o PSD”.
O PS agradece!!! Depois dos elogios de Gama ao Bokassa da Madeira, só faltava «o amor próprio» de Jardim a Sócrates!!!
Por fim, mas não a menos importante, dado que é o reflexo da cretinice atrás apontada, em Portugal os jovens vêm cada vez mais telenovelas. Ou seja, refugiam-se nas quimeras e sonhos de uma qualquer história de conto de fadas para esquecerem os problemas da escola, da família e da aprendizagem da vida.
Alienação é o que é.
Mais fácil dominar mentes brutas que, papam telenovelas e música pimba.
É assim, a chamada educação em Portugal.
Coragem, portugueses só vos faltam qualidades.

terça-feira, março 23, 2010

Mais um aldrabão

Depois de tudo o que se viu, já não falo do que as televisões não mostraram e, foi muito, eis que, aparece na televisão, um alto graduado da GNR dizer que tudo o que se passou, antes e, depois, do jogo da final da Taça da Liga, foi absolutamente NORMAL e que tudo correu bem e como o previsto.
Meus senhores, que sejam aldrabões e queiram segurar o vosso emprego a todo o custo, independentemente, da vossas incompetências, são uma coisa, agora chamar papalvos às pessoas é de MAIS.
Corja de aldrabões.
E, depois de tudo quanto se passou não houve detenções??
Que polícia é esta?
Vejam e leiam o que a imprensa estrangeira diz dos acontecimentos. Não sabem inglês, pois é!!
Novas oprtunidades ou umas aulas de inglês ... técnico, que tal??
O principal responsável, o ministro(?) Pereira, o Rui, continua em parte incerta.
Ainda não apareceu!!!
Estará de férias ou meteu baixa?

Também o património

Já poucos se lembrarão, de alguns dos emblemáticos locais de convívio e socialização que mesmo em tempo de ditadura, proporcionavam o encontro das gentes na cidade da Guarda.
Foi assim com o café Mondego e os valiosos painéis de azulejos que dignificavam o espaço e o tornaram um verdadeiro ponto de encontro e convívio entre os guardenses e forasteiros.
As mesas e os espaços bem definidos, de um lado a direita política, de outro a esquerda, fosse ela radical ou moderada que, apesar das divergências sabiam conviver salutarmente.
E, pelas 17 horas, impreterivelmente, o empregado de mesa colocava as toalhas de azul turquesa, em certas mesas, para que as senhoras pudessem tomar o chá quente que acompanhava as torradas e a conversa das coscuvilhices da terra.
Destino do «Mondego» o mesmo de sempre - destruição completa e venda para uma agência bancária!
Depois foi o Monteneve, outro café emblemático da cidade onde, ainda na ditadura se cruzavam a direita conservadora do poder e a gente do «reviralho». Onde, sem excepção não havia «direito de admissão». E, de onde se contam episódios pitorescos uns, outros nem tanto, da caça às bruxas.
Destino do «Monteneve», o mesmo - fecho e venda para uma loja de ilusões vestidas, ou despidas.
E, já bem mais antigo, mas não menos simbólico, a Cristal, situado na rua do comércio.
Ainda me lembro de, em pequeno, ir à Cristal,  pela mão do meu pai e, ter o prazer de me sentar à mesa e  um senhor, já de certa idade,  me engraxar os sapatos.
Hoje tudo desaparece.
Agora, fecha mais um café, o Central.
Há mais de 20 anos, ainda proporcionava o encontro de muitos de nós. Destino, o mesmo de sempre: agência bancária.
O «Central» era um local de excelência, por natureza, e onde há pouco tempo se evocou a memória do Zeca numa tertúlia inesquecível, com o espaço totalmente esgotado.
Todas as vilas e cidades do interior têm um café Central.
Ou melhor, agora, aqui na Guarda já não há central!!
Desaparecem os sítios ficam ao menos as memórias.
Hoje, abrem quiosques a que chamam cafés, exíguos, com poucas ou nenhumas cadeiras e mesas, para não possibilitar que as pessoas convivam e, onde o freguês toma o café de pé e, compra o pão, de duvidosa qualidade, que sai em fornadas sucessivas, para embrulhar e levar sem conversa.
Hoje, já não existe o prazer da conversa, da amena cavaqueira onde se conjuravam tantos e tantos movimentos de contestação e revolta, onde se marcavam encontros mas também desencontros. Mas, onde havia aquele sempre português prazer, tão genuíno e ancestral de beber a bica, «cimbalino» ou café entre dois dedos de conversa e, umas «passas» de um SG fosse ele gigante ou ventil, activo ou passivo fumador, que importava, se o prazer era o de estar e, conviver no café.
«stop
a vida parou
ou foi o automóvel?»
Carlos Drumond de Andrade.

O Lambão

O Lambão de seu nome completo Agripino Silveira  Louro nasceu, segundo reza a sua certidão, numa aldeia ali para os lados de Lafões.
Ao certo não se sabe a sua data de nascimento, pelo simples facto de ter caído, no preciso local do registo, um borrão de vinho tinto que, logo apagou, para sempre, tal inscrição.
Agripino mais conhecido por Lambão pelo seu porte baixo, aterracado e gordo que mais se assemelha a um garrafão de vinho. Desde muito cedo evidenciou o seu gosto pela gula insaciável.
Já na escola primária, Lambão devorava o pão de centeio com geleia que a mãe lhe ponha na sacola e, ainda se abotoava com a merenda dos colegas. Todo o apetite voraz de Agripino levou-o a construir o porte de garrafão. Daí o epíteto de Lambão.
Lambão é um epagneul descendente de pequineses que foram enviados para o tibete e de onde surgiu a linhagem do Lambão que, por razões ainda não devidamente explicadas veio parar à Ibéria. Dizem os entendidos que a linhagem de serapilheira terá vindo com os bárbaros Celtas.
Daí as características sanguinárias do Lambão.
Lambão é sanguinário. Bebe o sangue das vítimas e expele de seguida o mais sebento dos arrotos, sabugos e que misturado com o hálito podre da dentuça, faz lembrar cano de esgoto.
Defende ferozmente o seu osso e, procura abocanhar sempre mais e mais para se banquetear numa lambuzadela de molhos que escorrem pelos cantos da boca.
Sisudo quando se prepara para a caça ao osso, Lambão aguça o focinho para, utilizando as características de furão  a esfuracar a lama onde procura o apetecível manjar.
Agripino tem um defeito físico: é  marreca. Só que esconde de todos tal maleita e, quando é caçado disfarça com o facto de não ter pescoço. Logo, Agripino move-se encolhido e, esconde dessa forma a marreca.
Além desse defeito físico, Agripino não urina como os outros humanos. Alça a perna a toda a hora, em especial quando passa por um poste da luz.
Lambão tem como amigo, um canino rafeiro, que dá por nome de Lêndeas.
Lêndeas, assim conhecido pelo pouco cuidado na higiene pessoal, sempre seboso e  repleto de piolhos.
Lêndeas e Lambão tudo ameaçam.
Rapinam tudo o que lhes aparece.
Acham-se os maiores e, os donos do mundo cão.
Presenteiam-se com salamaleques e iguarias conseguidas com o sangue e suor dos paroquianos que tudo pagam para os galantear.
Mas, só esses emolumentos não chegariam se para Lambão e Lêndeas gozarem a vida sem nada fazerem.
Para que, mais alguma coisa caia no prato da sopa dos parasitas, têm ainda o beneplácito régio do dono do quintal. O Pentes tudo faz para agradar ao Lambão e ao Lêndeas, pois se não fizer sujeita-se a ficar sem o osso para brincar.
Lambão, Lêndeas e o Pentes vão parasitando das esmolas conseguidas aquando das romarias da nossa senhora do coito.
No cerimonial patético da romaria cada um dos três da vigairada, sentam-se nos respectivos tronos, são passeados aos ombros e, incensados pelos submissos, resignados e insolentes acéfalos que em tudo acreditam e, crêem no poder miraculoso da trindade paternalista.
Ámen à divindade, gritam os lacaios servidores!!
Até à eterna paz dos pobres de espírito, deles será o reino dos incompetentes e dos abéculas.
Qualquer semalhança entre este conto e a realidade é mesmo e só, imaginação pura de mentes perversas.

domingo, março 21, 2010

O PEC - Plano de Estrangulamento dos Cidadãos

Na corrida às privatizações que o Governo vai lançar no âmbito do Programa de Estrangulamento dos Cidadãos (PEC), todos os contributos são poucos para reduzir a dívida pública, mesmo as das origens mais improváveis, como a fábrica de chouriços(??), a farmácia(??) ou o matadouro(??), um centro cultural e recreativo(??) e até um centro de abate de suínos do Oeste (CASE) (??) e no grupo Dilop, fornecedor industrial de carnes de porco e derivados, que inclui o negócio da Dilop - Charcutaria, Cozidos e Fumados, detidos pelo Estado.
Mas, também na alienação da participação do Estado no negócio das bebidas - com 187 euros na Companhia de Cervejas Estrela, nacionalizada em 1975 e reprivatizada por Mário Soares em 1977, e ainda com 160 euros na Sociedade Águas da Curia.
Mas, há mais na «Carteira Acessória» das participações do Estado, com data de 31 de Dezembro de 2009, com as posições empresariais insólitas como os 2,5 euros na Cooperativa Cultural e Recreativa da Gafanha da Nazaré ou os 14,97 euros na Sociedade Turística da Penina. 
Em Carcavelos, o Estado assegura a venda de medicamentos, em especial através da Farmácia Central daquela freguesia no distrito de Cascais, detida a 95% pelo contribuinte, um investimento com um valor nominal de 4,75 mil euros.
O PEC prevê a privatização de 32 empresas, com um capital social de 436,8 milhões de euros, um programa de alienações que o Governo, pela voz do senhor Teixeira, prevê que permita encaixar seis mil milhões de euros. A potencial lista de vendas de participações do Estado inclui alguns pesos pesados do parque empresarial português, como a ZON, a TAP, a Inapa, a EDP ou a REN, para além do «famoso» Banco Português de Negócios (BPN), da roubalheira dos ex-ministros do senhor Silva(Cavaco).
Agora fica uma dúvida que, já anda a atormentar muitos «boys».
Com tanta privatização para onde vão os parasitas dos boys?
Que vai ser dos lugares partidários doados aos boys?
Essa a grande questão que já levou a algumas «dissonâncias» nas hostes do PS.
Cuidem-se malteses, tempos difíceis estão a chegar.
Já agora, porque razão o senhor Teixeira não pensou nas fundações???
Sim nas fundações. Não nos referimos às das casas e casinhas, nada disso!!!
Falamos das fundações de «utilidade pública» que só servem para lavar dinheiro e exportá-lo para um qualquer offshore.
Dessa não se lembrou senhor Teixeira.
Sabemos todos o porquê, não é?
Nunca se imaginou que o Estado tivesse tanto interesse na suinicultura.
Tantos porcos e porcas!!!
Será que os espetos dos suínos cá pela Guarda têm alguma coisa a ver com tanta participação do estado em pocilgas?
A investigar!!!
Para lá de Carcavelos, o braço das participações do Estado ultrapassa as fronteiras portuguesas, chegando até à Ásia, com os 0,01% que o Grupo Caixa Geral de Depósitos detém de participação na Jetco, a rede de multibanco de Macau, ou os 5% que o Estado tem na Efacec International Financing, que controla a Efacec Malaysia.

Já nada resta

A Fenprof quer que docentes possam actuar detendo alunos agressivos até à chegada das autoridades, dentro e fora da escola.
A Fenprof defende que os professores sejam reconhecidos como autoridade pública, num estatuto semelhante ao das forças de segurança.
O estatuto permitiria aos professores, por exemplo, reter o aluno até à chegada da polícia. Transmitindo assim um reforço da autoridade da figura do professor, já que quem não acatar as suas ordens pode responder pelo crime de desobediência à autoridade.
No entanto, o advogado Luís Filipe Carvalho considera que a ser aplicado este estatuto deve restringir-se ao interior dos estabelecimentos de ensino. "Fora das escolas é considerado via pública e aí a responsabilidade é dos órgãos de polícia", justificou o jurista.
Ligado ao estatuto de autoridade pública está a figura jurídica da presunção da verdade, que os professores também querem ver aplicada à classe. Esta figura pressupõe que, quando denuncia um caso de violência, o docente está a falar a verdade.
"Se um professor apresenta uma queixa, as autoridades devem partir do princípio que é verdade e averiguar a partir daí", acrescenta o dirigente da Fenprof.
Decididamente esta Fenprof precisa de férias. Precisa de ir para banhos e não voltar mais.
Desde quando a um professor deve ser acometido o estatuto de autoridade pública??
Deter um aluno ou alunos enquanto a polícia não chega??
Mas estes senhores vivem noutro mundo.
E que dizer da proposta da figura jurídica da presunção da verdade???
Os professores dizem sempre a verdade?? E, quando o não fizerem sofrem castigos??
Mas que confusão paira nas mentes daqueles sindicalistas.
Estes senhores não sabem, porque já não dão aulas à muitos e muitos anos, o que é uma escola.
Conhecem-na apenas das reuniões sindicais que promovem nos estabelecimentos de ensino; conhecem-na do que lhes contam. No resto, não sabem NADA do que é a realidade de hoje numa escola.
Esta gente, da Fenprof, vem com estas propostas para esconder a sua própria incompetência nas negociações com o ministério da educação.
Estes senhores o que têm feito é serem «encornados» pelas sucessivas ministras a troco de benesses e mordomias pessoais.
Calem-se e deixem os tachos. Promovam de imediato eleições livres, coisa que nunca houve e, larguem de imediato o caciquismo que os caracteriza.
Cada vez mais os professores voltam as costas a esta corja de sindicalistas que toda a vida só olharam para a vidinha deles.
Já agora proponham que os professores possam «passar» multas pelo facto dos alunos não trazerem material para a escola; pelo facto dos alunos andarem vestidos como lhes apetece, mas que podem «ferir» a «sensibilidade» dos professores; pelo facto não atravessarem uma rua na passadeira; pelo facto dos alunos andarem sem mochila; etc...... o senhor Santos, o das finanças, agradecia e muito!!!
Será que a autoridade se revela e se impõe com um qualquer estatuto de «autoridade pública»??
A autoridade consegue-se pelo respeito e, esse consegue-se pela competência e rigor dos professores.
A Educação não se resume, nem se esgota, com estatutos de autoridade pública.
Haja vergonha!!!

sábado, março 20, 2010

O embrulho

Ficou-se a saber que o governador civil da Guarda, Santinho Pacheco, e o presidente da Câmara da Guarda, Joaquim Valente, foram arrolados como testemunhas de defesa de Nuno Silva, director da Escola Profissional da Guarda e líder distrital da Juventude Socialista, que está acusado pelo Ministério Público do crime de difamação agravada, como resultado de uma queixa apresentada por Armando Reis, director do Centro de Emprego e Formação Profissional, da Guarda.
O líder da distrital da Juventude Socialista requereu, no entanto, a abertura de instrução do processo por entender que o inquérito não foi rigoroso, dado que, se o fosse, constatar-se-ia que as nomeações de Armando Reis para cargos de direcção coincidiram com os governos do PS.
Tudo entendido.
O líder escolheu bem os arrolados. Estranha-se o facto de não estar arrolada Marília Raimundo, a dona(?) da Escola Profissional da Guarda, membro da Comissão das Comemorações do Centenário da República, nomeada pelo governador civil, e com outros lugares.
Qual a razão não ter sido arrolada?
Eheheheh!!!
Já agora há uma outra dúvida.
Os arrolados estão em que condição?
De políticos? De filiados no PS? Ou de amigos?
Espera-se pelo desenvolvimento do «caso», para se esclarecerem certas dúvidas!!!
Aquela de que «as nomeações de Armando Reis para cargos de direcção coincidiram com os governos do PS», são muito interessantes.

O PEC - Plano de Estrangulamento dos Cidadãos

O PEC - Plano de Estrangulamento dos Cidadãos - está, segundo se lê na comunicação social a ter vozes dissonantes no PS (Partido do Sócrates).
Lê-se aqui, aqui e também aqui
Só que, a ser verdade tanta contestação no seio dos socialistas, porque razão o Plano de Estrangulamento dos Cidadãos foi apresentado também pelos tais «dissonantes» ministros  e, quando, em sede própria, forem chamados a pronunciar-se, não se esperam votos contra dos deputados que exercem a sua parcela deste tipo de "dissonância".
Estranha-se que desde os ministros «dissonantes», passando pelos deputados «dissonantes» e terminando no Alegre e em Soares só se ouvem dissonâncias.
Concretizações NADA!!
Até no que diz respeito às privatizações o «filhinho» João Soares vem concordar com a venda dos CTT, com o argumento que «hoje em dia já ninguém escreve cartas»!!!
Que magnânimo argumento do «filhinho» do papá.
Só inteligências pardas.
Quem as embrulhasse em papel de jornal e as remetesse para a posta restante, nada se perdia.

Um secretário dito da educação?

Jaime Gama repreendeu, duas vezes consecutivas, o secretário de Estado da Educação João Torcato da Mata por não usar a forma regimental para se dirigir ao plenário. Mais, Jaime Gama chegou mesmo a ameaçar o tal de Torcato de não lhe conceder o uso da palavra se não utilizasse conveniente a forma regimental.
Este tal Torcato é secretário de quê?
Ah!! dizem que da Educação. Percebe-se a razão da Educação, neste País, estar como está.
Quem se julga este Torcato?
Secretário da Educação?? Mas que educação??
Esta gente que tirou cursos nas Novas Oportunidades não sabe nada de lisura comportamental e de educação.
Ainada por cima, percebeu-se que o senhor Torcato não aprende à primeira.
Foram precisas DUAS repreensões do presidente Gama para o secretário perceber!!
Arre.............!!!!
Uma coisa é incompetência outra é falta de aptidão.
O nervosismo já é muito. Mesmo muito. Percebe-se a cada segundo.
Coragem portugueses só vos faltam qualidades para ensinar esta gente a ter modos.

Ai lelo, lelo

José Lello, deputado pelo PS na Assembleia da República, protagonizou ontem um episódio deveras hilariante, por um lado, mas, por outro lado, revelou a faceta arruaceira, mal educada de um lelo.
Precisamente, quando se estava a discutir a situação da educação em Portugal, com a presença da ministra, eis senão quando Lello, pede a palavra e insurge-se contra o facto de um fotógrafo estar, segundo Lello, a tirar fotografias ao monitor do computador que lhe estava destinado.
Disse o Lello que tal atitude era um atentado à sua privacidade dado que o fotógrafo estava a ter conhecimento do que o deputado estaria a fazer ou a ver no monitor.
Respondeu à altura, até que enfim, o Presidente Gama do PS que, lembrou ao senhor deputado que os computadores da Assembleia da República são públicos não sendo pertença de nenhum deputado. Como tal, qualquer cidadão tem o direito de saber o que «anda» a fazer o deputado no computador da Assembleia da República.
Furioso, Lello num acto de má educação, falta de civismo e de arrogância fechou intempestivamente o monitor do computador, no que foi secundado por outros deputados da bancada do PS.
Lello é só presidente do Conselho de Administração da AR.
Percebe-se, claro.
Meus senhores, todos sabemos que esta gente não sabe viver em democracia. Não sabe distinguir o que é público do que é privado. Julgam-se os xerifes da pradaria. Julgam-se os donos de tudo e de todos. São a imagem de um Sócrates prepotente, arrogante e autoritário.
Já agora duas, mas só duas questões:
1.ª - o que levou Lello a ficar tão furioso pelo facto do fotógrafo estar a tirar fotografias ao monitor que lhe está emprestado pelos serviços da Assembleia da República? Estranha-se!!! Quem não deve não teme!! Ou, será algum gato escondido com rabo de fora?
2.ª - se o monitor do  Lello, ou de outro qualquer deputado se danificou, quem paga o arranjo ou a substituição?
BASTA!!!
Num debate sobre Educação houve muita indisciplina da bancada do PS.
Mas que péssimo exemplo, mais um, para uma juventude que deveria ver atitudes e comportamentos de respeito pelos bens públicos, por parte dos deputados.
Triste exemplo!!!
Coragem portugueses só vos faltam qualidades para mandar zarpar tais personagens indecorosos.

sexta-feira, março 19, 2010

A esperteza despesista

A penalização das reformas antecipadas na função pública e a antecipação da harmonização com o regime geral, duas das muitas últimas obras-primas do actual Governo, tal como na Administração Pública, estão também a provocar uma saída em massa de médicos por antecipação da aposentação. Nos primeiros meses do ano, os quadros de pessoal do SNS aliviaram-se em mais de 500 médicos. Em reacção, em vez da admissão do erro e respectiva correcção, já se fala na criação de contratos especiais para médicos reformados, um regime excepcional que não abrange as restantes carreiras. Propõe-se que o Governo corrija o erro que nasceu da sua incapacidade de prever e gerir pessoal com a conjugação da sua capacidade inata para errar com a equidade que teima em primar pela ausência nas suas políticas. A Ministra afastou esta possibilidade. Depois, o Governo aprovou o regime excepcional que a Ministra recusou.
Ou seja, desautorizou a ministra.
Agora, os médicos vão receber na sua nova dupla condição, de reformados e de activos.
Será que o 3 em 1 também permite tal duplicação para outras profissões?
Pois é!!!
Não se resolve o problema criando-se mais e mais problemas.
Mas esta é a lógica governamental do Sócrates.
Coragem portugueses só vos faltam qualidades para correr com esta canalha!!

A justiça para uns

O Tribunal da Relação do Porto confirmou ontem a condenação de Valentim Loureiro pelos crimes de prevaricação e de abuso de poder a que foi condenado pelo Tribunal de Gondomar no processo principal do Apito Dourado.
A pena foi simbólica, «apenas» de 30 mil euros pelos crimes de prevaricação e de abuso de poder a que foi condenado na primeira instância pelo Tribunal de Gondomar no processo principal do Apito Dourado.
A justiça para os poderosos é sempre levezinha, para não haver comprometimentos, claro!!!
Este valentão é um artista português e, que artista!!!

O Simplex no seu pior

Segundo a comunicação social, centenas de encarregados de educação foram surpreendidos com cartas da Segurança Social datadas de Fevereiro a exigirem a restituição das verbas "indevidamente" pagas a título de abono de família.
A justificação é a de que os beneficiários não teriam feito a respectiva prova de frequência escolar que garante o acesso àquela prestação, dando um prazo de 10 dias para reclamar e de 30 para pagar, sem o que se pode perder o direito à prestação.
Ora, acontece que "no âmbito das medidas de desburocratização da administração pública" - como a Segurança Social informou previamente por carta aos beneficiários - "a prova anual da situação escolar, para efeitos da atribuição e manutenção do abono de família a crianças e jovens com mais de 16 anos poder ser efectuada entre os competentes serviços da Segurança Social e da Educação".
A ministra do Trabalho e Solidariedade, não dá uma explicação cabal para o sucedido o mesmo se passa com o Ministério da Educação.
Que anda esta gente a fazer??
Casa onde não há dinheiro, tira-se ao herdeiro!!

quinta-feira, março 18, 2010

Património Mundial

Desligue o som do blog e .... delicie-se com a paisagem e a música.
Não esquecer que o vale do Douro é só PATRIMÓNIO MUNDIAL.

A Judiciária investiga a ....Judiciária

Segundo relata a comunicação social a Judiciária fez uma rusga à ...... própria Judiciária.
Ou seja, um documento com o timbre da Polícia Judiciária apreendido durante buscas do processo Face Oculta desencadeou uma investigação à Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC).
O documento, segundo consta tem a ver com o BANIF e o senhor doutor, engenheiro Armando Vara. O dos robalos.
Já agora, será que vão investigar TODOS os outros casos de fuga de informação, como casos de aviso aos pretensos infractores que, nalguns dos casos permitiu a fuga dos mesmos para parte incerta ou certa?
Investiguem, mas não se cansem muito.
Ou será assim tão difícil encontrar os «vendidos passadores»???
Já não se acredita na Polícia mas vá lá façam um pequeno esforço!!!
Custa assim tanto???
Depois não se esqueçam de dizer TODA A VERDADE.
Quem paga os vossos ordenados merece que lhe digam a VERDADE.
Perceberam???

A aldrabice

Quando se ouve o número de desempregados, ou o índice de preços ao consumidor, ou os valores da inflação e outros que tais fico sempre com a certeza de que HÁ UMA ALDRABICE em tudo quanto é dito.
Depois do apagão dos 50 mil registos que o IEFP fez das suas bases de dados durante o mês de Fevereiro, o número de desempregados bateu novo record.
«Oficialmente», sem contar com todos os apagões do sistema nesse e ao longo dos meses anteriores, havia, no final do mês passado, 561.315 pessoas desempregadas em Portugal, mais quase 20 por cento do que em 2009.
Tudo isto cheira-me a aldrabice. É que os números do desemprego, para mim, são muito e muito maiores. Não duvido.

Quem tinha dúvidas?

Ficou-se a saber, através do líder parlamentar Francisco Assis que, José Sócrates não irá à Comissão de Inquérito sobre o caso TVI.
Sócrates responderá.................mas por ESCRITO!!!
A isto chama-se cobardia.
Nos países democráticos o primeiro ministro vai a qualquer comissão de inquérito e, de viva voz, responde às perguntas dos deputados.
Por cá, é o regime do quero, posso e mando!!!
VERGONHOSO!!!
Bem, mas a provas respondidas por escrito, sem ser presencial, já Sócrates está habituado.
A «licenciatura» diz tudo.

Ainda há quem não tenha medo

João Cravinho no seu espaço de intervenção na Renascença vem dizer o que muitos socialista não têm coragem de dizer, com medo do artolas do chefe e, que muitos portugueses só podem concordar com as acusações e denúncias que são feitas.

Cravinho diz que o PS está a tornar-se num partido à deriva e à direita. Quem não pode concordar?
Cravinho diz que Paulo Portas está "a dar lições de esquerda a Sócrates". Quem não pode concordar?
Veja-se como Cravinho justifica e bem: «Portas diz que certas privatizações só se podem fazer quando houver um regulador forte ou quando isso não criar situações monopolistas ainda mais grave. O Portas a dar lições de esquerda a Sócrates.»
Cravinho diz que o PS deixou-se cair na armadilha e vai passar nos próximos meses a imagem de um partido de centro. Quem não pode concordar?
Cravinho diz que Sócrates abandonou a bandeira do combate à pobreza e vaticina que o PS vai ser penalizado pelo eleitorado “muito rapidamente com as medidas que acaba de tomar”.
Coragem portugueses felizmente ainda há gente com qualidades a denunciar a situação. Resta que os portugueses não permitam que o seu País caia de podre.
Coragem!!!

quarta-feira, março 17, 2010

Mais autoridade para os directores

No seguimento do que a ministra da educação disse sobre a autoridade dos directores, percebe-se agora a que cartilha maternal a putativa governante se referia. Nem mais, à cartilha da «menina dos cinco olhos», das «orelhas de burro», das varadas, dos castigos corporais tais como, puxões de orelhas, bofetadas, pontapés e outros.
Tudo na cartilha do Paulinho.
Só perceber qual a definição de autoridade do «menino de coro» do PP. 

Ditames


Ainda nem começou a campanha eleitoral mas já os anunciados candidatos lançam atoardas.
Cavaco e a «madame» a mostrarem os interiores de Belém, comemorando, à maneira dos Silva, os 4 anos de presidência.
Imprópria para cidadãos minimamente inteligentes.
Agora, Alegre veio com uma de trazer os corpos dos soldados portugueses que ficaram sepultados em Angola. Num país moribundo há quem faça de seu programa político um regresso a um passado bolorento. Não tem mais nada para dizer, num momento de grave crise social como este?
Já o candidato Fernando Nobre defendeu que os titulares de órgãos de soberania sejam sujeitos a exames médicos para avaliar as condições que possuem para exercer o cargo.
Não estará na hora de apresentar alguma coisa realmente importante para o país?
Mas isto é pior que as gripes: é uma acefalia epidémica.
Curem-se.
Sejam todos encefalicamente higiénicos.
Bem sabemos que os portugueses não lavam os pés.
Mas façam esse esforço!! 
A bem da sanidade pública e principalmente intelectual.

Quer que arredonde?

Já me tinha acontecido muita coisa na ida ao supermercado.
Desde campanhas tipo pague agora que na próxima visita descontamos 50%;
Cartões e mais cartões que se descontam na próxima visita - ou seja a fidelização ao serviço. Obrigarem-nos a ter que ir lá, «buscar» uns míseros 20 cêntimos;
Vales para descontar na Galp lá da terrinha e, a gasolineira a «dar» míseros cêntimos para descontar na próxima ida ao super;
Tudo para a fidelidade funcionar.
Agora, estar um pacato cidadão, na hora de pagar na caixa, do dito super e, ser surpreendido com a pergunta insólita, tipo peditório a favor da mulher do soldado desconhecido: QUER ARREDONDAR?
Fiquei atónito com a pergunta.
Desculpe, pode voltar a repetir a pergunta....
Sei que as funcionárias da caixa não têm culpa do que lhes mandam dizer. Tudo bem.
Só que eu não quero, não desejo contribuir para mais uma farsa.
Vem tudo a propósito de ter sido anunciado que na Sonae, a família Azevedo teve lucros na ordem de 94 milhões e, simultaneamente, Belmiro é dos mais ricos a nível mundial.
Ora, se o grupo Sonae SGPS da família Azevedo aumentou os seus lucros em 17,1 por cento para os 94 milhões de euros em 2009, para que lhes interessam os arredondamentos?
A SONAE converte todos os «arredondamentos» em doações e lá se vão mais uns impostos revertidos em deduções para a empresa.
Arredondar, não obrigado.
Se quiser contribuir sei como o fazer, sem ter que dar cavaco ao Belmiro.
Já agora, a SONAE criou no ano passado dois mil postos de trabalho, o mesmo número de empregos que a Sonae diz não poder pôr nos quadros em função do fecho obrigatórios dos hipermercados aos domingos e feriados à tarde.
Que justificação mais estapafúrdia.
Será que este argumento vai colar ao nível das outras empresas de outros sectores que estão fechados ao sábado e domingo??
A crer no efeito......

A roubalheira não pára

Segundo a comunicação social, a EDP pagou nove vezes mais do que estava previsto, na remoção de sucata na rua do Ouro, no Porto.
Segundo consta, a EDP pagou 700 mil euros, quando o Ministério Público diz que custaria apenas 80 mil euros.
Pois é....uma questão de robalos!!!

A crise é dos outros

Empresas cotadas dão prémios milionários

Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, os senhores da PT, ganharam mais de 4,1 milhões de euros.
Percebem a «defesa» do pequeno chefe na Comissão de Inquérito?
Pois é......muito euritos ao fim do mês!!
A crise é só mesmo para o resto da população. Estes senhores vivem noutro País. Quem lhes paga somos todos nós.
Portugal é dos países, a nível mundial, onde a diferença entre o salário de cada um destes administradores e o de um trabalhador médio, da mesma empresa chega, nalguns casos, a ser SÓ 150 vezes mais!!!
Tal diferença só é comparável nos países do terceiro mundo onde os sobas dominam.
Por cá o mesmo.
Coragem  portugueses só vos faltam qualidades para acabar este regabofe.

Conversa da treta

Depois de ter vindo assumir, publicamente, que foi enganado  pela ministra da educação o patrão Nogueira, disse numa conferência  sobre “Novos desafios aos profissionais da educação da Europa que, “Até se podia fazer a revolução, mas dava cá uma trabalheira”.
Quanto á organização de uma conferência onde os professores pudessem definir quais as perspectivas que têm para a escola e para a sua carreira, considerou que seria positivo, mas que, “Os sindicatos não são pais dos pobres”.
Que tipo de sindicalista é esta personagem?
Não será altura certa de sair devagar, devagarinho sem se fazer notar?
Muito tempo em certos lugares, criam raízes e....apodrecem!!
Quem se pode rever num sindicalista destes que fala desta forma e, grave, muito grave deixa-se(??) enganar por uma ministra?
Que descanse em paz que, por cá, já estragou de mais.

Lei da rolha ou laranja podre?

Alguns comentadores, mais distraídos, espantaram-se pela aprovação em congresso da norma estatutária que determina, a quem tiver posições públicas contra "as directrizes" do partido nos dois meses anteriores a eleições, arrisca uma infracção grave, o que, estatutariamente, pode significar a suspensão da militância por dois anos ou, no limite, a expulsão. 
Isto foi o que Santana «levou» ao congresso e que foi aprovado. E, o resultado não oferece dúvidas, votaram a favor da norma 352 delegados(!!!), 102 abstenções e só 76 votaram contra.
Mas se a votação não espanta a quem reconhece no PSD um partido sem rumo, sem ideário político, sem referências históricas. Já espanta, e de que maneira a farsa discursiva dos «concorrentes» à guilhotina da liderança do PSD que, mesmo ali, na hora, à saída do congresso negavam tudo o que tinham aprovado, quando lá dentro, por medo, hipocrisia se calaram. Diziam e juravam que na primeira oportunidade iam rasgar tal norma.
Espanto.
Mas, afinal que estiveram ali a fazer naquela votação?
Fazer de conta?
Esta laranja é mesmo podre.
É este o partido que quer governar o País?
Que se nega a si próprio, que nega o que diz e faz?
Que confiança podem merecer tais marionetes e cata-ventos?
Santana Lopes levou consigo um tal PPD/PSD, na linguagem flopista, ao psiquiatra.
Só que o divã transformou-se em cama. E, vai daí com um pinguita a mais, dormiu-se a bem dormir.
Há nisto tudo, um cheiro pestilento, nauseabundo a uma certa asfixia democrática.
Ou será que os seis meses de suspensão da democracia no país se resumem a 60 dias no PSD?

Pedimos desculpa, mas a democracia vai seguir dentro em breve.
Quando? Logo se saberá?
Lei da rolha? Só se for do garrafão do vinho.
Coragem portugueses só vos falta acreditar nesta já gasta trapaceira nacional.

Autoridade, mais??

A ministra da Educação voltou a insistir que é preciso “dar mais força” aos directores das escolas para resolver casos de agressões e de “bullying” em meio escolar.
Mais força???
Depois de ter rasgado o acordo com os professores, a ministra vem agora dar uma de força.
Fraca força, quando se julga que violentando quem quer que seja se resolvem os problemas da insegurança.
Os casos recentes incluíndo o da Escola Básica 2,3 Almeida Garrett, em Alfragide (Amadora), onde se registou um esfaqueamento à porta do estabelecimento e onde um casal, com idades entre os 25 e os 30 anos, abordou um grupo de jovens, roubando-lhes os telemóveis, são a prova provada que a violência gera mais e mais e revolta.
Ou, ainda o caso de um aluno de Olhão que, se recusa a ir à escola por causa de não ser vítima de bullying, apesar das várias e infrutíferas queixas que foram feitas e nada foi feito.
Autoridade? Para quê?
E, todos os outros casos que, em surdina consomem e destróem identidades e personalidades.
Já terá pensado a putativa ministra que as aulas de 90 minutos, as aulas de substituição, ou seja o obrigar os jovens a estarem permanentemente fechados numa sala de aula é o rastilho para o acumular de tensões?
Saberá a putativa ministra que todos, em especial os jovens precisam e necessitam de tempo para conviver, socializar e libertar energias. Que fechar em tempos contínuos os jovens numa sala, só gera mais e mais tensões?
Se não sabe, que alguém lhe ensine.
Deixe-se, de uma vez por todas, a ministra de seguir as ordens de um Albino que da escola tem uma visão empresarial, local de despejo de jovens.
O mesmo Albino que se fez e cresceu à sombra da protecção de uma Nogueira.
Hoje é o que é!!!
Ironias de um triste destino para quem, todos os meios servem para atingir objectivos pessoais e/ou cooperativistas.

Até as casinhas da Guarda lá estão!!!

Para ouvir a canção do freeport desligue a música do blog.

O apresentador brincalhão